Topo

Mão na roda

Renault Kwid já pode ser comprado pela internet; veja como funciona

Murilo Góes/UOL
Kwid é único modelo disponível na loja online da Renault por enquanto Imagem: Murilo Góes/UOL

Leonardo Felix

Do UOL, em São Paulo (SP)

27/04/2018 16h56

Projeto estava em fase piloto, mas já fez 5 mil vendas, inclusive pelo celular; preços são os mesmos

A Renault anuncia nesta sexta-feira (27) a criação do "K-Commerce", plataforma que permite a compra 100% online do Kwid, inclusive pelo celular. O nome do serviço faz um trocadilho entre a primeira letra do nome do subcompacto e a expressão "e-Commerce" (comércio eletrônico).

Na verdade, o sistema já estava pronto desde janeiro, funcionando como "piloto". Apresentado em agosto de 2017, aprovado em novembro e colocado online em 11 de janeiro deste ano, o "K-Commerce" recebeu 1,5 milhão de acessos e possibilitou a venda de 5.106 Renault Kwid, 70% deles pelo celular.

Preços serão os mesmos sugeridos no site oficial da Renault: R$ 30.990 (Kwid Life); R$ 36.740 (Kwid Zen); R$ 40.740 (Kwid Intense). Por ora, não há expectativa para vender outros modelos, mas no futuro a marca quer colocar acessórios e até contratação de seguro na plataforma.

Veja mais

+ Tudo sobre o Renault Kwid
No Brasil, novo Ka terá motor e câmbio novos
Quer negociar hatches, sedãs e SUVs? Use a Tabela Fipe
Inscreva-se no canal de UOL Carros no Youtube
Instagram oficial de UOL Carros
Siga UOL Carros no Twitter

Como faz?

Funciona assim: o potencial comprador do Kwid entra no site loja.renault.com.br, se cadastra (é possível usar dados de Facebook), escolhe versão e pintura, seleciona a forma de pagamento e o local de retirada do veículo.

Para que a compra se concretize, é necessária a aprovação do financiamento, algo que também acontece online. Valor de entrada e condições de financiamento são mostradas em telas para escolha. Aprovada a negociação, o cliente paga o boleto da entrada e recebe uma previsão de entrega do carro, levando em conta o local e a disponibilidade da versão escolhida.

Reprodução/Internet
Tela da "loja.renault.com.br" em ação: visual limpo e informações claras Imagem: Reprodução/Internet

Usado entra na compra online?

Segundo a fabricante, o próprio sistema permite também fazer a avaliação de um carro usado como parte do pagamento.

A plataforma fará uma estimativa de valor conforme a descrição passada pelo comprador, mas o usado terá de passar por uma avaliação física na concessionária no momento da troca. Ali, se for constatado que o veículo em questão vale menos do que o projetado pelo sistema, o cliente terá de pagar a diferença via boleto.

Se o cliente quiser cancelar a compra porque o usado foi muito depreciado pelo lojista, a entrada paga é devolvida e a negociação, cancelada.

Recebe em casa?

Onde é feita a entrega? E os prazos serão tão longos como ocorreu com a pré-venda? Apesar do processo online, é mantida a entrega na rede concessionária.

Sobre o prazo, Pedrucci afirma que a questão dos atrasos no período de pré-venda foram sanados. "O que aconteceu na pré-venda foi um 'boom', mas lá nós trabalhamos com previsões de entrega bastante elásticos", afirmou. Ainda segundo o executivo, "99% das reclamações que recebemos foram mais por causa da ansiedade dos clientes, o que entendemos perfeitamente", esclareceu.

Segundo a Renault, a entrega para o Estado de São Paulo deve ter um prazo médio de oito dias úteis, a partir da conclusão do pagamento da entrada.

Por trás da venda online

Luiz Pedrucci, presidente da Renault no Brasil, explicou que a ideia surgiu a partir da análise dos resultados da campanha pré-venda do Kwid, no ano passado (que fez sucesso com o mote do "milão no cartão"), quando a meta de encomendas foi superada em quatro vezes. 

"Já havíamos feito aquela ruptura com o Kwid, o consumidor se mostrou disposto a experimentar, o mercado estava favorável", explicou.

Plataforma é desenvolvida pela SAP e foi criada em 44 dias, integrando 15 diferentes sistemas. A grande sacada, segundo Pedrucci, é que ela será atualizada e aperfeiçoada a cada 15 dias, a partir dos dados coletados e erros apontados na navegação dos consumidores.

Esta não é a primeira iniciativa do tipo no Brasil, mas não há muitos exemplos. Desde o Salão de São Paulo de 2016, a Citroën mantém um programa semelhante, o "Citroën St@rt", que vende dois modelos em versões exclusivas, o C3 St@rt o Aircross St@rt.

Veja nossa avaliação do Kwid completo

UOL Carros

Mais Mão na roda