Topo

Salão de Genebra

Volkswagen T-Cross tem segredos revelados em Genebra por "irmão" checo

Eugênio Augusto Brito e Leonardo Felix

Do UOL, em São Paulo (SP)

07/03/2018 04h00

Conceito Skoda Vision X tem mesma plataforma e entre-eixos do futuro SUV nacional; assista e conheça

Quem acompanha a cobertura de UOL Carros já tem um dossiê um tanto encorpado sobre o T-Cross, o SUV compacto que a Volkswagen começará a produzir no começo de 2019 em São José dos Pinhais (PR). Criado para encarar Honda HR-V, Hyundai Creta e afins, o modelo usará a plataforma modular MQB A0 terá o mesmo entre-eixos do sedã Virtus, 2,65 metros.

Pois a Skoda, subsidiária do grupo Volkswagen, revelou mais um pouco de como deve ser o T-Cross com o conceito Vision X, revelado no Salão de Genebra 2018. Mas espere lá: o que um carro de uma marca tcheca, que sequer existe no mercado brasileiro, tem a ver com isso? Neste caso, tudo.

O Vision X também nasce da matriz MQB A0 e, tal qual acontece com o Seat Ibiza em relação ao novo Polo, será uma espécie de "irmão gêmeo bivitelino" do T-Cross. UOL Carros conheceu o protótipo de perto na mostra suíça e "pescou" detalhes que certamente estarão presentes no T-Cross.

Para ver como ficou o arrojado conceito em detalhes, é só conferir no vídeo que abre esta reportagem.

Veja mais

+ Toyota Auris dá pistas sobre próximo Corolla
Quer negociar hatches, sedãs e SUVs? Use a Tabela Fipe
Inscreva-se no canal de UOL Carros no Youtube
Instagram oficial de UOL Carros
Siga UOL Carros no Twitter 

Detalhes em comum

Com o T-Cross o Vision X compartilha a matriz MQB A0, incluindo a mesmíssima distância entre-eixos de ótimos 2.65 metros. Ao mesmo tempo, possui balanços dianteiro e traseiro bastante curtos, o que o deixa com 4,25 m de comprimento. Como comparação, um Honda HR-V é 4 cm mais comprido, embora tenha 3 cm a menos entre os eixos.

No caso do SUV brasileiro, porém, espera-se dimensões gerais um pouco mais generosas, especialmente para que o volume do porta-malas supere os 430 litros -- o Vision X possui meros 380 -- e alcence (talvez supere) o patamar oferecido pelos rivais HR-V, Creta, Nissan Kicks e Hyundai Creta.

Por dentro, desenho do volante e do painel do protótipo fornecem boas pistas do que vem por aí com o T-Cross. Quadro de instrumentos 100% digital, presente no conceito checo, certamente estará em nosso utilitário, pois já compõe as versões de topo de Polo e Virtus, outros usuários da plataforma MQB A0.

A grande surpresa está na faixa central do painel, que ostenta central multimídia com tela flutuante. No Polo e no Virtus brasileiros a Volkswagen optou por deixar a peça totalmente integrada, mas quem sabe não resolva dar esse toque extra ao T-Cross...

Um irmão mais ousado

A partir daqui o Vision X se mostra, pelo menos conceitualmente, mais tecnológico e arrojado do que o T-Cross deverá ser. A começar pela propulsão. Enquanto o utilitário brasileiro seguirá a receita da combustão convencional, embora com auxílio da tecnologia turboflex (1.0 TSI de 128 cv e 1.4 TSI de 150 cv), o "irmão gêmeo" checo usará a opção 1.5 G-tron de 132 cv e 25,5 kgfm, capaz de receber gasolina ou gás veicular.

Outro destaque do protótipo da Skoda é o sistema "microhíbrido" de tração 4x4 a partir de dois motores elétricos, alimentados pela recuperação da energia cinética dissipada nas frenagens. Tal conjunto entrega força simultaneamente aos dois eixos de maneira ininterrupta por até 3 km, gerando 27 cv e 7,2 kgfm extras. Mais do que isso: sob determinadas circunstâncias, permite gerar mais de 100 kgfm instantâneos.

Visual também é bem mais arrojado do que provavelmente será o do T-Cross, especialmente pela grade convexa e o conjunto óptico dianteiro dividido em três níveis (tal qual Citroën C4 Picasso ou Fiat Toro).

O conceito traz ainda maçanetas sensíveis ao toque dos dedos e até um drone pendurado no bagageiro, mas aí a  Esses itens, pode ter certeza, o nosso T-Cross não terá, e certamente o Skoda Vision de produção também não.

Mais Salão de Genebra