Topo

Testes e lançamentos

Purosangue é nome do SUV da Ferrari; marca vai ter 15 novidades até 2022

Divulgação
Propulsão híbrida é uma das apostas da marca para os próximos cinco anos Imagem: Divulgação

Do UOL, em São Paulo (SP)

19/09/2018 04h00

Marca investirá em motorizações híbridas, conectividade e até condução semiautônoma

A Ferrari apresentou nesta terça-feira (18) seu plano estratégico para os próximos cinco anos. A marca vai lançar 15 modelos até 2022, incluindo a sucessora da LaFerrari e o primeiro SUV da marca, que já tem nome: Purosangue.

A marca não revelou muitos detalhes sobre o projeto, ao qual ela não define como sendo um SUV, e sim um veículo "gran turismo". 

Além de ingressar no segmento onde já estão rivais como Porsche e Lamborghini, a Ferrari vai apostar na sustentabilidade, revelando que 60% de sua linha de veículos terá motorização híbrida até 2022.

Veja mais

Clássicos: a Ferrari F40 que veio para o Brasil e não voltou
Quer negociar hatches, sedãs e SUVs? Use a Tabela Fipe
Inscreva-se no canal de UOL Carros no Youtube
Instagram de UOL Carros
Siga UOL Carros no Twitter

A montadora também confirmou planos de lançar uma nova família de motores V6, somando-se aos atuais V8 e V12. Também há planos para uma linha de motores híbridos turbo, entregando aproximadamente 400 cv e sem nenhum efeito de turbo lag.

Os novos modelos também sairão de fábrica com um "inovador" painel de instrumentos, novo volante e um sistema de entretenimento a bordo de última geração com foco na conectividade. E pasmem: a Ferrari está desenvolvendo um sistema de condução semiautônoma feito para aproveitar a tecnologia de inteligência artificial no futuro.

Projetos especiais

A linha de produtos da marca possuirá três divisões: Sport, Gran Turismo e Séries Especiais.

O grupo "Sport" vai responder pelos modelos mais famosos da Ferrari, incluindo "dois modelos com motor central-traseiro" e "uma gama completa de veículos 100% híbridos até 2021". Pouco foi antecipado à imprensa, mas a fabricante revelou que o sucessor da 488 será um projeto focado no prazer de dirigir -- norteando os futuros lançamentos desta linha.

A divisão "Gran Turismo" será concentrada em veículos que combinam "estilo, elegância e emoções ao volante", não esquecendo do conforto para os passageiros. Além do supracitado SUV Purosangue, haverá espaço para versões híbridas do tipo plug-in de alguns modelos. A marca também deu indícios da volta de um modelo elegante "com design único inspirado nos clássicos e refinados modelos Gran Turismo da Ferrari nas décadas de 1950 e 1960".

As Séries Especiais serão versões especiais de modelos já existentes na gama, mas com design exclusivo e mais potência -- como a LaFerrari Aperta. Todos os projetos serão comercializados em tiragem limitada.

Futuro do pretérito

Há ainda um quarto grupo chamado "Icona", formado por veículos especiais que serão "reinterpretações de modelos clássicos com materiais inovadores e tecnologias de ponta". Sendo assim, são grandes as chances destes carros terem design retrô, mas com motorizações híbridas e uso abundante de materiais leves.

Duas das criações desta subdivisão já foram reveladas pela Ferrari. São as Ferrari  Monza SP1 e SP2. A marca afirma que a fonte de inspiração para o design foram esportivos dos anos 40 e 50, como a 166 MM de 1948. Enquanto a SP1 traz apenas um banco para o motorista, a SP2 oferece dois lugares. Não há para-brisa em nenhum dos carros (embora a marca tenha patenteado uma tecnologia de "para-brisa virtual" capaz de desviar o vento para proporcionar mais conforto ao motorista) e as portas têm abertura para cima.

Ambas as criações são movidas por um motor 6.5 V12 de 810 cv e torque máximo de 73,3 kgfm. Segundo a Ferrari, os superesportivos precisam de 2,9 segundos para acelerar de 0 a 100 km/h e passam dos 300 km/h.

Divulgação
Monza SP1 tem lugar só para motorista e dispensa para-brisa Imagem: Divulgação

Mais Testes e lançamentos