Topo

Testes e lançamentos

VW T-Cross, SUV mais importante da marca, começa a ser feito no PR em 2019

Newspress
Nessa época ainda era conceito sem teto: Volkswagen T-Cross está cada vez mais perto... mas ainda vai levar um ano Imagem: Newspress

Leonardo Felix

Do UOL, em São José dos Pinhais (PR)

03/04/2018 10h30

Marca alemã confirma investimento de R$ 2 bilhões para fazer rival de Nissan Kicks, Honda HR-V, Jeep Renegade, Hyundai Creta e cia; modelo poderá ser visto no Salão de SP, mas só chega ao mercado no começo do próximo ano

A Volkswagen confirmou nesta terça-feira (3), em evento na fábrica de São José dos Pinhais (PR), a produção do SUV compacto T-Cross. A informação havia sido antecipada por UOL Carros em meados do ano passado. No total, serão gastos R$ 2 bilhões para que a marca possa enfim produzir seu primeiro SUV em território brasileiro, que também é o mais importante dos cinco utilitários esportivos que a marca lançará até 2020 no Brasil: será dele a missão de concorrer no super-aquecido segmento de Nissan Kicks, Honda HR-V, Jeep Renegade, Hyundai Creta, Chevrolet Tracker, Ford Ecosport e outros.

O modelo, porém, só chegará às lojas no primeiro trimestre de 2019, já que o cronograma oficial tem pequenos, mas significativos atrasos. Ainda assim, o modelo já é flagrado aqui e ali sob camuflagem; uma unidade de pré-produção deve ser mostrada em sessões secretas a jornalistas especializados, concessionários a talvez até a clientes, na próxima semana; depois, será a vez de expô-lo ao público em geral, em novembro, durante o Salão do Automóvel de São Paulo. A produção da versão final deve começar, de fato, em janeiro do próximo ano.

Veja mais

+ Nissan Kicks é líder de SUV em março: veja ranking
+ Novo Tiguan chega em abril com cinco e sete lugares

Quer negociar hatches, sedãs e SUVs? Use a Tabela Fipe
Inscreva-se no canal de UOL Carros no Youtube
Instagram oficial de UOL Carros
Siga UOL Carros no Twitter

Segure a ansiedade

"Vamos voltar a trabalhar com um turno completo em São José dos Pinhais em janeiro de 2019", afirmou o chefão da Volkswagen para América do Sul e Brasil, Pablo de Si, indicando na fala a data do início da produção definitiva do T-Cross.

Para adaptar a linha de produção à plataforma MQB A0 -- a mesma do hatch Polo e do sedã Virtus -- a fabricante investirá R$ 1,4 bilhão, sendo mais R$ 600 milhões para desenvolvimento e homologação do modelo. Com alta importância, o projeto tem assinatura de nomes de peso no atual momento da marca: o design do T-Cross é assinado por Arnaldo Cruzeiro, mineiro radicado na Alemanha, que acaba de entregar também o novo visual do Touareg

De acordo com a Volkswagen, a fabricação será iniciada ainda no primeiro trimestre de 2019, com princípio das vendas ainda no semestre inicial do próximo ano. Ainda de acordo com a montadora, o T-Cross será exportado do Brasil para “os principais mercados de América do Sul, América Central e Caribe”.

Como é o T-Cross

Embora a Volkswagen ainda não tenha confirmado os detalhes técnicos, UOL Carros pode afirmar que o SUV terá o mesmo entre-eixos do Virtus, 2,65 metros, o que deve torná-lo referência em espaço interno frente aos rivais compactos como Honda HR-V, Hyundai Creta e Nissan Kicks.

Visual será mais interessante que o do novo Tiguan: a base já foi revelada pelo conceito T-Cross Breeze no último Salão de SP, em 2016, sendo que detalhes de espaço interior e até de configurações inteligentes foram antecipadas no Salão de Genebra, em março último, pelo conceito checo Skoda X-Vision, "primo-irmão" europeu do T-Cross.

Nossa reportagem também aposta na utilização dos motores 1.0 e 1.4 da família TSI nacional (turboflex), respectivamente de 128 e 150 cv com etanol,  ambos acoplados a câmbio automático de seis marchas. Há ainda uma opção de uso do motor 1.6 flex, em pacote de entrada.

Cinco SUVs, mais a surpresa

Os R$ 1,4 bilhão investidos na linha de São José dos Pinhais serão usados para a ampliação do prédio onde ficará a linha de produção do T-Cross. Antes dele, a Volks trará do México a nova geração do Tiguan, que será lançada na próxima semana, chegando às lojas na sequência. A marca sabe que está atrasada no segmento de SUVs e tem pressa. 

Além de pressa, porém, tem um plano interessante e que prevê uma enxurrada de modelos para fechar todas as brechas e tentar compensar o tempo perdido com uma oferta que poucas rivais têm no momento -- ainda há tempo para um equilíbrio até 2020, o que só deve aumentar o leque de opções do consumidor. Além dos "cinco SUVs" repetidos à exaustão pelos executivos da Volkswagen, haverá ainda um elemento surpresa:

+ "SUV popular": pequeno, com equipamentos e entre-eixos de Polo (2,56 m); chega em 2020, com pretensões globais -- fabricação no Mercosul, apesar da fala do chefão da marca, que pode levar a imbróglio entre Brasil e Argentina. Nome ainda não está definido, mas Teramont é uma aposta;

+ Volkswagen T-Cross: entre-eixos do Virtus (2,65 m), rival de EcoSport, HR-V, Renegade etc, reservado a mercados como Brasil, América Latina, Caribe e países secundários da Europa. Feito no PR a partir de janeiro de 2019, é dele que falamos nesta reportagem; 

+ "Projeto Tarek": compacto premium, cinco lugares, entre-eixos de novo Jetta (2,68 m), também para Argentina, Brasil, América Latina e Caribe, além de países secundários da Europa. Feito na Argentina, chega entre 2020 e 2021 para rivalizar com Jeep Compass, Peugeot 3008, Novo Hyundai Tucson. Assim como primeiro modelo dessa lista, vai tirar o nome de uma lista com Tarek (mais cotado) e o próprio Teramont citado acima;

+ Volkswagen Tiguan: médio-compacto, com opções de cinco ou sete assentos e entre-eixos alongado, de 2,79 m, para Américas e China; na Europa, usa duas configurações de entre-eixos (curta e longa), mas sempre com cinco lugares. O Brasil trará o modelo por importação do México agora em abril, nas opções de cinco e sete lugares até que o "Projeto Tarek" chegue e ocupe o primeiro posto, mantendo o Tiguan apenas na configuração de sete assentos;

+ Volkswagen Atlas: modelo grande, mas ainda feito sobre a base MQB: são mais de 5 metros de comprimento, colossais 2,97 m de entre-eixos e espaço para sete pessoas. Lançado inicialmente apenas para o mercado dos EUA (é feito em Chattanooga), está tendo aceitação tão boa, que já entrou nos planos de China (onde usará o nome Teramont, reservado a outros modelos aqui na América Latina) e Brasil (onde deve chegar com o nome Atlas, mesmo) para concorrer com Chevrolet Trailblazer e Toyota SW4, entre outros;

Volkswagen Touareg 2019: SUV grande de luxo e único projeto derivado da base mais avançada da marca, a MLB, acaba de ser apresentado na China, com tecnologia (e preço) semelhante ao de modelos como o novo Audi Q7, Audi Q8 e Lamborghini Urus. Por conta disso, será caro e deve vir a alguns mercados -- como o Brasil -- apenas sob encomenda, diretamente da Europa. 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Testes e lançamentos