Carros

Renault voa baixo e diz que ainda terá Mégane RS no Brasil; assista

Eugênio Augusto Brito

Do UOL, em Paris (França)

03/08/2016 10h00

Dá para ser nostálgico com algo que nem existiu? UOL Carros tem esse sentimento em relação ao esportivo Mégane RS: o carro foi apresentado pela Renault do Brasil em duas oportunidades e tudo estava certo para a estreia em 2014... mas esta certeza se desmanchou frente a condições desfavoráveis de mercado, câmbio e até de produção na Europa (o modelo estava no fim do ciclo). Só que esta saudade esquisita pode dar lugar a novos sonhos.

Durante a apresentação à imprensa mundial da nova geração do SUV grande Koleos, UOL Carros esteve prestes a gravar um vídeo com uma pitada de "invejinha" dos Europeus, mostrando as novas gerações de Clio e Mégane com os novos pacotes da divisão Renault Sport... quando foi alertado por fonte ligada à marca: o Mégane RS ainda está nos planos, agora em nova geração.

Novo cenário

Analise nosso momento: a Renault do Brasil precisa, desesperadamente (embora não vá usar este termo de forma oficial), renovar sua linha de produtos, que ficou distante demais da europeia, pobre demais, envelhecida demais. Claro, há a nova geração de Sandero e Logan (de origem Dacia, mas que vai bem até mesmo na França), há também Duster e Duster Oroch. Há até o Sandero RS, que foi desenvolvido no Brasil e é um projeto... corretinho.

Mas só isso não basta, tanto que a marca não consegue passar a Ford e tomou chapéu da Hyundai. Também não basta para quem quase teve Mégane.

Para mudar, o foco também se altera: a Renault vai apostar pesado no filão de SUVs, como UOL Carros adiantou e o chefão global da marca confirmou na terça-feira (2). Kwid e Captur (alongado) serão fabricados no Brasil e chegam ao Salão de São Paulo em novembro, às lojas no começo de 2017. Koleos chega em seguida.

E agora há renovação do projeto de ter um esportivo para concorrer com Volkswagen Golf GTIHonda Civic Si e companhia.

No forno

Repare que no vídeo que gravamos, temos o Clio RS e o Mégane GT. O primeiro é um foguetinho com motor 1.6 turbo a gasolina de 200 cavalos (há ainda a configuração Trophy com 220 cv), câmbio automatizado de dupla embreagem e sete marchas, 0-100 km/h em até 6 segundos e valor de 26.050 euros (quase R$ 95 mil); o último é um médio reforçado, usando o mesmo motor, mas com 205 cv e DCT de seis marchas, 0-100 em 7 s e preço de 31.900 euros (R$ 116.200).

Servem para instigar e qualquer um ficaria bem na vitrine, se importado. Acontece, que nenhum deles é o objetivo. A ideia ainda é trazer o Mégane RS, que ainda não existe na atual geração, mas está sendo desenvolvido. Ou seja, é um projeto que ainda deve levar ano, ano e meio para vingar. Mas está no radar. 

Só para lembrar, na geração anterior (que foi testada no Brasil), o Mégane RS usava o 2.0 turbo de 265 cv (275 nas últimas especificações), com 36,7 kgfm de torque e 0-100 feito em 6 segundos. Tudo isso deve ser melhorado, inclusive com eficiência no modelo novo. Tomara que este sonho se torne mesmo realidade.

Murilo Góes/UOL
Mégane RS anterior era divertido, mas desatualizado; nova geração ainda espera seu RS Imagem: Murilo Góes/UOL

Viagem a convite da Renault do Brasil

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Carros

Topo