Carros

Ex-executivo da Volkswagen nos EUA é condenado a sete anos de prisão

Broward County Sheriff's Office/AP Photo
Oliver Schmidt, ex-gerente da Volkswagen responsável pela inspeção de emissões, condenado a sete anos de prisão pelo dieselgate Imagem: Broward County Sheriff's Office/AP Photo

Do UOL, em São Paulo (SP), com agências

08/12/2017 10h47

O ex-gerente responsável pelas inspeções ambientais dos veículos da Volkswagen nos Estados Unidos, Oliver Schmidt, foi condenado nesta semana a sete anos de prisão pela Justiça americana. Ele se tornou o segundo ex-executivo da empresa a ter uma sentença definida por participação no dieselgate, escândalo de fraude nos dados de emissões em motores a diesel.

Sean Cox, juiz responsável pela condenação, descreveu Schmidt como "conspirador-chave" na fraude. "Estou certo, com base no bom senso, de que você enxergou esse encobrimento como uma oportunidade para brilhar, a fim de subir na escada corporativa da Volkswagen", afirmou o juiz na decisão. "Seu objetivo era impressionar as chefias superiores."

Veja mais

Vazou: todos os lançamentos da VW no Brasil até 2020
Quer negociar hatches, sedãs e SUVs? Use a Tabela Fipe

Inscreva-se no canal de UOL Carros no Youtube
Instagram oficial de UOL Carros
Siga UOL Carros no Twitter

Segundo a Justiça americana, Schmidt enganou os reguladores que investigavam por que os veículos da empresa emitiam mais poluentes durante o uso convencional do que nos testes. Ao ser questionado pelas autoridades, ele teria fornecido respostas que ocultavam o fato de que a empresa fraudava os exames por meio da instalação de dispositivos ilegais nos veículos.

Schmidt, de 48 anos, foi preso em janeiro deste ano no aeroporto de Miami, quando tentava voltar à Alemanha após uma temporada de férias nos Estados Unidos. Em agosto, perante a Justiça, ele se declarou culpado da acusação de conspiração para defraudar as autoridades.

"Pela interrupção da minha vida, eu só posso culpar a mim mesmo. Eu aceito a responsabilidade pelo erro que cometi", afirmou Schmidt ao juiz. "A Volkswagen estava trapaceando há quase uma década. Eu não fiz [nada para mudar] isso e é por isso que me encontro aqui hoje", segue.

Entretanto, Schmidt também culpa a própria Volkswagen por tê-lo colocado na atual situação. "Devo dizer que sinto que minha própria empresa fez mal uso de mim", escreveu o condenado em carta ao juiz.

Antes de Schmidt o engenheiro James Liang foi sentenciado, em agosto deste ano, a 40 meses de prisão e pagamento de uma multa no valor de US$ 200 mil pelo mesmo caso.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Carros

Topo