Testes e lançamentos

Novo Tracker americano mostra o que o nosso tem, ou deveria ter; assista

Eugênio Augusto Brito

Do UOL, em Detroit (EUA)

10/01/2017 10h00

UOL Carros rodou com linha reestilizada do suvinho nas ruas de Detroit

O Salão de São Paulo, em novembro, deu a dica de que 2017 será (mais um) ano dos SUVs no Brasil. A General Motors quer correr atrás do tempo perdido e, enfim, abocanhar um filão significativo deste mercado. A grande aposta para isso é no facelift do jipinho urbano Tracker, lançado com pompas e estratégia agressiva de marketing no fim do ano passado.

Com ele, mais o médio Captiva, o grandalhão Trailblazer (montado sobre a base da S10) e o monovolume aventureiro Spin Activ -- sim, a GM do Brasil também classifica este modelo como um SUV, tal qual a Fiat fez um dia com o Idea e a Citroën age até hoje em relação ao Aircross --, a fabricante quer atingir 9% de participação para no mercado de utilitários.

O Tracker, claro, será o carro-chefe. Segundo Juan Hoyos, diretor de marketing da marca, Honda HR-V CVT, Jeep Renegade flex automático e Hyundai Creta 2.0 automático estão na mira do suvinho, que terá em sua configuração o mesmo trem-de-força do Cruze: propulsor 1.4 turboflex e transmissão automática de seis velocidades em todas as versões.

Preços vão de R$ 79.990 na versão de entrada LT até R$ 89.990 na de topo LTZ, ou R$ 92.990 para a LTZ com opcional de seis airbags.

Direção elétrica; novo painel de instrumentos; partida sem chave (por botão); teto solar elétrico; sistema de conectividade MyLink 2 com Android Auto e Apple Carplay; OnStar; alertas de ponto cego; câmera de ré com sensores; LEDs para luz diurna; acabamento melhorado prometendo mais silêncio interno; suspensões refeitas; e rodas de 18 polegadas de alumínio estão na versão mais completa.

Sentiu falta do controle eletrônico de estabilidade? Nós também. Vermelho Baroque é cor de lançamento, mas a paleta é conservadora, com branco, preto, cinza e prata.

Carregar o motor turbo do Cruze é, de fato, o principal diferencial, embora o Tracker use a base do Onix. Trata-se do Ecotec de 150/153 cavalos e 24,5 kgfm com sobrealimentação por turbina e que promete ser 15% mais econômico no modelo, com nota A do Inmetro para a categoria e C no geral.

Nos EUA a especificação do 1.4 é diferente, já que bebe só gasolina, e entrega 150 cv. Por aqui, o novo Tracker parte de U$$ 21.895, oferece até 10 airbags e conexão 4G a bordo. Quer ver como roda? Confira no vídeo.

Viagem a convite da General Motors do Brasil.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Testes e lançamentos

Topo