Segredos automotivos

JAC quer renascer trocando toda a gama por SUVs e picape; conheça planos

Divulgação
Reparou algo de diferente na dianteira do recém-lançado T40? Sim, o logotipo da JAC mudou Imagem: Divulgação

Leonardo Felix

Do UOL, em Amparo (SP)

02/08/2017 08h00

Marca reformulou até o logotipo a fim de buscar fase mais rentável no mercado brasileiro... Ainda sem fábrica

A fase da "entrada triunfal" no mercado brasileiro, com Fausto Silva de garoto-propaganda e modelos "completinhos" a preços bombásticos, já é coisa do passado para a JAC.

O momento atual é de "sobrevivência": limitada pelas cotas do Inovar-Auto (4.800 unidades ao ano sem acréscimo de 30 pontos percentuais de IPI), sem fábrica e com os chineses fora da jogada -- a marca hoje opera por representação oficial da SHC --, a fabricante chinesa tenta se mexer para encontrar dias melhores.

Para 2017 a projeção é vender entre 4 mil e 4,5 mil carros, o que dá média de menos de 400 por mês. Número de concessionárias está reduzido a meras 26, e nem o "plano B" de criar uma linha de montagem CKD num galpão de Camaçari (BA) foi concretizado até agora -- meta inicial era tê-la funcionando já este ano, mas o prazo foi adiado (de novo) para princípio de 2019.

A saída será se deixar levar pela onda do mercado e, num período de dois anos, trocar toda a gama de produtos por SUVs e utilitários. Portanto, pode já ir se preparando: J2, J3, J3 Turín, J5 e J6 vão morrer até o final de 2018. Há dois anos UOL Carros já havia sinalizado para essa mudança estratégica, agora confirmada pelo presidente do grupo SHC, Sergio Habib.

"Mesmo os clientes fidelizados estão migrando para os SUVs. Não tem jeito: esse é o caminho", disse o executivo em conversa com jornalistas durante o lançamento do T40, "mini-SUV" que chega às lojas esta semana por R$ 58.990, conforme antecipado por nossa reportagem

Divulga??o
Ousadia ou maluquice? JAC promete trazer esta picape média, conhecida na China como "T6 Pickup", mas que aqui deve receber outro nome. Marca jura de pés juntos que remodelará a frente do modelo, e UOL Carros torce muito para que isso realmente aconteça Imagem: Divulga??o

O que vem por aí

O T40 não será a única arma: T6 (sem muito sucesso até aqui) e T5 (atual "ganha-pão" da marca) já estão no mercado. Para meados de 2018 Habib promete trazer um "micro-SUV" chamado T20 (montado sobre a mesma base do J2), que rivalizar com o Renault Kwid. Dois outros utilitários esportivos, T50 (nova geração do T5) e T70 (modelo de porte maior que o T6, e conhecido como S7 na China), devem vir na sequência.

Até uma picape média está nos planos, para ingressar no concorrido segmento de Chevrolet S10, Toyota Hilux e afins: o modelo, conhecido no mercado chinês como T6 Pickup (e que aqui deve adotar outro nome e outra cara) está no cronograma também para o ano que vem, em configuração com carroceria monobloco, cabine dupla, motor a diesel e tração 4x4.

E a linha CKD de Camaçari? Bem... Esta, se os novos planos forem mesmo concretizados, deve ficar pronta só daqui a 18 ou 19 meses, sendo responsável por montar T40 e T50 (já com nova geração e novo nome). Habib garante que ela vai, sim, sair do papel, até por ser condição sine qua non para que o grupo SHC não pague uma multa milionária por descumprimento às metas de nacionalização da indústria automotiva impostas pelo Inovar-Auto.

"A papelada [de regularização da situação] já está toda encaminhada ao Ministério [de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior]. Não vamos precisar pagar qualquer multa", assegurou.

Ah, sim: além de tudo isso a JAC reformulou o logotipo, estreando a novidade justamente no T40. Saiu a estrela de cinco pontas envolta por um círculo, entrou uma borda oval com o nome "JAC" grafado ao núcleo. A solução gráfica que ficou, de fato, bem mais elegante, mas faz lembrar muito a insígnia da Kia. 

Divulgação
"Suvão" S7, que por aqui deverá receber a nomenclatura T70, é outra aposta para os próximos dois anos Imagem: Divulgação

T40, por enquanto, só manual

No lançamento do T40 a JAC já deixou claro que, por enquanto, trará apenas a configuração com câmbio manual -- acoplado sempre ao motor 1.5 JetFlex de 127 cv (etanol) herdado do T5 -- do "mini-SUV" (aliás, cá entre nós, é preciso dizer que o modelo está muito mais para um hatch aventureiro anabolizado).

Primeiro lote, que será vendido pelos próximos três meses, será só o da versão mais completa, a Pack 3, que por R$ 58.990 incluirá, entre outros itens: controles de estabilidade e tração; assistências de frenagem; direção elétrica; trio elétrico; sistema multimídia com tela tátil de 8 polegadas; e até uma câmera frontal com gravação de imagens.

No último trimestre a fabricante espera trazer a versão Pack 2, de R$ 56.990, equipada com sistema de rádio mais simples e desprovida das câmeras frontal e de ré. Já a variante com transmissão automática CVT não chega antes de janeiro de 2018. "A atual cota não me permite importá-la agora", justificou Habib.

Só quando a gama do T40 estiver completa a JAC espera alcançar a projeção de 500 a 600 emplacamentos mensais do T40, volume que ajudará a marca a reatingir o patamar de 8 a 10 mil carros comercializados em 2018.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Segredos automotivos

Topo