Topo

Seu Automóvel

Acelerar e frear com as mãos: veja como é dirigir carro adaptado para PCD

Alessandro Reis

Colaboração para o UOL

22/01/2018 04h00

Testamos Honda WR-V modificado para quem não pode usar os pés

Por lei, pessoas com deficiência (PCD) têm isenção de tributos como ICMS e IPI na hora de comprar automóveis zero km. Para carros que custam até R$ 70 mil, os descontos são muito atraentes.

Mas fique ligado: os custos podem não parar por aí, já que dependendo do tipo de deficiência é necessário gastar mais para adaptar alguns comandos do automóvel, como volante e pedais.

Além desse custo adicional, o deficiente também precisa de um tempo para se adaptar ao jeito diferente de dirigir. Paraplégicos, por exemplo, podem dirigir usando apenas as mãos, acelerando e freando, desde que o modelo tenha câmbio automático. Mas como é isso?

Veja também

Feira mostra que isenção em carro não vale só para deficiente
Com paciência, deficiente pode ter 25% de desconto no carro zero
Quer negociar hatches, sedãs e SUVs? Use a Tabela Fipe
Inscreva-se no canal de UOL Carros no Youtube
Instagram oficial de UOL Carros
Siga UOL Carros no Twitter

Acelerando e freando com a mão

Reportagem de UOL Carros teve a oportunidade de passar alguns dias com um Honda WR-V adaptado justamente para ter a sensação de como é guiar sem usar os pés.

O WR-V em questão trazia um equipamento chamado "comando manual", que consiste em um conjunto de varões conectados aos pedais e a uma alavanca na parte de trás do volante, geralmente posicionada ao lado esquerdo, liberando a mão direita para tarefas como acionar o freio de estacionamento e operar os comandos do ar-condicionado, por exemplo.

Na teoria, o funcionamento é bastante simples: para acelerar, basta puxar a alavanca; pressionando-a em direção ao painel, o carro freia. Dirigir desse jeito exige literalmente um reaprendizado. O mais difícil é "pegar a manha" e conseguir controlar corretamente a modulação do acelerador e dos freios.

Uma roldana presa à direção ajuda a executar manobras com apenas uma das mãos. É preciso ter coordenação, especialmente os destros -- embora exista margem para personalização do equipamento, que inclui troca da posição da alavanca para os canhotos.

Murilo Góes/UOL
Na teoria, o funcionamento é bastante simples: para acelerar, basta puxar a alavanca; pressionando-a em direção ao painel, o carro freia. Mas na prática dirigir desse jeito exige um reaprendizado Imagem: Murilo Góes/UOL

E a lei?

De acordo com o CTB (Código de Trânsito Brasileiro), conforme previsto no Artigo 252, dirigir com apenas uma das mãos, desde que seja para acionar equipamentos e acessórios do veículo, não configura infração de trânsito.

A adaptação do WR-V foi feita pela Cavenaghi e custa R$ 1.360 para o WR-V. Em veículos da Honda, o equipamento não pode ser adquirido diretamente na concessionária -- é preciso providenciar a adaptação por conta após a compra do veículo.

Com preço tabelado em R$ 83.400, o WR-V  EXL, com câmbio CVT, sai por R$ 74.522,47 com pintura sólida -- desconto de quase R$ 9 mil é referente apenas à isenção do IPI, enquanto o ICMS é recolhido normalmente, por ultrapassar o teto imposto pela lei, de R$ 70 mil.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Seu Automóvel