Testes e lançamentos

Jaguar "corta motor" do F-Type pela metade para brigar com Chevrolet Camaro

André Deliberato

Do UOL, em Ålesund (Noruega)

15/09/2017 04h00

Projetado desde o início para ser um rival de peso para Porsche 911, Nissan GT-R e bólidos de respeito -- dependendo do país, até de modelos Ferrari e Lamborghini --, o Jaguar F-Type passa atualmente por sua maior reinvenção.

Um dos maiores esportivos da história da marca, posto em que deverá permanecer ainda por um bom tempo, ganhou uma importante novidade recentemente: agora as versões de entrada passam a contar com o motor Ingenium de quatro cilindros, 2 litros turbo, de 300 cv e 40 kgfm de torque.

Você não leu errado: o supercarro da empresa britânica passa a oferecer uma configuração com um motor, digamos... Mais "comum". Certamente, alguém importante da alta cúpula da JLR decidiu que o F-Type precisava conquistar novos clientes e, para isso, ficar mais barato. O jeito mais fácil era diminuir o motor.

Quanto custa?

Em valores atualizados, o F-Type V6 de entrada (com 340 cv) tem custado cerca de R$ 520 mil, mas segundo a Tabela Fipe o valor de um ano/modelo 2017 gira em torno de R$ 470 mil. Um V8 já alcança o patamar de R$ 770 mil -- atenção, estes não são os valores oficiais divulgados pela Jaguar, consultamos a tabela Fipe de setembro.

Fazendo algumas contas (com base na diferença de valores entre as versões V6 e V8 e no preço dos carros na Europa), deduzimos que o preço de um F-Type 2.0 deve beirar aproximadamente os R$ 350 mil.

Por este preço ele "desceria degraus" para disputar clientes com Chevrolet Camaro e Porsche 718 Boxster -- ambos esportivos da casa dos R$ 300 mil. O Camaro ainda guarda sob o capô um V8itão, enquanto os outros dois vão de motor quatro-cilindros. Para qual deles você assinaria o cheque?
 

SIGA UOL CARROS NO YOUTUBE

+ Inscreva-se no canal: https://goo.gl/B4mHyi

+ Instagram: https://www.instagram.com/uolcarros/

Como anda

Além de leves retoques estéticos nos faróis, há apenas uma alteração a ser considerada no novo F-Type "básico": a saída de escape, na traseira, é central e tem apenas um cano de condução de ar -- no V6 a saída é central e dupla, enquanto o V8 tem duas saídas de escapamento, ambas com dois canos.

Fora isso, o pacote de equipamentos pode ser o mesmo que o de um F-Type V6. As vendas estão previstas para começar neste final de ano na Europa, mas ainda não estão confirmadas para o Brasil -- segundo executivos da marca, o planejamento indica que isso pode acontecer em 2018 se nada atrapalhar os planos da fabricante.

UOL Carros teve a oportunidade de rodar, há algumas semanas atrás, dezenas de quilômetros com a novidade em estradas da Noruega. Duas coisas se destacam: o ronco do carro, principalmente por ser um motor de quatro cilindros (sim, o botão para deixá-lo mais grave está lá); e o fôlego do motor, em acelerações e retomadas de velocidade -- o motor turbo vai bem com a caixa de oito marchas.

Isso faz com que o 2.0 tenha praticamente o mesmo pique e vontade que seu irmão de seis cilindros. Só que ter motor menor (lembre-se, a versão mais forte tem um motor com o dobro do tamanho) traz alguns percalços: a frente do carro fica muito leve, e isso faz com que ela queira escapar em frenagens mais fortes antes de curvas; a acústica interna, ao menos no carro avaliado, pareceu prejudicada.

O F-Type de entrada mantém no catálogo opções de diferentes modos de condução, bancos ao estilo concha, asa traseira automática (que sobe e desce dependendo da velocidade), botão de partida, central multimídia com tela tátil de última geração, ar-condicionado digital de duas zonas e sistema stop-start que desliga e religa o carro em paradas rápidas para economizar combustível -- segundo a marca, comparado ao V6 de 340 cv, ele pode ser até 16% mais econômico.

Divulgação
Saída de escapamento do F-Type 2.0 é central e tem apenas um cano; no V6, ela é central e dupla, enquanto o V8 tem duas saídas e ambas têm ponteira dupla Imagem: Divulgação

Quase um V6?

De acordo com dados fornecidos pela Jaguar, o F-Type 4-cilindros chega de 0 a 100 km/h em 5,6 segundos e alcança a velocidade máxima de 250 km/h.

Para efeito de comparação, o V6 3.0 (que usa como alimentação um compressor de ar) pode ter 340 cv (ou 380 cv), 45,9 kgfm de torque (ou 46,9 kgfm) e faz o 0-100 km/h em 5,3 segundos (4,9 s na configuração mais forte). A velocidade máxima é de 260 km/h na versão de 340 cv e de 275 km/h na de 380 cv.

Vale considerar que o F-Type com motor menor é 52 kg mais leve comparado à versão de 340 cv. A tendência, claro, é de que com o tempo (e de acordo com o comportamento das vendas) o 2.0 substitua o V6.

Em complemento à linha, o esportivo ainda oferece a opção do motor V8 de 5 litros, também alimentado por compressor de ar, com 550 cv e 69,3 kgfm de torque (ou 575 cv e 71,4 kgfm na versão SVR). Todos utilizam câmbio automático de oito marchas, obviamente cada um com sua devida calibração.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Testes e lançamentos

Topo