Carros

Aos 50, Camaro fica mais forte e tecnológico por R$ 297 mil; assista

André Deliberato
Eugênio Augusto Brito

Do UOL, em Mogi Guaçu (SP)

26/10/2016 13h08

Um dos esportivos de maior sucesso no Brasil desde 2010 -- foram mais de 5.000 unidades vendidas em seis anos -- ganha nova geração: o Chevrolet Camaro completa cinquenta anos e chega em sua sexta encarnação ao Brasil, finalmente adaptado ao século 21 ao trazer força e também tecnologia.

Suas vendas começam com a edição limitada Fifty ("Cinquenta" em inglês): são 100 exemplares numerados, apenas na cor cinza Graphite, com rodonas de aro 20 polegadas, emblemas especiais e frente anabolizada com grade, tomadas de ar e spoilers maiores. O preço é de R$ 297 mil.

>> UOL Carros também está no YouTube, neste link aqui. Increva-se

Depois, haverá a estreia "oficial" do Camaro SS (apenas cupê) durante o Salão do Automóvel de São Paulo, que fica aberto ao público entre os dias 10 e 20 de novembro na Zona Sul da cidade de São Paulo. O conversível chega apenas no final do primeiro trimestre de 2017. Os preços destas configurações somente serão revelados durante o evento.

UOL Carros lembra que a atual geração (a quinta) ainda pode ser encontrada a partir de R$ 230.990 (cupê) e R$ 250.290 (cabriolet). Nos Estados Unidos, o novo Camaro tem até opção de motor 2.0 turbo e custa a partir de US$ 25.905 (cerca de R$ 81 mil em conversão direta).

 

Um vídeo publicado por UOL Carros (@uolcarros)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

em

Um novo carro

Apesar de manter o nome e o desenho com evolução das atuais linhas musculosas -- um dos destaques da geração passada por representar o personagem "Bumblebee" na série de filmes "Transformers" --, o novo Camaro pouco tem a ver com seu antecessor: plataforma, motor e câmbio são totalmente novos, bem como sua arquitetura de construção (o carro está 83 kg mais leve) e a tecnologia embarcada.

Antes feito sobre a base do Holden Commodore (plataforma Zeta), o Camaro passa a ser construído sobre chassis da Cadillac, adota novos motores e troca a caixa automática de seis marchas por um câmbio de oito velocidades, com possibilidade de trocas por meio de borboletas atrás do volante.

Se outros mercados têm até a opção eficiente de 2.0 turbo, para o Brasil teremos apenas a opção V8 mais purista, mas ainda assim atualizada para ser mais eficiente -- e forte: sai de cena o small block LS3 de 6,2 litros, 406 cv e 56,7 kgfm de torque; entra em jogo o 6.2 de 461 cv e 62,9 kgfm do Corvette. 

Tudo digital

Por dentro a evolução é significativa. Se o antigo Camaro só empolgava os jovens quando se vestia de robô gigante, o novo tem painel de instrumentos quase que totalmente digital, faixas de LED que acompanham toda a cabine e mudam de cor de acordo com a escolha do condutor (dá para imitar a cor da carroceria e muito mais), bem como sistema multimídia Mylink 2, que se atualiza de forma mais inteligente e usa tela sensível ao toque de oito polegadas para projetar os sistemas Android Auto e Apple CarPlay. Há ainda Bluetooth, entradas USB e alto-falantes da grife Bose.

Para mostrar como está avançado, o novo Camaro ainda dispensa cabos para carregar celulares (como no Cruze): uma bandeja colocada logo após o apoio de braço (é uma posição incômoda, mas estamos falando de um cupê 2+2) é usada como base para o carregamento por indução, que só funciona com Samsung Galaxy S6, S7 e Apple iPhone 7.

Há ainda chave inteligente que permite ligar o motor e abrir ou fechar a capota de longe (no caso do conversível). Ar-condicionado é de duas zonas, volante é aquecido, bancos dianteiros têm ajuste elétrico, ventilação e memorizador; faróis são de xenônio e usam LED para luz diurna; lanternas têm LED; há teto solar para o cupê; e existe até um intensificador de som do motor para a cabine, entre outros itens. As rodas de alumínio são aro 20, como no anterior, mas os pneus estão mais largos (245/40 R20 na frente e 275/35 R20 atrás).

Divulgação
Série limitada cinquentona: capô, grade, tomadas de ar e spoilers dão cara malvada Imagem: Divulgação

Mais pista que rua

Para quem utiliza o Camaro em track days ou disputas profissionais, também há equipamentos novos, como o seletor de modo de condução (são quatro tipos diferentes de mapeamento de motor, suspensão, câmbio e direção), sistema de vetorização do torque, que joga a tração para a roda traseira com mais necessidade de acordo com a curva, e freios de alta performance da grife italiana Brembo, além de assistente de frenagem de emergência, alertas anti-distração e oito airbags.

Ele também é menor que o anterior: são 4,78 m contra 4,83 m no comprimento, 2,81 m contra 2,85 m na distância entre-eixos, 1,89 m contra 1,92 m na largura e 1,34 m contra 1,37 m na altura, respectivamente. Segundo a GM, a distribuição de peso é "quase idêntica nos dois eixos", ou seja, algo bem próximo de 50/50.

Em números, aceleração de 0 a 100 km/h está 0,6 segundo mais rápida (agora são 4,2 segundos) e a velocidade máxima não tem mais limitador, saltando de 250 para 290 km/h. São cinco cores disponíveis: preto, branco, vermelho, azul e o amarelo que fez fama (e música, que executivos da GM dizem ter atrapalhado as vendas do carro atual) no Brasil.

UOL Carros conhece a nova geração do Camaro nesta quarta-feira e publica suas impressões oportunamente. Fique ligado!

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Topo