Topo

Salão de Nova York

VW Atlas Cross Sport é um BMW X6 "popular"; e será vendido no Brasil

Vitor Matsubara

Do UOL, em São Paulo (SP)

28/03/2018 12h39

Versão definitiva do SUV "acupêzado" deve chegar ao país em 2020

A Volkswagen levou para o Salão de Nova York uma novidade que interessa ao mercado brasileiro. Trata-se do Atlas Cross Sport Concept, um SUV conceitual que está quase pronto para virar realidade.

Apenas poucos detalhes, como as gigantescas rodas de 22 polegadas, não devem ser adotadas na versão definitiva, que será produzida nos Estados Unidos a partir de 2019 – e vendida no Brasil, possivelmente em 2020.

Veja mais

+ Novo Tiguan chega em abril com versões de cinco e sete lugares
Quer negociar hatches, sedãs e SUVs? Use a Tabela Fipe
Inscreva-se no canal de UOL Carros no Youtube
Instagram oficial de UOL Carros
Siga UOL Carros no Twitter

A escolha pelo Atlas Sport faz sentido, até porque o Atlas de sete lugares poderia roubar vendas do novo Touareg (que será vendido no mercado brasileiro sob encomenda), uma vez que ambos têm porte semelhante e poderiam até competir em preço dentro da linha Volkswagen. A marca, aliás, investirá em uma enxurrada de SUVs nos próximos anos -- na China, a marca revelou o modelo que será vendido no Brasil em 2020 para concorrer com o Jeep Compass.

Design estiloso, interior de Touareg

O porte mais musculoso fez muita gente comparar o conceito com o BMW X6, ainda que o representante da VW seja menos “acupêzado” do que seu controverso conterrâneo.

Mas não há como negar que a fórmula é parecida. Frente ao Atlas “convencional”, o Cross Sport é 19 centímetros mais curto, cinco centímetros mais baixo e três centímetros mais largo do que o utilitário esportivo de sete lugares. A plataforma é a mesma MQB empregada em diversos modelos do Grupo VW -- como o novo Jetta, que será lançado no Brasil neste ano.

Por dentro, o Atlas Sport traz muita coisa do novo Touareg, como a tela de 12,3 polegadas no lugar do painel de instrumentos, acompanhada de uma tela tátil da central multimídia, com 10,1 polegadas e reconhecimento de gestos.

Aceleração de esportivo

O SUV híbrido é movido pelo mesmo motor 3.6 V6 de 280 cv e 36,8 kgfm aplicado no Atlas, auxiliado por dois motores elétricos – o dianteiro tem 55 cv e 22,4 kgfm e o traseiro possui 115 cv e 27,5 kgfm.

A potência combinada é de 360 cv e 68,3 kgfm de torque máximo. Uma bateria de íon-lítio de 18 kWh instalada debaixo do túnel central permite rodar 42 quilômetros movido apenas a eletricidade. Dados da VW informam aceleração de 0 a 96 km/h em 5,4 segundos e velocidade máxima de 209 km/h.

São disponibilizados cinco modos de condução. O E-Mode atua quando há carga suficiente na bateria, transformando o Atlas em um veículo de tração traseira. O modo Híbrido faz o SUV virar um carro de tração dianteira com o motor traseiro atuando sob demanda, combinando a força do V6 com a da eletricidade.

O modo GTE é nada mais do que a configuração esportiva, na qual o veículo usufrui do torque máximo de 68,3 kgfm. O Atlas vira um carro com tração integral na opção Off-Road, que traz uma solução engenhosa se a carga da bateria estiver muito baixa: o motor a combustão carrega o motor elétrico dianteiro, que, por sua vez, alimenta o propulsor traseiro.

O quinto modo é o Battery Hold/Battery Charge, no qual o veículo preserva a carga da bateria ou faz uso do sistema de recuperação de energia para recarrega-la.

Curiosamente, a marca ofereceu também uma segunda opção de motorização híbrida, com o mesmo 3.6 V6 assistido por uma bateria de 2.0 kWh. Nesta condição, o Atlas Sport entregaria 314 cv. Por enquanto, porém, a própria VW não confirmou sua oferta no SUV.

Mais Salão de Nova York