Carros

Mercedes-AMG C 43 é acesso de R$ 400 mil para novos clientes; veja

André Deliberato
Eugênio Augusto Brito

Do UOL, em São Paulo (SP)

06/10/2016 14h15

Pergunte a qualquer entusiasta de Mercedes-Benz qual é o AMG de seus sonhos. A resposta da maioria dos fãs será o C 63 AMG, mesmo que existam modelos ainda mais poderosos, como o superesportivo AMG GT.

Fato é que o Classe C modificado pela divisão de preparados da empresa é um dos esportivos mais icônicos da marca. Esse sucesso se repete no Brasil, mas seu preço salgado por aqui sempre azedava a coisa toda. Adorado, mas caro. Na próxima semana, já como linha 2017, a marca começa a entregar a versão cupê do C 63 S AMG Coupé por R$ 615.900.

Para quem não pode assinar o maxi-cheque, a Mercedes a apresenta a inédita configuração C 43 AMG Coupé, de R$ 397.900, que usa um motor menor, câmbio e sistema de tração diferentes. Quer saber mais sobre o C 43 AMG? Assista nossa avaliação na video-reportagem.

Cavalos mais magros

A nova geração do Classe C foi apresentada ao mundo durante o Salão de Detroit 2014 e com o passar do tempo suas derivações AMG foram surgindo. No começo do ano passado, o C 63 S AMG Sedan chegou ao Brasil cotado a R$ 825 mil.

Mas até mesmo os fãs e clientes dessa categoria de carro no Brasil enfrentam a crise que assola o setor há três anos. A Mercedes teve de se mexer.

"A ideia é conquistar clientes de esportivos menores, que sabem o que significa o C 63 AMG. O C 43 passa a ser nossa porta de entrada para o mundo AMG", explica Evandro Bastos, gerente de marketing de produto da Mercedes-Benz.

Malagrine/Divulgação
"Menos caro" e menos bruto que o C63, C 43 permite tocada prazerosa na pista Imagem: Malagrine/Divulgação

Aos dados

C 43 S AMG: V6 3.0 biturbo de 367 cavalos e 53 kgfm de torque (entre 2.000 e 4.200 rpm), câmbio automático (conversor de torque) de nove marchas e tração integral (relação de 69% da força jogada para as rodas traseiras, 31% nas dianteiras). Acelera de 0 a 100 km/h em 4,7 segundos e chega a 250 km/h, velocidade máxima limitada eletronicamente.

C 63 S AMG: V8 4.0 biturbo de 510 cv e 71,4 kgfm (1.750 a 4.500 giros), câmbio Speedshift MCT de sete marchas, que a Mercedes chama de automático, mesmo sem ter conversor de torque. Vale explicar: o conversor habitual dá lugar ao sistema multi-embreagem, com duas engrenagens preparadas para as próximas marchas e uma terceira de reserva para possíveis reduções. 

Tração é traseira. Faz o 0-100 em 3,9 s e pode alcançar 300 km/h, velocidade que também é controlada por computador.

Acredite: o preço ainda pode aumentar -- e muito. Embora desembarquem com pacotes completos (volantes e bancos esportivos revestidos de couro, teto solar panorâmico, faróis de LED com sistema inteligente), sem qualquer necessidade de agregar equipamentos, existem pacotes de personalização: cores diferentes, acabamento, rodas exclusivas, freios de cerâmica... tudo é moldável para um cliente AMG. UOL Carros falará mais disso em breve.

Para atender a esse cliente, a Mercedes-Benz inaugurou nos últimos meses espaços especiais da AMG dentro de 12 concessionárias (são 56 lojas da marca no Brasil atualmente), chamados de Performance Center.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Carros

Topo