Carros

Nissan tira pedal da embreagem de March e Versa a partir de R$ 54.090

Leonardo Felix

Do UOL, em Itatiba (SP)

10/06/2016 15h00

Após mais de um ano de especulações e preparação, a Nissan enfim colocou no mercado as configurações sem pedal de embreagem de seus compactos nacionalizados March e Versa. A partir desta sexta-feira (10) os modelos passam a contar com a opção do câmbio CVT (continuamente variável).

No caso do hatch, a transmissão será oferecida nas versões 1.6 SV e SL, as mais completas da gama, a partir de R$ 54.090. Confira a lista de versões e preços:

+March 1.0 Conforto M/T: R$ 38.790
+ March 1.0 S M/T: R$ 41.690
+ March 1.0 SV M/T: R$ 44.690
+ March 1.6 S M/T: R$ 46.190
+ March 1.6 SV M/T: R$ 49.290

+ March 1.6 SV M/T: R$ 53.590
+ March 1.6 SV CVT: R$ 54.090
+ March 1.6 SL CVT: R$ 58.390

Já o Versa oferecerá o CVT em suas três versões 1.6 de topo, partindo de R$ 57.990. Veja a tabela:

+ Versa 1.0 Conforto M/T: R$ 44.690
+ Versa 1.0 S M/T: 47.990
+ Versa 1.6 S M/T: R$ 50.690
+ Versa 1.6 SV M/T: R$ 53.190

+ Versa 1.6 SV CVT: R$ 57.990
+ Versa 1.6 SL M/T: R$ 59.890
+ Versa 1.6 SL CVT: R$ R$ 64.690

+ Versa 1.6 Unique CVT: R$ 66.290

Além dessa novidade, os dois carros chegam à linha 2017 com outras alterações no pacote de equipamentos. No caso do March, a versão S passou a vir com capas dos retrovisores na cor da carroceria e vidros traseiros elétricos, enquanto a SL ganhou a central Multi-App como item de série.

Já o Versa agora entrega retrovisores repetindo o tom da pintura e vidros elétricos nas quatro portas em todas as versões, além de banco de couro, ar digital, faróis de neblina e ganchos para cadeirinhas Isofix a partir da SL. A Unique terá a central Multi-App, ponteira do escapamento cromada, friso lateral e tapetes exclusivos. 

Divulgação
Desempenho do Versa CVT é referência para o segmento de sedãs compactos-médios Imagem: Divulgação

Mecânica acertada

UOL Carros já testou o Versa CVT em abril, e gostou muito do resultado. Durante o lançamento, pôde rodar por mais 140 quilômetros com o três-volumes em trecho de rodovia entre São Paulo e Itatiba, e confirmou suas impressões positivas.

A caixa tende a se tornar referência não apenas no segmento, mas também entre a vasta lista de modelos que passaram a adotar o câmbio continuamente variável.

Divulgação
Chamada pela Nissan de Xtronic, transmissão é identificada por esta insígnia prata e azul colada na tampa do porta-malas dos modelos, ao lado do nome da versão Imagem: Divulgação
Embora importada do México, a transmissão foi bastante modificada pensando na realidade de uso dos brasileiros: diâmetro de engrenagem e raio de cobertura estão maiores, enquanto correia foi afinada e polias ficaram mais rígidas a fim de reduzir atrito e pressão, melhorando a capacidade de torque. Resistência à ação do fluido também diminuiu.

Como resultado, a entrega de 111 cv e 15,1 kgfm (etanol ou gasolina) do propulsor flex de 1,6 litro ficou bastante linear, permitindo ao Versa rodar em velocidade de cruzeiro, a 120 km/h, a 2.000 rpm sem dificuldades.

Segundo o Inmetro, o consumo é de 7,8/10 km/l, respectivamente em cidade/estrada, com o combustível vegetal, ou de 11,6/14,1 km/l quando abastecido com o derivado do petróleo. Na prática, a média ficou próxima a 12 km/l em rodovia, com gasolina, mesmo sem uma condução tão focada em eficiência.

No caso do March, a promessa é fazer 7,8/9,7km/l (etanol) ou 11,7/14,5 km/l (gasolina).

Entretanto, o CVT ainda faz o motor "gritar" em demasia em determinados momentos de aceleração ou retomada mais fortes, e demora um pouco a encontrar o giro correto nessas circunstâncias.

Para amenizar o problema na cabine, a Nissan adotou reforços antirruído em para-brisa, console, painel de instrumentos e paralamas. O rsultado está dentro da média do segmento em relação à invasão do som do propulsor. 

Divulgação
Alavanca de seleção para os novos Versa e March CVT: conforto e boas respostas Imagem: Divulgação

Incremento nas vendas

Com a chegada da configuração CVT, a Nissan espera melhorar os índices de emplacamento de seus compactos, atualmente próximos a 3 mil unidades/mês somando os dois modelos. A expectativa é que as versões sem pedal de embreagem sejam responsáveis por até 40% das vendas do March e cheguem a 50% no caso do Versa.

"Não teremos necessariamente um aumento de 40 a 50% das vendas, mas parte desse mix deve ser de novos clientes", declarou François Dossa, presidente da fabricante no Brasil, sem citar metas.

Caso o incremento seja de 20% (cerca de 1.800 unidades/mês para cada), ainda assim March e Versa não estariam entre os 20 veículos mais emplacados do país. 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Topo