Testes e lançamentos

Renault Captur usa câmbio de Duster para ficar abaixo dos R$ 100 mil

Divulgação
Renault Captur quer assumir lugar do Duster na acirrada disputa entre os jipinhos urbanos, hoje liderada pelo Honda HR-V Imagem: Divulgação

André Deliberato

Do UOL, em São Paulo (SP)

14/02/2017 16h29

SUV compacto parte de R$ 78.900 e chega a R$ 91.390 com opcionais

Apresentado no Salão do Automóvel de SP, em novembro do ano passado -- e disponível para pré-venda desde então --, o Renault Captur chega às lojas nesta semana custando entre R$ 78.900 e R$ 88.490.

A Renault vai priorizar o Captur na briga de SUVs compactos, atualmente liderada pelo Honda HR-V. Anote aí: em termos de mercado, UOL Carros acredita que o Duster deverá ser o responsável por ficar com o cliente que busca um carro mais alto, mas não tão caro (versão 1.6 beira os R$ 66 mil), e pelo nicho que procura pela tração 4x4 -- não há planos de tração integral para o Captur.

Um dos indícios é que o Captur brasileiro é feito sobre a mesma base de Sandero/Logan/Duster, em São José dos Pinhais (PR). Na Europa, o Captur deles usa plataforma do Clio 4 europeu (atualizada, rejuvenescida e tecnológica). Ou seja, ele é um Duster com outra cara, ainda que existam diferenças no conjunto de suspensão, algumas alterações importantes no interior e de motorização.

Uma coisa se manteve, infelizmente: o Captur é lançado agora, em 2017, usando o defasado câmbio automático de quatro marchas, ainda que a marca fale em calibragem diferenciada. Com isso, fica a esperança de que o Captur possa vir a usar a caixa de câmbio CVT do "primo" Nissan Kicks no futuro (distante), em uma possível configuração mais incrementada.

Por enquanto, são duas versões com estes preços:

+ Renault Captur Zen 1.6 SCe: R$ 78.900
Vem com o recém-lançado motor 1.6 SCe de quatro cilindros, de 120 cv com etanol, 118 cv com gasolina e 16,2 kgfm de torque com os dois combustíveis, acoplado a uma caixa de câmbio manual de cinco marchas. Entre os itens de série, oferece quatro airbags (dianteiros e laterais); controle de tração e estabilidade (ASR e ESP); luzes diurnas em LED (DRL); assistente de partida em rampas; freios ABS; sistema Isofix para fixação de cadeirinhas infantis; direção eletro-hidráulica; coluna de direção e assento do motorista com regulagem da altura; ar-condicionado; vidros elétricos, alarme e chave-cartão multifuncional; sistema de som com conexão Bluetooth e comandos de áudio no volante; controlador automático de velocidade com indicador e limitador e rodas de liga leve de 17 polegadas.

Como opcional, há a oferta do pacote Media Nav (tela tátil com navegador), com câmera de ré, por R$ 1.990; e pintura biton (teto de outra cor), por R$ 1.400.

+ Renault Captur Intense 2.0: R$ 88.490
Na versão de topo, o motor 1.6 dá lugar ao 2.0 de 148 cv e 20,9 kgfm com etanol (143 cv e 20,2 kgfm com gasolina) e o câmbio passa a ser automático de quatro marchas. Ela adiciona ao pacote de equipamentos anterior rodas diamantadas (também de liga e aro 17); apoio de braço; o sistema Media Nav de série; ar-condicionado com função automática; farol de neblina com "Cornering Light" (que acende conforme a curva); sensor de chuva e sensor crepuscular.

Há ainda dois opcionais: bancos em couro (por R$ 1.500) e a pintura de teto (R$ 1.400), podendo fazer o preço chegar aos R$ 91.390.

Como ele é

Mesmo feito na mesma linha do Duster, o desenho é praticamente o mesmo que o do Captur europeu. A dianteira traz luzes em LED no formato de um "C" no contorno dos faróis de neblina e os faróis têm desenho fluido, que casam bem com os vincos do capô.

A linha de cintura é elevada e a traseira também tem LEDs nas lanternas, mantendo o atual padrão de design da marca. A pintura de teto (chamada de biton pela Renault) oferece nove combinações: o teto pode ser preto ou marfim; a carroceria pode ser preta, branca, marrom, laranja, marfim, vermelha, prata ou cinza.

Por dentro... bem, há um novo quadro de instrumentos, com desenho diferente daquele visto no Duster -- o velocímetro é digital e há displays em formato de meia-lua de cada lado, com o computador de bordo posicionado na parte superior --, mas o acabamento deixa a desejar para um carro na faixa de R$ 80 e R$ 90 mil -- principalmente se for comparado ao de seus principais concorrentes.


Segundo a Renault, a posição de dirigir do Captur é a mais elevada do segmento. O espaço é bom para quatro ocupantes sem comprometer a capacidade do porta-malas: são 4,33 m de comprimento, 2,67 m de entre-eixos (de fato, os maiores números da categoria até agora) e 437 litros de volume para bagagem. Além disso, a marca afirma que o carro tem os maiores ângulos de entrada e saída do segmento, embora este não seja um fator primordial de decisão de compra dos clientes de SUVs urbanos.

Divulgação
Apesar do acabamento espartano e muito semelhante ao de Sandero/Duster, há um novo painel de instrumentos Imagem: Divulgação

Uma surpresa e o pós-venda

O SUV traz chave cartão. Sim, a mesma que equipava a perua Mégane Grand Tour! Com esta grata surpresa (mais pela nostalgia), o veículo pode ser ligado apenas ao detectar a presença do cartão -- a abertura e o travamento das portas e do porta-malas acontecem por aproximação ou afastamento, sem que se aperta botões.

As duas versões contam de série com as luzes de rodagem diurna de LED, auxílio de frenagem de emergência (AFU) e distribuição eletrônica de frenagem (EBD) nos freios ABS. A assistência de partida em rampas (HSA) é acionada em uma inclinação superior a 3° -- o sistema freia o carro por até dois segundos.

São três anos de garantia ou 100 mil quilômetros, prevalecendo o que ocorrer primeiro. O plano de manutenção do modelo prevê revisões periódicas a serem feitas em intervalos de 10.000 quilômetros ou a cada ano de uso.

Divulgação
Motor 1.6 da versão de entrada é o mesmo SCe lançado em dezembro pela família Sandero/Logan Imagem: Divulgação

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Topo