Topo

Salão de Genebra

Citroën confirma que fará C4 Cactus no Brasil; veja como será o SUV

Eugênio Augusto Brito e Leonardo Felix

Do UOL, em Genebra (Suíça) e São Paulo (SP)

07/03/2018 12h45

CEO global da marca anunciou fabricação no segundo semestre; conheça detalhes do modelo direto do Salão de Genebra

A Citroën vinha tentando guardar segredo no Brasil, mas a diretora-executiva global da marca, Linda Jackson, abriu o jogo por conta própria. Durante a conferência da marca no Salão de Genebra a executiva confirmou a produção local do SUV C4 Cactus no Brasil a partir do segundo semestre de 2018.

UOL Carros já havia antecipado a informação em janeiro. Ainda não está certo, porém, se a fabricante conseguirá colocar o modelo nas ruas antes do Salão de São Paulo, em novembro, ou se fará o lançamento na mostra.

Certo é que ele é um produto primordial para a retomada da Citroën no Brasil -- no primeiro bimestre de 2018 a marca foi uma das únicas a terem sofrido queda nas vendas, na casa de 5%, enquanto praticamente todo o restante do mercado vive fase de recuperação das quedas sofridas entre 2014 e 16.

Fabricação será em Porto Real (RJ), a partir da plataforma PF1, que já dá vida por aqui a C3, Aircross, 208 e 2008. Além de ser vendido no próprio Brasil, obviamente, o C4 Cactus deve ser exportado a mercados latino americanos, como Argentina, Uruguai, Paraguai e Colômbia.

Veja mais

+ Toyota Auris dá pistas sobre próximo Corolla
+ Quer negociar hatches, sedãs e SUVs? Use a Tabela Fipe
+Inscreva-se no canal de UOL Carros no Youtube
+ Instagram oficial de UOL Carros
+ Siga UOL Carros no Twitter

Mesmo prato, ingredientes diferentes

É claro que haverá adaptações locais ao projeto comparando com a Europa. Embora a fabricante ainda não confirme, é provável que o C4 Cactus nacional utilize nas versões básicas o conhecido motor 1.6 FlexStart 4-cilindros de 115/118 cv (gasolina/etanol), acoplado ao câmbio manual de cinco ou automático de seis marchas.

Nas versões de topo o propulsor será o 1.6 turboflex de 165/173 cv (aplicado no Citroën C4 Lounge), usando as mesmas opções de transmissão. Dimensões, porém, devem ser idênticas às do carro europeu, com 4,15 metros de comprimento, 2,59 m de entre-eixos e 358 litros de volume do porta-malas.

Não há confirmação se o C4 Cactus brasileiro manterá o extravagante painel da configuração europeia, dotado de quadro de instrumentos e central multimídia flutuantes, porta-luvas com abertura para cima e tampa decorada, e tiras de couro que lembram alças de malas no próprio painel e também nos puxadores de portas. Nossa reportagem aposta que esses elementos devem ser adaptados a uma realidade mais "convencional" de nosso mercado.

Filipe Cazoni/UOL
Conforme mostra este flagra, janelas laterais traseiras do C4 Cactus brasileiro devem abandonar o excêntrico sistema basculante do europeu e receber vidros tradicionais Imagem: Filipe Cazoni/UOL
Visual externo deve ser muito similar ao da unidade que UOL Carros conheceu de perto no Salão de Genebra (confira no álbum). Trata-se de uma reestilização da polêmica geração lançada em 2014. Mais limpo e até "adulto", o facelift tenta deixar o modelo afeito ao gosto dos consumidores, inclusive brasileiros. Parece bem-sucedido nesse sentido.

Só que um item em específico será modificado: os vidros laterais traseiros basculantes devem ser trocados por peças convencionalmente retráteis e com abertura e fechamento elétricos. É por isso que num dos primeiros flagras do modelo, publicado em novembro de 2017, o protótipo estava desprovido de portas laterais traseiras -- provavelmente ainda em desenvolvimento. Neste outro, de janeiro deste ano, é possível perceber o contorno diferente das janelas em relação ao carro europeu.

Afinal, em se tratando do conservador cliente brasileiro, é bom evitar soluções excêntricas demais. O que não deixará de ser controverso é se o C4 Cactus merecerá mesmo ser chamado de "SUV", já que sua carroceria tende mais para a silhueta de um "hatch anabolizado", quiçá um crossover.

Mais Salão de Genebra