Topo

Salão de São Paulo

Porsche terá novo Macan no Salão de SP; eletrificados ainda vão demorar

Eugênio Augusto Brito

Do UOL, em Monterey (EUA)

27/09/2018 15h22

Serão duas atrações para fãs de esportivos e SUVs da marca; Cayenne E-Hybrid fica para 2019

A decisão da matriz da Porsche de aposentar de vez motores a diesel e apostar em configurações eletrificadas ainda não vai ter efeitos totais sobre o Brasil. O estande da marca no Salão do Automóvel de São Paulo, em novembro, não vai ter SUVs a diesel, mas também não terá novidades ligadas na tomada.

Principal atração será o Macan revitalizado, linha 2019, com mudanças de meio de ciclo para o SUV médio, seguindo o que foi visto na Europa na virada do semestre. Mas ele não usa, nem usará sistema híbrido, só opções com motor a gasolina.

Quem esperava pela nova geração do Cayenne híbrido terá de apertar o "botão de pausa" da ansiedade até o ano que vem. Nada também do super-elétrico Taycan. Mas haverá um herói das pistas, o novo 911 GT3 RS.

Veja mais

Duelo: Volkswagen Tiguan ou Peugeot 5008, qual o melhor para 7?
Quer negociar hatches, sedãs e SUVs? Use a Tabela Fipe
Inscreva-se no canal de UOL Carros no Youtube
Instagram oficial de UOL Carros
Siga UOL Carros no Twitter

UOL Carros está nos Estados Unidos para acompanhar importante evento alusivo aos 70 anos da Porsche, onde ouviu de fontes ligadas à marca que o entrave para o novo Cayenne híbrido é o processo de homologação. Isso só estará concluído em 2019, perto do final do primeiro semestre.

Mas os planos são ambiciosos: a marca tem certeza de que esta será a principal configuração em nosso mercado do SUV grande, marcando um importante diferencial frente a rivais. Isso já ocorre na Europa, onde mais de 60% das vendas são do híbrido. Sem o diesel, será a grande aposta.

Para quem tem dúvida, basta olhar para o Panamera E-Hybrid, que já domina as entregas, inclusive por custar mais barato que as configurações a gasolina, graças ao imposto de importação reduzido (2% contra 35%) e que ainda terá redução de IPI a partir de novembro.

Sobre o Taycan, a ideia era ter pelo menos o conceito Mission-E no Salão de SP, mas a matriz acredita que não faz mais sentido mostrar um protótipo só público. O modelo real será apresentado já em 2019 e o Brasil estará na rota do elétrico.

Divulgação
Imagem: Divulgação

Modelos reais

Assim, a Porsche do Brasil vai falar nos carros citados acima, mas o foco será para Macan 2019, com mudanças de grade, faróis, lanternas, sistema multimídia e motorização.

Visual geral segue o modelo usado por 911, Panamera e Cayenne, com faróis maiores (com LED quádruplo), lanternas unificadas por guia de luz e, no interior, tela central sensível ao toque de 11 polegadas abrigando comunicação, configurações do carro, além de integração com smartphones.

Há ajustes no acerto do chassis e das suspensões. Sob o capô, o motor 2.0 turbo, se quatro cilindros, deve ter ampliação de potência. Novos são os V6: 3.0 turbo de quase 360 cavalos e 2.9 twinturbo de quase 440 cv podem estar disponíveis. É para acelerar muito com pouquíssima preocupação com confirmo ou emissões.

Já o 911 GT3 RS, homologado para pista, surgiu em Genebra, em março: o motor boxer aspirado de seis cilindros e 4 litros vai aos 520 cavalos, com máxima de 320 km/h e possibilidade de 0-100 km/h em 3,2 segundos.

Carroceria é toda aliviada de peso para garantir performance: para-choques, capô, saias, teto, barras estabilizadoras usam carbono na composição. Há ainda opção de pacote esportivo com bancos, cintos e extintor de competição adicionados à gaiola de proteção em fibra de carbono.

Preços? Essa informação, só em novembro.

Siga o UOL Carros no

* Viagem a convite da Porsche

Mais Salão de São Paulo