Topo

Salão de São Paulo

Temer confirma R$ 2 bilhões para carros no Salão de SP: "Saio sob aplausos"

Alessandro Reis; Eugênio Augusto Brito

Colaboração para o UOL; Do UOL, em São Paulo (SP)

08/11/2018 13h23

Regras para indústria automotiva -- o "Rota 2030" -- foram aprovadas por deputados e senadores

O presidente da República, Michel Temer, assinou no começo da tarde desta quinta-feira (8) o decreto que regulamenta e cria o chamado "Rota 2030", o novo regime para a indústria automotiva no Brasil. A assinatura aconteceu durante a cerimônia de abertura da edição 2018 do Salão do Automóvel de São Paulo, na zona sul da capital paulista.

Em sua primeira participação na abertura do Salão (em 2016, o presidente faltou ao evento, mesmo após a confirmação de agenda), Temer chancelou a regulamentação de um novo regime tributário para as montadoras, com incentivos fiscais de aproximadamente R$ 2,1 bilhões por ano, com a contrapartida de investimentos em pesquisa e desenvolvimento de produtos e tecnologia locais. Nos bastidores, a aprovação foi recebida com alívio por representantes de fabricantes instaladas no país, bem como por marcas importadoras.

Somente instantes antes da cerimônia, o texto-base do "Rota 2030" havia sido aprovado no Senado -- a matéria havia passado em votação na Câmara dos Deputados na noite desta última quarta-feira. Temer reconheceu o cenário em seu discurso.

"Antes de chegarmos aqui, percorremos vários estandes e verificamos avanços tecnológicos extraordinários. Trabalhamos tanto pelo 'Rota 2030' e aqui tinha uma torcida hoje e também uma certa preocupação. Será que a matéria será aprovada no Senado? Imagina se estou aqui, prestes a assinar o decreto, e destroem-se, vem a notícia de que não foi aprovada. Eu sairia daqui debaixo de vaias e agora saio sob aplausos”, afirmou o presidente.

Veja mais

+ Entenda o "Rota 2030"
Mitsubishi Eclipse Cross vira nacional em 2019
GM dá preço para o carro elétrico: Bolt parte de R$ 175 mil
Quer negociar hatches, sedãs e SUVs? Use a Tabela Fipe

Inscreva-se no canal de UOL Carros no Youtube
Instagram de UOL Carros
Siga UOL Carros no Twitter

Indústria respira

O texto do "Rota 2030" estabelece metas de eficiência energética dos veículos vendidos no país nos próximos cinco anos e também um calendário de implementação de itens de segurança obrigatórios nos automóveis vendidos aqui no país, seguindo três ciclos de implementações, cada um de cinco anos.

Na quarta-feira, executivos ouvidos por UOL Carros não quiseram opinar oficialmente sobre a tramitação final do "Rota 2030". Extra-oficialmente, porém, ainda havia dúvidas sobre a aprovação em Brasília. Executivo de uma marca europeia chegou a duvidar da participação de Temer na abertura do Salão, caso a medida não fosse aprovada e ressaltou que "sem a aprovação e sem uma previsibilidade de cenário, seria difícil para empresas instaladas no Brasil darem tranquilidade às matrizes para seguir com investimentos em novos carros e novas tecnologias".

Antonio Megale, presidente da Anfavea (a entidade que reúne as fabricantes automotivas do país), agradeceu a aprovação da medida provisória no Senado durante seu discurso. "Agradeço todo o empenho do presidente Temer para aprovar o 'Rota 2030'. Agora o Brasil pode se orgulhar de também ter uma política de pesquisa e desenvolvimento para o setor. Com o Rota, teremos condição de reter nossos pesquisadores e talentos no país. Além disso, vamos manter e atrair novos investimentos para cá, alguns dos quais só estavam aguardando pela aprovação do 'Rota'”, disse o executivo.

O setor projeta crescimento acima de 14% em 2018 para o setor, "graças ao presidente e sua equipe, que conseguiram tirar o país da recessão". Segundo Megale, "nos próximos 15 anos teremos veículos no melhor nível da indústria internacional".

Murilo Góes/UOL
"[Se] vem a notícia de que não foi aprovada, sairia daqui debaixo de vaias e agora saio sob aplausos” Imagem: Murilo Góes/UOL

Agenda

Temer chegou ao Salão por volta das 10h e, antes de discursar, na sua primeira visita ao evento durante seu mandato, percorreu estandes e conferiu algumas atrações. Ele chegou acompanhado de outras autoridades, como Marcos Jorge de Lima, ministro do MDIC (Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços) e Valter Silveira, ministro dos Transportes.

Logo após o cerimonial, o Salão de São Paulo abriu suas portas ao público geral pela primeira vez. O evento funcionará todos os dias até 18 de novembro, daqui a dois domingos. A organização espera bom nível de visitantes, uma vez que o evento ocorre durante dois feriados e também conjuntamente ao GP Brasil de Fórmula 1, neste final de semana.

Serviço

+ Data: 8 a 18 de novembro de 2018
+ Horário: de 8 a 17/11, das 13h às 22h; dia 18/11, das 11h às 19h
+ Endereço: São Paulo Expo - Rodovia dos Imigrantes, km 1,5, Jabaquara, Zona Sul - SP
+ Pavilhão fica a 800 m da estação Jabaquara do Metrô. Há transporte gratuito entre estação e pavilhão
+ Atrações paralelas: test-drive de vários modelos na parte externa do evento.

+ Ingressos: Primeiro dia: R$ 50 (R$ 25 a meia entrada); Demais dias: R$ 72 (R$ 36 a meia); Último dia: R$ 90 (R$ 45 a meia)
+ Obs: Crianças até 5 anos não pagam; crianças de 6 a 12 anos pagam meia
+ Estacionamento: R$ 45 para carros; R$ 25 para motos

Mais Salão de São Paulo