Testes e lançamentos

Lamborghini Urus é SUV mais rápido do mundo e dá orgulho ao "avô" LM002

Reprodução
Lamborghini Urus: cara de Huracán, corpo de Audi Q8... Imagem: Reprodução

Do UOL, em São Paulo (SP)

04/12/2017 16h52

Totalmente outro nível: a Lamborghini lançou nesta segunda-feira (4) o Urus, um "super-SUV". Engana-se, porém, que este seja o primeiro "utilitário" da história da marca. Antes do Urus a Lambo já criara nos anos 1980 o LM002, cuja história contaremos logo abaixo.

Seria tolo, porém, chamar o Urus de seu substituto ou mesmo "neto". Ele está mais para um utilitário "versão 2017", criado para abocanhar endinheirados interessados em uma máquina que seja brutal, mas, ao mesmo tempo, encare com alguma facilidade terrenos menos lisos e ofereça espaço para família e bagagem.

Missão número um do Urus é dobrar as vendas anuais da marca já em 2019 (segundo ano de mercado), indo ao patamar de 7 mil unidades -- metade dele, metade com o "resto dos esportivos". Executivos acreditam que isso seja possível porque o consumidor atual de Lamborghini tem seis ou sete carros na garagem, incluindo algum outro SUV de luxo.

Um SUV de exageros

Nenhum desses SUVs, porém, poderá ser considerado tão esportivo de fato quanto o Urus. Ok, ele não ostenta motorzaço V12 ou V10 como o LM002 ou os supercarros atuais da marca, mas seu "humilde" V8 de 4 litros gera nada menos que 659 cv de potência e 86,7 kgfm de torque -- flertando com os dados de dinamômetro do Aventador.

Com tais dados, passar de 300 km/h -- máxima de 306 km/h, para ser mais exato -- é mera consequência. O mais impressionante é que Urus vai de 0 a 100 km/h em 3,6 segundos, o que o classifica, segundo a Lamborghini, como o "SUV mais rápido do mundo", alguns milésimos à frente do Jeep Grand Cherokee Trackhawk.

Rodas aro 23 e freios de carbono-cerâmica de 440 e 370 mm, respectivamente nas rodas dianteiras e traseiras, também são classificados pela marca como as peças de maior diâmetro já usadas num carro de produção.

Para controlar toda essa força o modelo utiliza câmbio automático convencional de oito marchas -- eis aí uma pitada de conforto familiar --, tração integral (com distribuição padronizada de 40:60 e picos de até 70% para o eixo dianteiro ou 87% ao traseiro), suspensões com barras estabilizadoras dinâmicas e amortecedores pneumáticos (capazes de alterar a altura livre do solo) e sistema de rodas traseiras esterçantes (afinal, é preciso manobrá-lo).

O Urus vai utilizar a plataforma modular MLB (voltadas a veículos de motor longitudinal) do grupo Volkswagen, compartilhada com "suvaços" do calibre de Audi Q7, novo Porsche Cayenne e Bentley Bentayga. Mas com uma vantagem: é sensivelmente mais estiloso do que os primos, aproveitando bem a inspiração visual do Huracán.

Caimento "acupezado" do teto tira um pouco da pecha de "utilitário" sem parecer exageradamente brega como a de BMW X6 e Mercedes-Benz GLE Coupé. Seu parente mais próximo em termos de design talvez seja o ainda vindouro Audi Q8.

Divulgação
Exclusivo? Nem tanto: interior aproveita elementos já vistos em outros carros do grupo Volkswagen: central multimídia vem do novo Porsche Cayenne e quadro de instrumentos digital, da Audi Imagem: Divulgação

Não nega as origens

Final dos anos 1970: os EUA precisavam de um novo veículo militar, e algumas empresas entraram na concorrência -- quem apresentasse o projeto mais adequado assinaria o suculento contrato de fornecimento com o governo norte-americano. Uma dessas fabricantes apresentou o Cheetah, durante o Salão de Genebra de 1977: o jipão militar tinha como maior bizarrice um motor V8 instalado na traseira.

Acabou prontamente reprovado. 

No mesmo Salão de Genebra, mas agora em 1981, a tal fabricante mostrou o LM001, uma repaginação do Cheetah agora mirando os exércitos dos países do Oriente Médio. O projeto se desenvolveu e virou o LM002, enfim lançado em 1986. Parece improvável, mas a tal fabricante era a Lamborghini, que foi dos tratores aos superesportivos, fazendo um parêntese inusitado com um brucutu -- a essa altura, o modelo já tinha proposta civil, não mais militar.

Divulgação
LM002: cara bruta dos anos 1980 e aparência nada luxuosa (mas tinha V12 e era automático) Imagem: Divulgação

O Rambo da Lambo

O LM002 foi fabricado de 1986 a 1992, totalizando 300 unidades, segundo dados da Lamborghini. O motor V8 deu lugar ao V12 de 5,2 litros e 450 cv (o mesmo do Countach, vedete da marca à época), enquanto a transmissão era automática, de cinco marchas, e a tração, integral. Os pneus Scorpion 325/60 R17 foram desenvolvidos pela Pirelli especialmente para ele -- estamos falando de um carro de 2,7 toneladas que podia chegar a 210 km/h, inclusive sobre terrenos arenosos.

Portanto, dá para sacar que embora o LM002 seja o primeiro SUV da marca, nada há em comum entre ele e o Urus, um SUV ainda mais potente, mas também mais prático no dia a dia, mais luxuoso e (provavelmente) mais fácil de guiar. 

Não, o Urus não pode ser comparado ao monstro que deve ter dado trabalho ao volante até para Sylvester Stallone, um dos seus ilustres proprietários e que lhe rendeu o apelido de "Rambo Lambo". Mas convenhamos: o LM002 deve ter ficado bastante orgulhoso ao ver que o novo SUV da marca tem tanta força e estilo.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Testes e lançamentos

Topo