Carros

Ford Fusion 2017 pode até andar sozinho; difícil é pagar novo preço

André Deliberato

Do UOL, em Mata de São João (Bahia)

20/09/2016 11h54

A Ford apresenta nesta terça-feira (20) o novo Fusion, atual líder do segmento de sedãs executivos no Brasil. Em sua reestilização de meia-vida, o modelo recebe pequenos ajustes estéticos, mas também um pacote robusto de tecnologias semiautônomas em suas versões de topo, além da terceira geração do sistema multimídia Sync, mais integrada a smartphones. Difícil é pagar o preço.

Se, em 2013, a estreia da atual geração com motor flex era feita por R$ 92.990 (relembre com o relato de UOL Carros à época), agora é preciso desembolsar pouco mais de R$ 120 mil para ter esta mesma configuração. Alta de pouco mai de 30% no preço de base em três anos. Só leva o carro mais caro e completo quem assina o cheque de praticamente R$ 155 mil. 

Importado do México, suas vendas começam em outubro, nas versões 2.5 flex e 2.0 turbo Ecoboost. Segundo a fabricante, os motores 2.5 flex (175 cavalos e 24,1 kgfm de torque com etanol, 167 cv e 23,2 kgfm com gasolina) e 2.0 Ecoboost (248 cv e 39 kgfm, somente a gasolina, com turbo e injeção direta) ficaram até 7% mais econômicos.

A configuração híbrida estreia logo em seguida, com apresentação oficial durante o Salão do Automóvel de São Paulo, em novembro.

O câmbio, sempre automático de seis marchas, oferece borboletas para trocas atrás do volante somente nas versões EcoBoost, mas conta com a função "Low" na configuração flex para acionamento do freio-motor, se necessário.

Estes são os preços das versões mostradas neste momento:

+ Fusion 2017 SE 2.5 flex: R$ 121.500
+ Fusion 2017 SEL 2.0 Ecoboost: R$ 125.500
+ Fusion 2017 Titanium 2.0 Ecoboost: R$ 138 mil
+ Fusion 2017 Titanium 2.0 Ecoboost AWD: R$ 154.400

André Deliberato/UOL
Ford Fusion acelera, freia e faz curva sozinho... por R$ 154.500 Imagem: André Deliberato/UOL

Novas tecnologias

As maiores novidades são os sistemas de segurança e tecnologia semi-autônoma, que auxiliam o motorista e agem na prevenção ou redução de danos de acidentes que ocorrem por distração ou cansaço do condutor.

Essa parafernália inclui: o assistente de frenagem automática com detecção de pedestres, operado por radar e sensores; controle de cruzeiro adaptativo com função "stop and go" (o ACC permite que o carro freie totalmente caso o tráfego esteja parado, retomando automaticamente conforme o fluxo avança); monitoramento de ponto cego; auxílio de permanência em faixa (corrige automaticamente a direção do volante, assim como no novo Chevrolet Cruze e Audi A3 Sedan); sistema de detecção de fadiga do condutor. Há ainda sistema de estacionamento automático de segunda geração. 

Em termos de segurança, há ainda oito airbags, cintos traseiros infláveis (como no crossover Edge) e controles de tração e estabilidade.

Entre os itens de conforto e conveniência estão os faróis full-LED, função start-stop, grade frontal adaptativa (abre e fecha, segundo a velocidade, para controlar o fluxo de ar ao motor e melhorar a eficiência e o consumo) e central multimídia Sync de terceira geração com tela de oito polegadas e possibilidade de projeção dos sistemas Apple CarPlay e Android Auto.

André Deliberato/UOL
Lanternas de LED tiveram mudança mínima, mas agora são unidas por barra cromada Imagem: André Deliberato/UOL

Estilo quase não muda

Visualmente, o novo Fusion tem mudanças que se resumem à grade dianteira redesenhada, faróis mais alongados e lanternas (de LED) com novo desenho, que agora são unidas por um friso cromado, seguindo o padrão de Edge e até do Fiesta Sedan.

Há também novas rodas (de 17 e 18 polegadas), além de sete opções de cores: branco Sibéria, preto Astúrias, azul Belize, vermelho Vermont, cinza Moscou, prata Dublin e prata Sevilla.

Com isso, a Ford chama o novo Fusion de "sedã esportivo", lembrando que a versão Sport, existente nos EUA como configuração arrojada (rodas pretas, spoilers laterais), não chega ao Brasil.

Por dentro, a principal mudança é o seletor de marchas, chamado pela Ford de "E-shifter", que substitui a alavanca por um botão giratório, parecido com o de modelos da Jaguar Land Rover. Os bancos dianteiros têm ajuste elétrico, memória e aquecimento, além de refrigeração na versão Titanium.

Teto solar é opcional de R$ 4 mil do Fusion Titanium com tração dianteira, mas item de série no AWD -- é nesta versão de topo, aliás, que o sedã oferece todos os itens de tecnologia semi-autônoma citados acima. O catálogo detalhado com a diferença de equipamentos de cada versão deve ser disponibilizado no site oficial da Ford nos próximos dias.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Carros

Topo