Topo

Seu Automóvel

Crise faz Citroën romper com rede concessionária que trouxe marca ao país

Robson Ventura/Folha Imagem
Concessionária Citroën em São Paulo (SP): na maior cidade do país serão três revendas afetadas pela decisão Imagem: Robson Ventura/Folha Imagem

Leonardo Felix

Do UOL, em São Paulo (SP)

19/03/2018 12h28Atualizada em 19/03/2018 18h39

Após 28 anos, grupo SHC deixará de vender carros da marca francesa e fechará 12 revendas nas próximas semanas

A relação de 28 anos entre a PSA Peugeot-Citroën e o grupo SHC, do empresário Sergio Habib, está perto do fim. UOL Carros apurou que no dia 9 de março foi estabelecido o rompimento do acordo em que Habib opera 12 concessionárias Citroën e duas Peugeot em sete capitais brasileiras.

Parte desses pontos (cinco ou seis) será transformada em lojas da chinesa JAC, marca representada oficialmente por Habib no Brasil. Não sem passar por uma reestruturação que deve implicar em redução de tamanho. O restante será fechado. Funcionários já foram avisados e começaram a distribuir currículos entre a concorrência.

Serão afetadas: três lojas em São Paulo; duas no Rio de Janeiro (que são divididas entre Citroën e Peugeot); duas em Brasília (DF); duas em Curitiba (PR); uma em Porto Alegre (RS); uma em Belo Horizonte (MG); uma em Salvador (BA).

Veja mais

+ Toyota testa Prius Flex entre SP e Brasília
Quer negociar hatches, sedãs e SUVs? Use a Tabela Fipe
Inscreva-se no canal de UOL Carros no Youtube
Instagram oficial de UOL Carros
Siga UOL Carros no Twitter

Relação desgastada

Fontes consultadas pela nossa reportagem, que não quiseram ser identificadas, apontaram que o rompimento não foi amigável e aflorou todo o desgaste que existia na relação entre Peugeot-Citroën e grupo SHC.

De um lado, a PSA se mostrava insatisfeita com os serviços de pós-venda prestados por Habib, justamente numa fase em que tenta colocar fim ao estigma de ser uma fabricante que "deixa seus consumidores na mão".

Do outro, o empresário se sentia "fritado" e não vinha conseguindo autorização sequer para adequar o tamanho das lojas à nova realidade de volume de vendas da marca.

Num cenário em que a Citroën é uma das únicas atuantes no mercado brasileiro a apresentar queda nas comercializações em 2018, enquanto todas as outras (incluindo a própria Peugeot) iniciaram um processo de retomada, os prejuízos tornaram o negócio insustentável e teria partido de Habib, então, a decisão de encerrar a parceria.

Casamento de 28 anos

O "casamento" entre SHC e Citroën começou em 1990, em meio à chamada "abertura econômica" brasileira. O empresário se tornou importador oficial da fabricante no país, em esquema similar ao que é praticado até hoje pelos grupos Caoa (Hyundai, Chery e Subaru), HPE (Mitsubishi e Suzuki) e Gandini (Kia), além do próprio SHC em relação à JAC.

Em 98, quando a PSA resolveu estabelecer uma filial e anunciou uma fábrica em Porto Real (RJ), Habib foi convidado a ser presidente da divisão brasileira da Citroën. Manteve-se no cargo até 2008 e, nesse período, expandiu sua rede de concessionárias da marca a 44 pontos. Autointitulou-se, à época, como "o maior vendedor de veículos Citroën do mundo".

Após deixar o cargo, seguiu operando as lojas da marca até o princípio deste ano. Devido à forte queda na participação da PSA em nosso mercado, o número de revendas foi gradativamente reduzido às atuais 12.

O que diz a PSA

Procurada, a Peugeot-Citroën afirmou, por meio de sua assessoria de comunicação, que "não tem intenção de reduzir" sua rede e que "está analisando sua presença em cada uma das praças" afetadas pelo fechamento das revendas operadas por Habib. Confira a resposta na íntegra:

“Há hoje um processo de encerramento das operações comerciais das lojas Peugeot e Citroën do grupo SHC, que ocorrerá dentro dos prazos estabelecidos pela lei. Estamos analisando nossa presença em cada uma das praças onde o grupo atua, e nas quais já possuímos outros concessionários. Não temos intenção de redução da rede levando em conta esse processo e a recuperação do mercado brasileiro. É importante ressaltar que, uma vez encerradas as operações comerciais do grupo SHC conosco, nossos clientes continuarão sendo atendidos normalmente por outros pontos de nossas marcas nas praças onde ele hoje atua."

O que diz o grupo SHC

Também em comunicado exclusivo enviado à reportagem de UOL Carros, o grupo SHC informou que pretende transformar boa parte das lojas Citroën e Peugeot em revendas JAC. Veja:

"Depois de 28 anos de relacionamento, o Grupo SHC notificou formalmente a PSA, no último dia 9, que está interrompendo a distribuição de veículos das marcas Citroën e Peugeot no Brasil. No lugar da maioria dessas lojas, o Grupo SHC vai abrir concessionárias JAC Motors, ampliando a presença da marca no país."

C4 Cactus: veja como é o SUV que será feito no Brasil

UOL Carros

Mais Seu Automóvel