Topo

Testes e lançamentos


Avaliação: Fiat Toro Endurance vale a pena só se for "peladona" a R$ 90.990

Vitor Matsubara

Do UOL, em São Paulo (SP)

23/09/2018 08h00

Versão de entrada exclui itens para custar menos, mas traz trem-de-força da versão Freedom

Os comerciais leves vêm sendo a salvação da Fiat nos últimos anos. Números da Fenabrave no ano apontam liderança no segmento com quase 40% do mercado -- nos automóveis a Fiat ocupa um discreto sexto lugar com menos de 9% de participação. Parte deste crédito se deve à Toro, que não só foi o comercial leve mais vendido do país em agosto como se reveza no topo com a “irmã mais velha” Strada.

O bom resultado deve melhorar ainda mais com a chegada da versão de entrada Endurance. É verdade que a picape tabelada em R$ 90.990 dispensa alguns itens presentes em outros modelos da marca. Rodas de liga leve, rack de teto e faróis de neblina não vêm de fábrica e peças como maçanetas e capas dos espelhos retrovisores são pintadas de preto. E não para por aí: os espelhos retrovisores não tem regulagens elétricas e falta até rádio.

Veja mais

Strada chega à linha 2019 com nova versão Freedom: R$ 71.990
De Monza a Strada, veja 10 carros "não populares" que venderam bem
Quer negociar hatches, sedãs e SUVs? Use a Tabela Fipe
Inscreva-se no canal de UOL Carros no Youtube
Instagram oficial de UOL Carros
Siga UOL Carros no Twitter

Dito isso, vamos à lista de itens de série da Toro Endurance: controles de estabilidade e de tração, piloto automático, ar-condicionado, direção elétrica, vidros elétricos nas quatro portas, assistente de partida em rampas, protetor de caçamba, sensor de pressão nos pneus, sistema start-stop e rodas de aço cobertas com calotas.

A unidade cedida para avaliação à UOL Carros tinha ainda os pacotes opcionais Convenience Multimídia (formado por central multimídia Mopar com tela tátil de 6,2 polegadas (curiosamente maior do que a tela da central UConnect das versões mais caras), GPS, TV digital, DVD e Bluetooth, entrada USB, seis alto-falantes e volante multifuncional revestido em couro) e Convenience, que traz faróis de neblina, sensores de estacionamento traseiros, espelhos retrovisores com regulagem elétrica. Portanto, pode somar mais R$ 5.790, fazendo a conta subir para R$ 96.780. O exemplar das fotos ainda tinha a pintura metálica Cinza Antique (R$ 1.930), elevando o valor total para R$ 98.710.

Onde coloco?

Abra a porta e você vai se deparar com um padrão de acabamento condizente a uma versão de entrada -- ou seja, sem decepcionar nem chamar atenção pelo requinte. A posição de dirigir lembra mais um SUV do que uma picape e o volante de três raios tem boa empunhadura. A direção com assistência elétrica facilita as manobras em locais apertados. Já o quadro de instrumentos tem uma tela de TFT de 3,5 polegadas que facilita a visualização das informações. Os bancos são confortáveis e o espaço interno é razoável para uma picape cabine dupla, ainda que a Toro seja menor que modelos como Chevrolet S10 e Ford Ranger, pertencentes a um segmento superior.

Entretanto, a cabine da Toro podia ser mais versátil. Falta porta-objetos pelo interior, inclusive para objetos menores e corriqueiros, como carteira e telefone celular. Há apenas um porta-copos ao lado da alavanca de câmbio e os bolsos nos painéis das portas. E nada do engenhoso porta-objeto escondido debaixo do banco do passageiro.

Falta fôlego

Trem-de-força é o mesmo da versão Freedom: 1.8 flex de 139/135 cv e torque máximo de 19,2/18,7 kgfm. A transmissão é a automática de seis marchas com opção de trocas sequenciais. Se o conjunto até dá conta do recado no trânsito urbano, o motorista vai sentir falta de mais fôlego em viagens, principalmente se andar com o veículo lotado ou carga na caçamba -- cuja capacidade de carga é de 650 kg. Além do comportamento preguiçoso nas retomadas, o som do motor nas acelerações invade demais a cabine. O câmbio oferece até um modo Sport, recomendado para fazer a picape embalar, já que ele “segura” as marchas.

O consumo também é razoável. Números do Inmetro indicam 6,4 km/l na cidade e 7,8 km/l na estrada com etanol no tanque e 9,5 km/l no perímetro urbano e 11,2 km/l em percurso rodoviário com gasolina. No entanto, durante nossa avaliação de quase 400 km não conseguimos média superior a 6 km/l na cidade com etanol. Mesmo combinando trechos rodoviários não passamos dos 7 km/l.

A Toro Endurance nasceu como opção para quer mais do que uma picape leve ou simplesmente gosta da Toro. Entretanto, a versão Endurance é bom negócio apenas se adquirida sem opcionais. Se você não é adepto da vida simples, melhor poupar um pouco mais e partir para a versão Freedom, mais bonita e completa por R$ 102.990.

Mais Testes e lançamentos