Testes e lançamentos

Renovado, Ford EcoSport quer retornar ao topo por R$ 73.990; veja preços

Leonardo Felix

Do UOL, em São Paulo (SP)

25/07/2017 00h00

Ford aposta pesado em novos motores, recheio farto e etiquetas competitivas para compensar espaço ainda acanhado

A Ford estabeleceu uma política de preços agressiva para recolocar o EcoSport na briga pelo topo (ou pelo menos o pódio) do segmento de SUVs compactos. Reestilizado e dotado de novos trens-de-força e equipamentos, o "jipinho urbano" será vendido neste primeiro momento em gama enxuta de versões. Veja a lista de preços:

+EcoSport 2018 1.5 SE M/T: R$ 73.990
+EcoSport 2018 1.5 SE A/T: R$ 78.990
+EcoSport 2018 1.5 Freestyle M/T: R$ 81.490
+EcoSport 2018 1.5 Freestyle A/T: R$ 86.490
+EcoSport 2018 2.0 Titanium A/T: R$ 93.990

Assim, a fabricante tenta compensar a escassez de espaço frente aos rivais com etiquetas competitivas e farta lista de equipamentos em todas as versões, sem opcionais.

Chegada às concessionárias ocorrerá efetivamente na segunda quinzena de agosto, mas a marca promete iniciar um sistema de pré-vendas até o fim deste mês. E também garante que não vai adotar a velha tática de lançar o carro sob determinados valores e reajustá-los pouquíssimo tempo depois. A conferir...

Nos próximos meses deve completar a gama a configuração 2.0 munida de tração integral. Por enquanto, todas as versões já apresentadas serão movimentadas apenas pelo eixo dianteiro.

Já avaliamos o EcoSport 2.0 Titanium; assista

O que cada versão tem

Desde a básica SE manual o EcoSport 2018 terá: motor 1.5 3-cilindros flex de 137 cv (etanol); câmbio manual de cinco marchas; sete airbags (frontais, laterais, de cortina e de joelhos para o motorista); rodas de liga leve aro 15; faróis de neblina; grade dianteira ativa na cor prata; chave canivete; alarme; direção elétrica progressiva; travas, vidros e retrovisores externos elétricos; ar-condicionado manual; controles de estabilidade e tração com assistente anticapotamento; auxílio de partida em rampas; sensores traseiros de estacionamento; monitoramento de pressão dos pneus; alerta de manutenção; volante multifuncional revestido em couro com ajuste manual de altura e profundidade; bancos revestidos em tecido; assento do motorista com regulagem manual de altura; banco traseiro bipartido, rebatível em dois estágios e com ganchos Isofix, cintos de três pontos e encostos de cabeça em todas as posições; quadro de instrumentos com computador de bordo digital monocromático; central multimídia Sync 3 com duas entradas USB e projeção de celulares Apple e Android em tela tátil capacitiva de 6,5 polegadas; assistente de emergência; e sistema de áudio com quatro alto-falantes e dois tweeters.

Por R$ 5 mil extras, a SE automática inclui: câmbio com conversor de torque de seis marchas; aletas para trocas manuais atrás do volante; e controle de cruzeiro.

Já a versão Freestyle manual acrescenta ao pacote da SE manual: rodas de liga leve aro 16 com acabamento escurecido; tomada 12V extra; grade, maçanetas e retrovisores na cor cinza; luzes diurnas em LED; ajuste lombar para o motorista; ar-condicionado automático e digital; bancos revestidos parcialmente em couro; porta-malas com assoalho maleável para dividir bagageiro em dois níveis; computador de bordo em tela colorida de 4,2 polegadas; e central de entretenimento em tela tátil de 8 polegadas com câmera de ré e navegação GPS.

A Freestyle automática soma os itens da Freestyle manual ao combo do câmbio automático.

Por fim, a Titanium traz de série: motor 2.0 4-cilindros flex de 176 cv (etanol), acoplado sempre à caixa automática; rodas de liga leve aro 17; chave com sensor presencial; partida do motor por botão; grade dianteira cromada; retrovisor interno antiofuscante; acabamento interno bicolor; bancos revestidos em couro; faróis com projetores de xenônio e acendimento automático; sensor de chuva para acionamento automático dos limpadores de para-brisa; alertas de ponto cego e de tráfego cruzado à traseira; sistema de áudio Sony Premium com cinco alto-falantes e quatro tweeters; e teto solar elétrico.

Modelo será vendido em cinco opções de cores: branca, preta e vermelha (sólidas); prata e azul (metálicas).

Com novos preços e pacotes, o novo EcoSport vai decolar? Vote

Resultado parcial

Total de votos
Total de votos

Valide seu voto

captcha

Caso não consiga ler, ouça o que está escrito.

O que mudou

Como se trata de uma renovação do mesmo monobloco, a Ford trabalhou intensamente para fazer o EcoSport compensar em outros quesitos -- em especial trens-de-força e "recheio" -- o principal ponto negativo que o modelo continuará a oferecer na linha 2018: (falta de) espaço interno.

Portanto, a reestilização foi focada em quatro "pilares", segundo executivos da marca: dirigibilidade, conforto, segurança e conectividade. Além, é claro, das modificações visuais que UOL Carros já esmiuçou em prévia do Salão de Buenos Aires, no mês passado.

É por isso que, por exemplo, os conjuntos motrizes foram totalmente trocados: saíram os velhos 1.6 Sigma e 2.0 Duratec, entraram o inédito 1.5 3-cilindros Dragon (130/137 cv e 15,6/16,1 kgfm com gasolina/etanol) e o já conhecido 2.0 DirectFlex de injeção direta (170/176 cv e 20,6/22,5 kgfm) herdado do Focus. A "queimada" transmissão Powershift também deixou a cena, dando lugar à caixa automática convencional de seis velocidades 6F, vinda do Fusion, com especificações diferentes para as configurações de 1,5 e 2 litros.

Suspensões foram retrabalhadas para melhorar absorção de impactos, controle de inclinação e rigidez torcional, sendo que o eixo dianteiro ganhou mais 1,7 cm de curso. De acordo com a fabricante, o coeficiente aerodinâmico também foi aprimorado, de 0,39 para 0,35 Cx. Isso foi conseguido pelo uso de saias e defletores em para-choques e assoalhos, e de uma grade frontal ativa (a tomada de ar para refrigeração fica mais ou menos aberta conforme as condições de uso).

Lista de equipamentos também foi incrementada. O Eco 2018 terá itens como sete airbags, controle de estabilidade e tração, central com integração a celulares, vidros elétricos com funções um-toque e antiesmagamento, ganchos Isofix e posição central da fileira traseira com encosto de cabeça e cinto de três pontos em todas as versões.

Apesar de tudo isso, o suvinho continuará com acanhados 2,52 metros de entre-eixos e 362 litros de volume do porta-malas, números bastante aquém da safra de utilitários urbanos que invadiu o mercado nos últimos dois anos (Honda HR-V, Jeep Renegade, Nissan Kicks, Hyundai Creta e afins).

Quer saber mais detalhes do modelo? Assista à nossa avaliação com a versão de topo 2.0 Titanium, e leia o álbum-avaliação da versão intermediária Freestyle 1.5 automática.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Testes e lançamentos

Topo