Topo

Testes e lançamentos

Renault Alaskan parece tanto com Nissan Frontier que lançamento é incerto

Fernando Calmon, Leonardo Felix

Do UOL, em São Paulo (SP)

23/11/2018 07h00

Medo de canibalização entre as duas "irmãs" pode deixar picape da marca francesa longe das ruas brasileiras

Ela chegou às escondidas, apenas um dia depois do evento voltado à apresentação dos produtos a jornalistas. E passou o restante do Salão de São Paulo 2018 meio amuada num cantinho discreto ao fundo do estande. Parecia que a Renault Alaskan nem queria estar ou ser vista ali.

Antes dada como lançamento certo para nosso mercado entre o fim deste ano e o princípio de 2019, agora a picape média da marca francesa -- que dividirá plataforma e linha de montagem com Nissan Frontier e Mercedes-Benz Classe X -- tem boas chances de não ser vendida no Brasil.

Veja mais

+ Mercedes Classe X será vendida junto com carros e caminhões
Quer negociar hatches, sedãs e SUVs? Use a Tabela Fipe
Inscreva-se no canal de UOL Carros no Youtube
Instagram oficial de UOL Carros
Siga UOL Carros no Twitter

A reportagem de UOL Carros entrou no modelo durante o Salão -- você pode conferir os detalhes em nosso álbum exclusivo -- e entendeu o motivo de tanto receio: a Alaskan se parece demais com a irmã Frontier, principalmente dentro da cabine, e isso pode gerar uma forte canibalização entre as duas "irmãs".

Observe abaixo uma imagem comparando os painéis das duas picapes. Você só saberá qual é qual pelo logotipo da marca presente no cubo central dos respectivos volantes. Claro que há outras distinções, como os comandos de ar-condicionado e o revestimento dos bancos, mas aí é mais por uma questão de versão do que de produto.

Tudo isso gerou uma enorme dor de cabeça à aliança: como precificar a Alaskan sem tirar vendas da Frontier? Ou ainda: como justificar que uma custe mais caro que a outra, sendo que motorização, chassi e guarnições internas são idênticas?

O dilema só aumentou depois que a Nissan decidiu ampliar a gama da Frontier e comercializar versões mais básicas com motor a diesel. Sendo assim, como fazer com a Alaskan? Nem mesmo o presidente da Renault no Brasil, Luiz Pedrucci, soube dizer em conversa com a reportagem durante o Salão de São Paulo. "Ainda não decidimos sobre a Alaskan no Brasil", admitiu.

Murilo Góes/Arte UOL
Jogo dos sete erros: que diferenças você observa entre os painéis de Frontier (à esquerda) e Alaskan (à direita) Imagem: Murilo Góes/Arte UOL

Falta de tradição

Outro entrave: a falta de tradição da Renault no mercado de picapes. Vale observar, aqui, o caso da Duster Oroch, que passou longe de fazer o sucesso esperado pela fabricante. É por isso, citando apenas um exemplo, que os argentinos já dispõem de uma configuração 4x4 da Oroch e o Brasil ainda não.

Por isso, mais do que nunca a mostra paulistana serviu para estudar a reação do público perante o modelo. 

Em outros cantos da América do Sul, porém, o cronograma de lançamento segue firme e forte, incluindo a Argentina. Fontes consultadas por UOL Carros garantem que no país vizinho, onde o segmento de veículos de trabalho com caçamba é mais bem consolidado, Frontier e Alaskan conseguirão conviver harmoniosamente.

Mais Testes e lançamentos