Topo

Mão na roda

Lâmpadas halógenas têm efeitos distintos; saiba qual é ideal para seu carro

Reprodução
Lâmpadas halógenas mais amareladas, as mais convencionais, são as mais seguras para se rodar em dias de chuva Imagem: Reprodução

Da Tuning Parts

Colaboração para o UOL*

15/05/2018 04h00

Conheça as diferenças entre as lâmpadas halogenas e compare-as com as de xênon. Depois, veja qual usar em seu carro

A iluminação dos faróis é um tema de grande relevância e que está sempre sendo ajustado pela legislação de trânsito. Muita gente quer deixar o carro mais arrojado ou melhorar a sua estética instalando diferentes tipos de luzes.

Mas, por estarem relacionados à segurança, os itens precisam ser legalizados e ter a qualidade atestada pelo Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia).

O tipo mais comum e versátil de lâmpada é a halogena, tipo de lâmpada incandescente com elementos halógenos dentro do bulbo, que permitem maior durabilidade, além de boa eficiência de iluminação.

Outro tipo de lâmpada, a de xênon (projetores com gás xenônio), por exemplo, só é permitida para os veículos que vieram com essa instalação de fábrica ou os que foram regularizados antes da "Resolução 384" do Contran, de 2011 -- esta alteração da lei proibiu seu uso em automóveis por conta.

Veja mais

Detran: "Puxar orelha de celebridades pode servir de exemplo no trânsito"
Quer negociar hatches, sedãs e SUVs? Use a Tabela Fipe
Inscreva-se no canal de UOL Carros no Youtube
Instagram oficial de UOL Carros
Siga UOL Carros no Twitter

Mas por quê?

Essa restrição ocorre porque, quando as luzes de xênon são instaladas de forma incorreta, a iluminação desregulada dos faróis pode ofuscar motoristas, tanto no mesmo sentido (pelos retrovisores), quanto na direção contrária, aumentando riscos de acidentes. Uma instalação irregular ainda pode também provocar problemas elétricos no carro.

Por outro lado, as lâmpadas halogenas de até 4.300k são homologadas pelo Inmetro para uso em qualquer modelo, garantindo versatilidade a baixo custo e com diferentes possibilidade de uso -- ainda que muita gente as considere... "ultrapassadas". 

Só que não é bem assim, já que essas lâmpadas se subdividem em quatro modelos: super-brancas; de longa duração para uso profissional; de longo alcance; e as convencionais, para reposição.

Através dessa análise sobre o conjunto de características mais importantes das lâmpadas, é possível ter ideia das principais diferenças e quais são os principais benefícios deste modelo de lâmpada.

Mais baratas e reguladas

Comparativamente, lâmpadas halogenas são mais indicadas para instalação em carros comuns por terem custo mais baixo e propiciarem iluminação mais adequada em dias chuvosos ou diferentes condições de luminosidade. 

Para abordar melhor seu conceito, explicamos a seguir quais são as quatro categorias:

1. Super-branca
Fernando Miragaya/UOL
Imagem: Fernando Miragaya/UOL

Apresenta ótima eficiência de iluminação, ao mesmo tempo em que torna a aparência do veículo mais "moderna", já que se faz presente em alguns modelos zero-quilômetro, deixando "no passado" a tonalidade amarelada das lâmpadas antigas -- ainda que muitos carros atualmente já tenham começado a utilizar LED em seus conjuntos.

No entanto, como o próprio nome diz, elas são comercializadas apenas com iluminação branca intensa, que não é a mais indicada para dias de chuva, além de apresentar risco maior de provocar ofuscamento e acidentes.

De qualquer modo, elas são uma das mais procuradas entre lâmpadas halogenas por serem indicadas aos consumidores que procuram durabilidade e estilo.

2. Longa duração
Murilo Góes/UOL
Imagem: Murilo Góes/UOL

Outro modelo de lâmpadas halogenas são as lâmpadas de alta duração, as mais recomendadas para uso profissional, ou seja, para motoristas que utilizam o veículo com grande frequência ao longo do dia e da noite, exigindo uso intenso. Elas são amareladas como as convencionais.

A nova lei de trânsito que determinou a obrigatoriedade do uso de faróis durante o dia nas estradas e ambientes de baixa luminosidade também contribuiu para o aumento do uso desse modelo, tendo em vista que elas possuem a intensidade adequada para não causar fadiga ocular nos demais motoristas.

De maneira geral, é possível calcular que a vida útil dessas lâmpadas de alta duração chega a ser até quatro vezes maior do que a de modelos comuns.

3. Longo alcance
Murilo Góes/UOL
Imagem: Murilo Góes/UOL

Tanto ao longo do dia em situações de baixa luminosidade como durante a noite, as lâmpadas de longo alcance têm como benefício o fato de ampliarem a visibilidade dos motoristas e tornarem os chamados "ambientes de risco" menos perigosos. O principal é que tudo isso é feito em segurança, dentro do que está permitido pela legislação.

Vale ressaltar que as lâmpadas de longo alcance foram desenvolvidas com objetivo de preservar e melhorar a iluminação original de fábrica, o que significa que, na maior parte dos casos, não é preciso fazer ajustes e/ou adaptações para adicioná-la.

4. Reposição (convencional)
Reprodução
Imagem: Reprodução

As lâmpadas de reposição são modelos fiéis às lâmpadas originais que vieram de fábrica. Desse modo, quando as originais queimam ou apresentam algum defeito, os condutores podem substituí-las rapidamente sem maiores problemas, evitando o risco de cometer infração.

Por serem iguais às originais, elas também podem ter a tonalidade levemente amarelada, o que as tornam o modelo mais seguro para dias de chuva.

* Conteúdo produzido pela Tuning Parts

Mais Mão na roda