Topo

Testes e lançamentos

Volkswagen Virtus ou Fiat Cronos? Veja qual proposta é melhor para você

Marcelo Ferraz/Divulgação/Arte UOL
Volkswagen Virtus e Fiat Cronos reacendem o mercado brasileiro de sedãs Imagem: Marcelo Ferraz/Divulgação/Arte UOL

Leonardo Felix

Do UOL, em São Paulo (SP)

06/02/2018 04h00

Novos sedãs iniciam "a" rivalidade do ano, mas com características bem diferentes. Saiba quais são os prós e contras de cada um

Volkswagen Virtus e Fiat Cronos: dois sedãs com pegada "premium" baseados em hatches que são concorrentes diretos, Polo e Argo. Ambos chegam ao mercado quase ao mesmo tempo -- enquanto o primeiro ganhou as ruas no fim de janeiro, o segundo estará no Brasil no fim de fevereiro, sendo lançado algumas semanas antes da Argentina.

Isso significa que serão rivais ferrenhos, certo? Mais ou menos.

Virtus e Cronos terão faixa de preços conflitante nas versões intermediárias, usarão soluções parecidas -- como a ausência de versões com motorização 1.0 aspirada -- e estarão presentes em um mesmo segmento, mas a verdade é que possuem características bastante distintas e, por isso, vão pescar consumidores de perfil diferente.

Qual dos modelos é o melhor para sua garagem? Entenda abaixo os prós e contras de cada um antes de tomar a decisão de compra.

Veja mais

+ Saiba tudo sobre o Volkswagen Virtus
Quer negociar hatches, sedãs e SUVs? Use a Tabela Fipe

Inscreva-se no canal de UOL Carros no Youtube
Instagram oficial de UOL Carros
Siga UOL Carros no Twitter

Cronos: estilo é tudo

Conforme UOL Carros já apontou, o Cronos terá uma série de diferenças em relação ao irmão Argo, preocupação que a Volkswagen não teve ao deixar o Virtus exatamente com a mesma frente do Polo. Há a clara intenção por parte da Fiat de exibi-lo como um carro visualmente menos esportivo e mais elegante do que o hatch, tanto com modificações estéticas aplicadas ao exterior do veículo quanto em relação a retoques no acabamento interno.

Afinal, conforme já publicado por veículos de comunicação impressos -- UOL Carros já conheceu o modelo, mas só poderá publicar suas impressões na próxima quarta-feira (7) --, o três-volumes terá o mesmo entre-eixos do Argo, 2,52 metros, o que significa que o espaço da cabine não causará o mesmo impacto do Virtus. É preciso chamar a atenção por outras vias.

Porte mais compacto pode ter suas vantagens, como uma maior agilidade na condução em ambiente urbano. Além disso, o modelo não decepcionará em um quesito relevante importante para qualquer sedã: porta-malas -- que, no caso do Cronos, de acordo com o que também vem sendo tornado público, possui 525 litros (ante 521 litros do Virtus).

Agora o mais importante: o modelo será -- e terá de ser, já que é menor -- mais acessível: nossas previsões do início de janeiro apontam para um patamar de preços entre R$ 58 mil e R$ 73 mil em quatro versões (Drive 1.3 manual ou automatizada; Precision 1.8 manual ou automática). Com opcionais o teto ficará bem próximo de R$ 80 mil. O Virtus, lembremos, começa em R$ 59.990 e alcança a casa R$ 87 mil quando "completaço".

Com tais características, é mais fácil imaginar o Cronos como primeiro modelo de uma família recém-formada, com um ou talvez até sem filhos.

Divulgação
Fiat Cronos aposta em visual elegante e levemente descolado do Argo para ganhar destaque Imagem: Divulgação

Virtus: foco em espaço

É verdade que a "cara" do Virtus está idêntica à do Polo, mas a Volkswagen soube aproveitar muito bem a plataforma modular MQB A0 para deixá-lo 9 cm mais esticado do que hatch em entre-eixos, atingindo excelentes 2,65 metros nessa dimensão. Resultado: o três-volumes já se tornou referência em espaço interno, seja para passageiros ou para bagagens.

Outro ponto forte está em desempenho e dinâmica de condução. Potenciais compradores do Virtus terão à disposição suspensões surpreendentemente macias e ainda dois motores bastante eficientes: 1.6 MSI 16V de quatro cilindros (110/117 cv e 15,8/16,5 kgfm com gasolina/etanol) e 1.0 TSI 12V 3-cilindros turbo com injeção direta (115/128 cv e 20,4 kgfm), ambos superiores ao 1.3 FireFly 8V 4-cilindros (101/109 cv e 13,7/14,2 kgfm) e ao 1.8 E-torq 16V 4-cilindros (135/139 cv e 18,8/19,3 kgfm) do Cronos.

Lista de versões é mais enxuta que a do rival da Fiat e por enquanto não há opção de unir a configuração aspirada de 1,6 litro a câmbio automático -- tal versão deve ser lançada provavelmente só no fim deste ano ou em 2019, depois que o Polo passar a usá-la. Ponto para o Cronos, mesmo que a caixa acoplada ao propulsor 1.3 FireFly seja a controversa automatizada monoembreagem GSR (uma evolução do antigo Dualogic).

Também deixa a desejar o acabamento. Embora bastante correto, é excessivamente simples e sóbrio, ficando um nível abaixo do restante de um conjunto cujo porte e o preço se aproximam do patamar de sedãs maiores.

Conclusão: o Virtus tende a ser mais visado por clientes um pouco mais velhos e mães/pais de famílias com um ou mais filhos, que precisam de espaço generoso e não podem (ou não querem) lidar com os custos de manutenção mais salgados de um carro médio -- a Volkswagen promete oferecer plano de revisões até 60 mil km e cesta de peças em patamar semelhante ao de modelos efetivamente compactos.

Avaliação: veja como anda o Virtus Highline 200 TSI

UOL Carros

Mais Testes e lançamentos