Topo

Salão de São Paulo

Salão do Automóvel de São Paulo 2018 terá menos marcas e preço mais baixo

Marlene Bergamo/Folhapress
Salão do Automóvel menor pode ter público ligeiramente menor, também Imagem: Marlene Bergamo/Folhapress

Vitor Matsubara

Do UOL, em São Paulo (SP)

21/05/2018 13h17

Conectividade será lema do 30º Salão de SP, que acontece novamente no São Paulo Expo

No ano da 30ª edição, o Salão do Automóvel de São Paulo será um evento ligeiramente menor, mas com maior organização e mais conectividade, promete a organização. Assim como na edição de 2016, o evento deste ano acontecerá no São Paulo Expo (antigo Centro de Exposições Imigrantes), na zona sul da capital paulista, próximo à saída para o litoral sul.

Desta vez, a feira estará aberta ao público entre os dias 8 e 18 de novembro, sendo que o primeiro final de semana faz novamente a dobradinha com o GP Brasil de Fórmula 1.

Se o Salão de SP será um pouco menor, o preço também ficará ligeiramente mais baixo: no dia de abertura, os ingressos custarão R$ 42, passando a R$ 60 nos demais dias de semana e R$ 74 nos finais de semana e feriado -- em 2016, os valores eram de R$ 40, R$ 70 e R$ 95, respectivamente. 

Há meia entrada e ingressos especiais também, e UOL Carros dá todos estes valores na página especial com todos os detalhes do evento

Veja mais

+ Tudo sobre o Salão de São Paulo 2018
Como anda o Honda Civic Si de nova geração? Assista
Quer negociar hatches, sedãs e SUVs? Use a Tabela Fipe

Inscreva-se no canal de UOL Carros no Youtube
Instagram oficial de UOL Carros
Siga UOL Carros no Twitter

Marcas fora, público um pouco menor

Até o momento, 30 marcas estão confirmadas, enquanto a organização afirma haver espaço para novas adesões. A organização estima expor mais de 500 veiculos e receber mais de 700 mil visitantes -- em 2016, a organizadora Reed Exhibitions Alcantara Machado estipulou 715 mil visitantes no total.

Chamou atenção a ausência de Jaguar, Land Rover, Peugeot e Citroën. Embora a Reed diga que há tempo hábil para inclui-las no evento, as próprias empresas já afirmaram que não participarão da feira.

No caso da Jaguar Land Rover, a justificativa é dar prioridade para eventos que permitam experiência do público. Já o grupo PSA (responsável pelas marcas francesas) disse que "continuarão utilizando diversas outras plataformas e canais de comunicação para apresentação de seus produtos e relacionamento com seus consumidores".

JAC e Volvo são outras ausências confirmadas, já que ambas priorizam eventos próprios há algum tempo.

Lamborghini, Ferrari e McLaren devem ter espaço no evento, porém, garantindo sorrisos e fotos para os fãs de supercarros.

Público diz o que achou do Salão de SP em 2016

UOL Carros

Problemas não se repetirão?

Paulo Octávio, vice-presidente de marketing e vendas da organizadora , voltou a alfinetar a falta de estrutura do Pavilhão do Anhembi, mesmo sendo um palco já distante do salão, ao ser questionado sobre os problemas ocorridos em 2016, na primeira vez em que o São Paulo Expo foi utilizado como casa do evento. 

Na ocasião, público e profissionais envolvidos encararam s problemas como queda de energia, transtornos para acessar o evento de carro, a pé e mesmo com serviços de táxi e Uber -- todas falhas que a organização espera não repetir.

"Quem viu nosso passado recente percebeu o tamanho da evolução que tivemos [em relação ao evento sediado no Anhembi]", afirmou Octávio. "[O Salão de 2016] Foi o primeiro grande evento e problemas aconteceram. Acho que nem eles [a empresa dona do pavilhão] tinham controle total do que estavam fazendo. A falha de energia foi o único episódio ocorrido e as chances de ocorrer novamente são menores".

Sobre os problemas de estacionamento de 2016, Octávio afirma também que "houve uma falha da equipe de organização que não indicou a existência de outra saída. As outras duas alças de acesso estarão liberadas neste ano, facilitando a vida de quem chega ao evento pela Baixada Santista".

Este ano, haverá estacionamento para 6 mil veículos, sendo 4.500 vagas cobertas e outras 1.500 ao ar livre. 

Estacionamento para elétricos

Novidade de 2018 é uma ala reservada para carros elétricos e híbridos, com direito a carregadores.

Além disso, a área externa de atividades terá 23 mil metros quadrados, mais do que o dobro do espaço de 2016. Haverá test -drive de carros "normais" e elétricos e uma ala que agrupa soluções de mobilidade e até exibição de tecnologia de condução autônoma.

"O Salão do Automóvel foi feito para servir a indústria. A tecnologia disponível hoje é incrível. O mundo está mudando em uma velocidade muito grande e precisamos acompanhar esse ritmo", afirmou Leandro Lara, diretor do portfólio automotivo da Reed Exhibitions Alcantara Machado.

"Tenho certeza que esse será um salão de transformação, mostrando a evolução da indústria. Eletrificação, mobilidade e indústria 4.0 estarão presentes no salão, que refletirá essas mudanças", afirmou Antonio Megale, presidente da Anfavea.

Mais Salão de São Paulo