Topo

Seu Automóvel

Ford vai matar Focus no Brasil em 2019; Ranger virará irmã da VW Amarok

Divulgação
Ford Focus hatch e também o sedã darão adeus ao mercado brasileiro Imagem: Divulgação

Fernando Calmon, Leonardo Felix, Vitor Matsubara

Do UOL, em São Paulo (SP)

01/10/2018 14h20

Fabricante já avisou fornecedores sobre encerramento da produção da família de médios; futura parceria com Volkswagen na América Latina envolverá apenas picapes

Enquanto a Europa aprecia uma nova geração do Ford Focus, na América do Sul a família de modelos médios está com os dias contados. UOL Carros apurou que na última sexta-feira (28) a fabricante avisou seus fornecedores brasileiros e argentinos que encerrará a produção de Focus hatch e sedã na fábrica de General Pacheco (Argentina) em maio de 2019.

Vendas devem seguir até o fim do próximo ano, a depender de quanto tempo durará o último estoque. Não haverá troca de plataforma nem substitutos.

Segundo fontes consultadas pela reportagem, a montadora desistirá temporariamente de ambos os segmentos, por não conseguir posicionar seus produtos de maneira adequada e, consequentemente, formar um volume de vendas satisfatório.

Veja mais

+ Eclipse Cross: veja preços e pacotes de equipamentos
+ Quer negociar hatches, sedãs e SUVs? Use a Tabela Fipe
+ Inscreva-se no canal de UOL Carros no Youtube
+ Instagram oficial de UOL Carros
+ Siga UOL Carros no Twitter

Para entender a decisão basta ver os números. O Focus hatch, por exemplo, vem sendo ofuscado por Chevrolet Cruze e Volkswagen Golf num já agonizante mercado, tendo emplacado meras 2.210 mil unidades entre janeiro e agosto de 2018, contra 3.731 mil do líder Cruze.

Já o três-volumes -- rebatizado em 2015 como "Ford Fastback", numa última tentativa de ganhar fôlego -- ocupa um discretíssimo quarto lugar em seu nicho, tendo vendido 3.130 exemplares nos oito primeiros meses do ano, muito aquém dos 38 mil Corolla, 17 mil Civic e 13 mil Cruze comercializados no mesmo período.

Somados, os dois Focus totalizam meros 5.330 emplacamentos no ano no Brasil, muito pouco para justificar uma sobrevida ou troca de geração. A tendência é que a montadora aposte mais em SUVs, crossovers e até picape de porte médio-compacto para suprir a ausência do Focus na faixa de preços entre R$ 90 mil e R$ 150 mil.

Divulgação
Ranger e Amarok estão perto de virarem parentes, tal qual já acontece com Frontier, Alaskan e Classe X Imagem: Divulgação

Autolatina volta na caçamba

Além de matar o Focus, a Ford está muito perto de consolidar uma parceria com a Volkswagen para tornar as picapes médias Ranger e Volkswagen Amarok "irmãs" na próxima geração. A negociação é reflexo da possível aliança entre as duas companhias para desenvolvimento conjunto de veículos, anunciada em junho.

Segundo a agência de notícias "Reuters", o presidente da Volkswagen para América Latina, Pablo di Si, teria confirmado que as conversas estão “avançando positivamente”.

Outras fontes revelaram à agência que o acordo deverá se assemelhar àquele envolvendo Mercedes-Benz Classe X, Renault Alaskan e Nissan Frontier. No caso, a Volkswagen poderia ter acesso ao projeto de Ranger a fim de criar uma substituta para a atual Amarok.

Em troca, a Volkswagen poderia ajudar na produção de outros veículos da Ford no mercado latino-americano, incluindo de passeio, o que reviveria de maneira plena os tempos da Autolatina, quando modelos das duas marcas eram produzidos em uma mesma fábrica.

Mais Seu Automóvel