Topo

Cultura do carro

Jeep usa evento de clientes para aprimorar habilidades de seus carros 4x4

Divulgação/FCA
São quatro criações da Jeep (4 Speed, Sandstorm, B-Ute e Wagoneer Roadtrip) e três da Mopar (Nacho, Jeepster e J-Wagon) Imagem: Divulgação/FCA

Julio César Rivas

Da EFE, em Detroit (EUA)

07/04/2018 08h00

Tradicional nos EUA, Easter Jeep Safari é "laboratório ao ar livre"

Há 18 anos a Jeep participa de um evento chamado "Easter Jeep Safari" (Safári de Páscoa Jeep, em inglês), criado por entusiastas de veículos off-road da marca. Para a fabricante do grupo Fiat Chrysler (FCA), essa ocasião se transformou em um autêntico "laboratório ao ar livre".

Mas essa tradição vem de antes. Desde 1967, quando foi realizada a primeira edição do Jeep Safari, centenas de jipeiros se reúnem na semana de páscoa na cidade de Moab, em Utah (EUA), para explorar trilhas no deserto e pôr à prova seus veículos nas condições mais difíceis.

O evento é organizado pelo clube Red Rock 4-Wheelers e desde 2001 a Jeep participa de forma oficial com protótipos que são, na maioria, modelos atuais modificados com peças que ainda não chegaram ao mercado.

Veja mais

Mitsubishi Eclipse Cross chega este ano ao Brasil 
Quer negociar hatches, sedãs e SUVs? Use a Tabela Fipe
Inscreva-se no canal de UOL Carros no Youtube
Instagram oficial de UOL Carros
Siga UOL Carros no Twitter

Edição 2018

Neste ano, a marca se apresentou com sete protótipos, sendo quatro criações próprias (4 Speed, Sandstorm, B-Ute e Wagoneer  Roadtrip) e três da Mopar, a fabricante de peças e acessórios da FCA (Nacho, Jeepster e J-Wagon).

A diferença, segundo o diretor de Design da Jeep, Mark Allen, é que os protótipos não são decorativos como a maioria dos que são exibidos em salões do automóvel, e sim totalmente "funcionais".

"O que torna único o Easter Jeep Safari para nós é que construímos veículos e os levamos a Moab não só para exibí-los, mas para experimentá-los no ambiente para o qual são projetados", declarou o executivo.

Allen, que em 2001 foi quem tomou a decisão de que a Jeep passasse a participar do evento para testar suas capacidades e experimentar novos conceitos e tendências, não leva a Moab só automóveis, mas também engenheiros.

"Levamos gente que trabalha nos escritórios e que nunca experimentou a cultura Jeep para expô-los aos entusiastas. E ensinamos a dirigir off-road da forma como estes veículos têm que ser conduzidos", explicou. Os engenheiros reconhecem que a experiência é única, porque os entusiastas da marca Jeep, que em muitas partes dos Estados Unidos é idolatrada, "não são tímidos" na hora de expressar suas opiniões sobre os veículos da montadora.

"Tive várias conversas interessantes com as pessoas que foram ao Easter Jeep Safari", disse Allen. "Em Moab nos conectamos diretamente com nossos clientes. É extremamente importante. É como fazer pesquisa de produto sem que as pessoas saibam que estamos fazendo. Quando chegamos ao deserto, colocamos as mãos em nossos bolsos, nos calamos e escutamos o que têm a dizer", acrescentou.

Divulgação/FCA
Protótipos da Jeep e da Mopar são levados ao extremo no off-road do Easter Jeep Safari 2018 Imagem: Divulgação/FCA

Novo Wrangler

Dessas "sessões" com os entusiastas e da experiência de guiar veículos em Moab surgiram muitas das ideias que agora estão no novo Wrangler que a Jeep acaba de lançar -- e que UOL Carros conheceu no final do ano passado.

Da mesma forma, os protótipos que a Jeep levou neste ano ao evento têm detalhes dos próximos passos a serem dados pela marca.

Por exemplo, Todd Beddick, diretor da área de acessórios e alto rendimento da Mopar, afirmou que as portas tubulares do protótipo Nacho, baseado em um Wrangler Rubicon 2018 de duas portas, estarão à venda já nas próximas semanas.

O Jeepster, também baseado no Rubicon, e o J-Wagon, com inspiração em um Wrangler Saara, têm acessórios como faróis off-road de 5 e 7 polegadas de LED que provavelmente serão lançados no futuro.

Outra prova de como o Easter Jeep Safari é um verdadeiro laboratório de testes para a Jeep é o protótipo Sandstorm, com o motor de 6,4 litros em V8 da Mopar acoplado a uma transmissão manual de seis velocidades, eixos de alta resistência Dynatrac 60 e pneus de 39,5 polegadas.

"Com o Sandstorm, queremos iniciar a conversa sobre veículos off-road de alta velocidade. A Jeep é conhecida por off-roads de baixa velocidade, para superar inclinações rochas de grandes dimensões. Mas queremos ampliar a nossa gama e entrar em outras áreas de off-road", explica Allen.

Com o 4Speed, a Jeep quer destacar as capacidades naturais do Wrangler com o motor turbo de 2 litros de fábrica. "A única coisa que fizemos basicamente foi torná-lo mais leve, tirando elementos como o sistema de ar condicionado e calefação, além de acrescentar peças de fibra de carbono em vez de metal", disse Allen.

O Wagoneer Roadtrip, que utiliza um Wagoneer de 1965 restaurado e melhorado, é uma antecipação de um futuro modelo que a Jeep pode lançar nos próximos anos. "Moab é para nós o ápice do ano", concluiu o executivo.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Cultura do carro