Seu Automóvel

Tem tanta gente comprando carro de PCD, que Toyota e Hyundai pausam vendas

Murilo Góes/UOL
Imagem: Murilo Góes/UOL

Alessandro Reis

Colaboração para o UOL, em São Paulo (SP)

04/09/2017 04h00

Lembra quando UOL Carros mostrou, há três meses, como era possível colocar na garagem um Corolla 2018 por R$ 70 mil? Pois é, bastante gente percebeu que pode ter acesso a carros dos programas especiais para pessoas com deficiência (PCD), engrossando este filão nas revendas de diversas fabricantes, como Honda, Toyota, Nissan, Citroën, Peugeot e até de marcas de luxo como Mercedes-Benz e Volvo. Mas a demanda cresceu tanto que Toyota e Hyundai vão suspender a entrega.

Duas versões criadas pelas marcas para atender aos clientes PCD, ambas de R$ 69.990, deixaram de ser vendidas esta semana em caráter temporário: o Creta Attitude 1.6 Automático e o Corolla GLi tecido.

Como este valor permite a entrada no programa especial de isenção, os modelos podiam ser adquiridos com abatimento total de IPI e ICMS, além de descontos de IOF e IPVA. No Estado de São Paulo, o Creta chega a R$ 54.655,16 com todos os descontos, enquanto o Corolla PCD poderia sair por R$ 56.690 para PCD. 

Quem não faz parte do programa PCD, porém, poderia entrar na fila e aguardar por sua vez de encomendar uma unidade pagando os R$ 70 mil. Aí está vantagem percebida, já que pela etiqueta cheia os carros chegam a R$ 74.990 e R$ 91.990, respectivamente. 

Divulgação
Creta 1.6 automático de PCD tinha preço mais vantajoso que o 1.6 manual comum Imagem: Divulgação

Boom na demanda

Tamanha diferença de preços provocou uma explosão de demanda, gerando filas de espera quase intermináveis. Em relação ao Corolla GLI, por exemplo, a prioridade dada aos clientes PCD, que esperam de 60 a 90 dias para receber uma unidade reservada, estava levado consumidores comuns a aguardar mais de oito meses.

No caso do Creta Attitude, a espera estava chegando a até 120 dias, sendo cinco mil pedidos pendentes. A suspensão para o SUV voltado a deficientes deve durar quatro meses. 

Essas informações foram consultadas pela reportagem com revendedores das duas marcas na capital de São Paulo. As assessorias de Hyundai e Toyota confirmaram que a suspensão das vendas é a solução para readequar a produção à procura.

Versões mais vantajosas 

Embora o Corolla GLi tecido abra mão de alguns itens de série, trazendo rodas de aço estampado no lugar das de liga leve, banco de tecido no lugar do couro, ausência de apoio de braço no banco traseiro e falta de sistema de som, a vantagem de preço para a versão padrão pode chegar a R$ 36 mil.

Já o Creta Attitude PCD traz os mesmos itens da versão Attitude convencional e ainda acrescenta câmbio automático, controles de tração e estabilidade, sinalização de frenagem de emergência e assistente de partida em rampa, indisponíveis no Attitude 1.6 manual comum.

Para compensar a situação para clientes que se enquadram nos planos PCD, a Toyota diz oferecer para o Corolla GLi couro com 15% de desconto mais os 11% de corte no IPI previstos para deficientes. Além disso, a linha Etios, posicionada abaixo desse teto, segue disponível.

Por sua vez, a Hyundai informa que as demais versões automáticas do Creta, que partem de R$ 86.740 (Pulse 1.6), seguem disponíveis para deficientes com isenção de 11% de IPI. O restante da linha também é oferecido a esse público, igualmente com corte no IPI.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Seu Automóvel

Topo