Topo

Mobilidade

PSA lançará híbridos e elétricos em todos os modelos a partir de 2019

Cyril Zingaro/Keystone via AP
DS 7 Crossback abre nova era "eletrificada" do grupo PSA Imagem: Cyril Zingaro/Keystone via AP

Vitor Matsubara

Do UOL, em São Paulo (SP)

21/09/2018 11h50

Grupo PSA pretende apresentar 15 veículos "eletrificados" em apenas dois anos; meta é chegar a 100% da linha até 2025

Todos os novos modelos lançados pelas marcas do grupo PSA (Peugeot, Citroën, DS, Vauxhall e Opel) a partir de 2019 terão versões híbridas ou elétricas. Vale dizer que os modelos produzidos atualmente não serão descontinuados imediatamente.

Apesar disso, existe um movimento dentro do grupo francês que segue anúncios de outras montadoras que vão abolir gradativamente o motor a combustão nos próximos anos, como Volvo e Jaguar Land Rover.

Dentro de apenas dois anos, a PSA pretende lançar 15 veículos "eletrificados", incluindo carros com propulsão híbrida, híbrida plug-in e elétrica. Desta lista, já estão confirmados novidades como o DS7 Crossback E-Tense e versões de modelos já existentes, incluindo Peugeot 3008, Peugeot 508/508 SW, Citroën C5 Aircross, Vauxhall Grandland X e Opel Grandland X.

Os sete modelos restantes serão 100% elétricos, incluindo o recém-revelado DS3 Crossback E-Tense -- o primeiro representante desta nova fase do grupo PSA, já representada também em carros-conceito como o Peugeot e-Legend.

Veja mais

+ Avaliação: Citroën C4 Cactus anda bem, mas não bate rivais
+ Quer negociar hatches, sedãs e SUVs? Use a Tabela Fipe
+ Inscreva-se no canal de UOL Carros no Youtube
+ Instagram oficial de UOL Carros
+ Siga UOL Carros no Twitter

Vale lembrar que o governo francês pretende banir a circulação de veículos movidos a combustão até 2040. Em Paris, o veto pode acontecer uma década antes, em 2030.

O bolso agradece

Os veículos serão fabricados sob duas plataformas distintas: CMP (de Plataforma Modular Comum, traduzido para o português) e EMP2 (Plataforma Modular Eficiente). De acordo com a PSA, estas bases podem aproveitar "qualquer trem-de-força de sua linha atual de veículos a combustão, bem como motores de combustão interna, elétricos, e híbridos".

O compartilhamento de plataformas também representa economia de custos, já que todos estes veículos podem ser fabricados em uma mesma linha de montagem. Enquanto a base CMP é voltada para veículos de entrada da gama, a versátil plataforma EMP2 serve tanto a compactos quanto modelos maiores, como sedãs, cupês e SUVs.

A meta da PSA é atingir o índice de 100% da linha eletrificada até 2025.

Mais Mobilidade