Topo

Testes e lançamentos

Ford Ka tem motor e câmbio novos; projeto tem incentivo de R$ 200 milhões

Vitor Matsubara/UOL
Ford Ka Freestyle, nova configuração aventureira do hatch que é chamada pela marca de "CUV" Imagem: Vitor Matsubara/UOL

Vitor Matsubara

Do UOL, em Taubaté (SP)

25/04/2018 14h22

Motor 1.5 3-cilindros e câmbio manual mais preciso passam a ser feitos no Brasil e estreiam no Ka Freestyle

Quase todo mundo já sabia, mas a Ford só tornou oficial agora: a linha 2019 da família Ka, reestilizada, utilizará o mesmo motor 1.5 3-cilindros da família Dragon presente no EcoSport desde meados do ano passado. Mais: será um motor nacionalizado, feito em Taubaté (SP), não mais importado da Índia.

Por enquanto a marca confirma a aposentadoria do antigo 1.5 Sigma -- de quatro cilindros e 110 cv com etanol -- apenas para o inédito Ka Freestyle (aventureiro), revelado em janeiro. UOL Carros, porém, pode afirmar que o novo motor tricilíndrico de 137 cv (etanol) estará presente também nas versões "civis" do Ka Hatchback e do Ka Sedan com novo visual.

Veja mais

+ Novo Ka Sedan surge quase sem camuflagem; veja flagra
+ Quer negociar hatches, sedãs e SUVs? Use a Tabela Fipe
+ Inscreva-se no canal de UOL Carros no Youtube
+ Instagram oficial de UOL Carros
+ Siga UOL Carros no Twitter

Não fica só nisso

Em cerimônia realizada nesta quarta-feira (25), na fábrica de motores de Taubaté, a fabricante anunciou que passará a produzir o motor 1.5 Dragon nacionalmente. Até então, ele era produzido na Índia, de onde chegava pronto. Em princípio tanto a família Ka quanto o EcoSport utilizarão o propulsor, mas a ideia é expandir seu uso no futuro (em especial para o Fiesta).

Tem mais. A montadora anunciou que uma nova caixa de câmbio manual de cinco marchas, denominada MX65, será produzida no complexo do interior paulista, também integrando a linha 2019 do Ka. Segundo a Ford, ela oferecerá trocas mais suaves e escalonamento de marchas diferente em relação à atual.

Tal notícia vem como um alento, pois o escalonamento do atual câmbio IB5 -- também de cinco velocidades -- usado pelo compacto desde seu lançamento até a linha 2018 talvez seja seu principal "calcanhar-de-Aquiles".

A Ford ainda não confirma, mas espera-se que, nos próximos anos, a nova transmissão manual seja propagada às versões de entrada do EcoSport e, quem sabe, ao Fiesta. Nossa reportagem também apurou que a linha 2019 do Ka oferecerá câmbio automático de seis marchas.

Vitor Matsubara/UOL
Motor 1.5 Dragon e câmbio MX65 manual de cinco marchas produzidos pela Ford no Brasil Imagem: Vitor Matsubara/UOL

Ajudinha de R$ 200 milhões

Com o novo conjunto motor-transmissão, a fabricante expandiu a capacidade produtiva de Taubaté para 500 mil propulsores e 500 mil caixas de câmbio anualmente. Não houve, entretanto, contratação de novos funcionários, o que significa que a unidade continua a operar com 1.300 colaboradores em três turnos.

Valor investido para atualização das linhas não foi revelado, mas o governador do Estado de São Paulo, Márcio França (PSB), deixou escapar durante a apresentação que a empresa recebeu R$ 200 milhões em incentivos fiscais para tocar o projeto.

E o turbo?

A Ford afirma ainda que "está preparada" para incorporar as tecnologias de turbo e injeção direta ao propulsor 1.5 3-cilindros.

Não há previsão, porém, de exportação nem do novo motor nem da nova transmissão produzidos nacionalmente, embora os veículos equipados com esses sistemas estejam previstos para venda em outros países.

Mais Testes e lançamentos