Topo

Mobilidade


Em alta, híbridos e elétricos vão pagar taxa de veículos comuns nos EUA

Divulgação
Imagem: Divulgação

Do UOL, em São Paulo (SP)

13/04/2017 08h00

Meta é garantir recursos para obras de manutenção de estradas e maiores infraestrutura viárias nos Estados Unidos

Enquanto híbridos e elétricos ainda engatinham no Brasil, onde não há política consolidada de incentivos fiscais para compra dos poucos (e caros) modelos disponíveis -- como Toyota Prius e Ford Fusion Hybrid --, em outros países a história já está em outro patamar.

De acordo com publicação do "Green Car Reports", estados norte-americanos como a Califórnia, onde circula a maior frota de automóveis híbridos plug-in dos EUA, já decidiram taxá-los da mesma forma que veículos convencionais a combustão, a fim garantir recursos para obras de manutenção de estradas e infraestrutura viária.

No caso do estado californiano, onde incentivos fiscais para compra de carros "verdes" ainda estão mantidos, a sobretaxa passa a valer a partir de 2020.

Isso foi decidido porque, enquanto a frota circulante de híbridos e elétricos não para de crescer nesses estados e no país como um todo, o incremento no número de carros convencionais a combustão já não segue o mesmo ritmo. A avaliação do governo foi de que, se os "verdes" não recolherem a tal taxa de manutenção a arrecadação necessária para bancar as obras seria insuficiente.

Valor

Na Califórnia, além da taxa para manutenção paga no ato da compra, híbridos e elétricos, portanto, passarão a recolher anualmente a partir de 2020 US$ 25 (cerca de R$ 78 na conversão direta) para veículos com valor de mercado de até US$ 5 mil (R$ 15,8 mil) e US$ 175 (R$ 550) para os que custem a partir de US$ 60 mil (R$ 190 mil), caso dos Tesla Model S e Model X.

Paralelamente, a taxa sobre a gasolina subirá 43% já em novembro deste ano, para US$ 0,30 por galão (R$ 0,95) -- a medida padrão usada nos postos de combustível norte-americanos, que equivale a 3,78 litros.

Este fenômeno já acontece nos estados de Nebraska e Missouri, os pioneiros, que cobram US$ 75 por ano dos elétricos e híbridos desde 2011. Eles foram seguidos por Michigan, Colorado, Idaho, Carolina do Norte, Virgínia, Georgia, Wyoming e Washington.

Este ano, de acordo com a reportagem do "Green Car Reports", Tennessee, Kansas e outros quatro estados também devem votar leis semelhantes para veículos "verdes". 

 

Mais Mobilidade