Topo

Seu Automóvel

Adeus Fiesta, Fusion: matriz da Ford só mantém SUVs, picapes e Mustang

Divulgação
Mostrado em abril, este será o último visual do Fusion Imagem: Divulgação

Eugênio Augusto Brito

Do UOL, em São Paulo (SP)

25/04/2018 23h12

Mercado norte-americano abandonará totalmente carros de passeio, empresa anunciou

Janeiro último, Salão de Detroit: a Ford chegou ao maior evento automotivo dos Estados Unidos sob olhares desconfiados do mundo inteiro, já que seu chefão Jim Hackett havia "falado mal" da ideia de vender carros dias antes. Acabou apresentando configurações de utilitários (como a Ranger Raptor) e tímidas mudanças para o Fusion. Ficou no "lucro", já que muitos apostavam em um estande sem novidades. Chegou abril e a empresa finalmente joga a bomba: vai abandonar a linha de carros de passeio, aposentando Fiesta, Fusion, Focus, Taurus, o policial Interceptor na América do Norte.

Veja mais

No Brasil, novo Ka terá motor e câmbio novos
Quer negociar hatches, sedãs e SUVs? Use a Tabela Fipe
Inscreva-se no canal de UOL Carros no Youtube
Instagram oficial de UOL Carros
Siga UOL Carros no Twitter

Tchau, carros

De acordo com anúncio feito para a imprensa norte-americana (EUA, Canadá e México), a Ford aponta que sua linha de produtos até 2020 será formada, em 90%, apenas por picapes, SUVs e veículos comerciais. Do "resto", vão sobrar apenas o ícone Mustang e o recém-apresentado Focus Active (hatch médio aventureiro), que chega aos EUA em 2019 e ainda é uma incógnita em termos de aceitação.

Ainda segundo a companhia, parte da aposta será no segmento de crossovers inusitados, como formas que combinam atributos de carros de passeio com versatilidade de carga e posição de dirigir de utilitários.

Segundo o "Autoblog.com", gerações futuras de F-150, Escape, Explorer e Mustang, bem como a reencarnação do Bronco e a retomada das vendas da Ranger farão parte de uma nova linha, que incluirá ainda 16 modelos eletrificados e conectados até 2020. Nós já haviamos sinalizado este futuro da empresa em março.

Essas mudanças, porém, não ocorrerão de um dia para outro, mas os modelos serão "aposentados" conforme seus prazos de mercado chegarem ao fim, sendo substituídos por novos tipos de modelos mais adequados ao cenário norte-americano.

Ou seja, o Fiesta não será mais encontrado nas lojas em breve, já que a nova geração entraria em circulação nos próximos meses. O Fusion deve durar de dois a três anos, já que foi remodelado há pouco. Mas modelos como o Taurus podem se despedir a qualquer momento, já que estão com prazo de validade vencido há algum tempo.

No lançamento da nova geração do Focus, há algumas semanas, UOL Carros já notou um visual muito mais alinhado ao mercado chinês (no caso do sedã) e também europeu (com hatch e a variante aventureira Active) do que ao americano. Resta torcer pela manutenção de sua fabricação na Argentina.

Ainda não sabemos, porém, o quanto isso vai influenciar o mercado brasileiro: certamente o Fusion deve sumir por aqui também, quando deixar de fazer sentido na América do Norte -- importado do México, seria dispensioso mantê-lo só para o Brasil, ao passo em que também seria impraticável trazê-lo da Europa, onde é chamado de Mondeo. O Fiesta é outro que pode sumir de vez: a novíssima geração europeia não veio e se esperava por uma solução norte-americana para substituir o atual modelo brasileiro -- solução que não existirá.

Resta torcer pela chegada do Escape -- que deve assumir os órfáos de Fusion -- e dos novos crossovers.

Mais Seu Automóvel