Testes e lançamentos

Honda corrige mancadas do Fit na linha 2018; assista e veja o que mudou

Benê Gomes

Do Auto+

07/12/2017 04h00

A Honda mostrou a linha 2018 do Fit e evitou fazer grandes mudanças no carro -- afinal, mesmo com alguns pontos bastante criticados pelo público, o modelo sempre teve bons números de vendas.

Por isso, a marca japonesa se concentrou em resolver algumas "mancadas" mais graves do monovolume, como por exemplo a falta de controles eletrônicos de tração e estabilidade, que passaram a ser itens de série no Fit 2018.

Veja mais

+ Vazou: todos os lançamentos da Volks até 2020
Quer negociar hatches, sedãs e SUVs? Use a Tabela Fipe

Inscreva-se no canal de UOL Carros no Youtube
Instagram oficial de UOL Carros
Siga UOL Carros no Twitter

Gama atualizada

A versão responsável por reunir todas as novidades tecnológicas é a de topo, EXL. Os citados controles de tração e estabilidade, além de equipamentos como assistentes de partida em rampas, frenagem emergencial e contra-esterço em derrapagens; alerta de frenagem emergencial; faróis de neblina; lanternas em LED; assistência elétrica para direção, vidros, travas e retrovisores (incluindo rebatimento); controle de cruzeiro; volante multifuncional; ar-condicionado digital e rodas de liga leve aro 16 são alguns itens de destaque.

Clique aqui para ver a lista completa de versões e preços.

Exclusivos da configuração mais cara são os faróis integralmente em LED com luzes diurnas integradas, seis airbags (frontais, laterais e de cortina), câmera de ré com três diferentes pontos de visualização, bancos revestidos em couro, sistema de áudio com possibilidade de modular o som entre os quatro alto-falantes e a central multimídia com tela tátil de sete polegadas e projeção de celulares via Apple CarPlay e Android Auto.

Mecanicamente, pouco mudou

Conjunto mecânico é o mesmo de antes: motor 1.5 de quatro cilindros flex -- com 16 válvulas no cabeçote e comando variável na admissão --, de 115/116 cv de potência e 15,2/15,3 kgfm de torque (gasolina/etanol), gerenciado por câmbio CVT com simulação de sete marchas (e borboletas para "trocas" manuais atrás do volante).

Única modificação foi feita na caixa de direção elétrica, a fim de deixá-la mais precisa e direta. Não há mudanças nas suspensões, ainda duras e mais barulhentas do que o desejado. Padrão de acabamento segue o mesmo, com prevalência de plástico puramente rígido nas guarnições. Por outro lado, o Fit tem bom espaço interno -- 2,53 metros de entre-eixos --, além de 363 litros de volume no porta-malas e bancos com rebatimento inteligente.

Quer saber mais detalhes? Confira a vídeo-avaliação de Benê Gomes, do Auto+, no topo desta página. Abaixo, você pode relembrar a avaliação exclusiva de UOL Carros.

Avaliação exclusiva de UOL Carros: Honda Fit 2018

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Testes e lançamentos

Topo