Topo

Salão de Paris


Carro elétrico consegue ser bonito? Novo Audi e-Tron é SUV que prova isso

Marcello Sant'Anna

Do Auto+, em Paris (França)

21/10/2018 08h00

Modelo que também troca retrovisores por câmeras pode vir ao Brasil até 2020

Modelos mais queridos e procurados do mercado mundial na atualidade, os SUVs começam a mostrar que podem ter vida longa ao aderirem à propulsão elétrica sem abrir mão de um desenho bonito.

Afinal, um dos questionamentos dos carros elétricos é justamente sobre seu design. É possível fazer um modelo sustentável que não seja feio?

Bom, quem puxou a fila dos utilitários-esportivos grandes e silenciosos foi o Tesla Model X, em 2015. Muitos o consideram "esquisito", outros o acham belo. Mas o importante destacar é que que lá para cá a concorrência apertou.

Veja mais

+ Kwid vira elétrico "popular" e chega ao Brasil até 2022
+ Quer negociar hatches, sedãs e SUVs? Use a Tabela Fipe
+ Inscreva-se no canal de UOL Carros no Youtube
+ Instagram oficial de UOL Carros
+ Siga UOL Carros no Twitter

Maior exemplo de SUV elétrico bem resolvido em termos de design é o novo Audi e-Tron, que utiliza a mesma base do Q8 e acelera forte com dois motores elétricos que entregam cerca de 400 cavalos -- e que ainda traz muitas novidades tecnológicas, como câmeras no lugar dos retrovisores externos.

Para ser exato, o motor do E-tron tem 360 cv de potência, mas com a função Boost, que pode ser acionada no painel ou entrar automaticamente quando o motorista pisa mais fundo, ele passa a entregar 408 cv -- e nesse modo a tração passa a ser integral (em modo normal ou quando menos exigido, a tração é traseira).

Roda até onde?

A Audi promete autonomia de 450 quilômetros, sempre a depender do ímpeto do motorista -- esse valor considera um rodar mais manso. Uma recarga em tomadas comuns leva entre seis e oito horas; já em uma estação de alta voltagem, pode receber o suficiente para rodar 100 km em um hora. Só que a ideia é usar redes especiais de "supercarga", para ter boa parte da bateria carregada em 30 minutos -- essa rede será estabelecida com acordos país a país, mas a ideia é ter 2 mil pontos pela Europa ao longo de 2019.

O retrovisor por câmeras chama a atenção: a imagem é transmitida para pequenas telas nas portas, no local onde modelos atuais instalam caixas de som, sensíveis ao toque para ajuste dos ângulos. É esquisito de olhar, apesar da tecnologia, uma vez que essas telas não estão na mesma altura dos retrovisores atuais.

São 4,90 metros de comprimento, com acabamento requintado no interior e bom espaço. Visual segue identidade da marca, com destaque para os LEDs dos faróis e à grade dianteira.

Um diferencial é a presença de duas entradas para o cabo de carregamento das baterias, uma de cada lado do veículo, com o charme de ficarem escondidas sob tampas retráteis que se abrem com um toque no logotipo do nome do carro.

Quer saber mais? Conheça outros detalhes do carro na vídeo-reportagem do Auto+, no topo desta página.

Mais Salão de Paris