Carros

F-Pace chega em setembro até com chave-pulseira por R$ 309.300

Leonardo Felix
Eugênio Augusto Brito

Do UOL, em São Paulo (SP) e Tivat (Montenegro)

31/05/2016 16h22Atualizada em 31/05/2016 19h38

A Jaguar apresentou nesta terça-feira (31) versões e preços do F-Pace que será vendido no mercado brasileiro. A partir de R$ 309.300, o primeiro SUV da história da marca chega às ruas efetivamente em setembro, porém com pré-vendas iniciadas já em junho.

Mostrado no Salão de Frankfurt do ano passado, o utilitário usa plataforma do sedã XE e estreia no país a família de motores Ingenium, priorizando o uso de alumínio -- inclusive reciclável, conforme UOL Carros já contou -- em sua composição. Cerca de 80% da carroceria e também o bloco do propulsor a diesel são feitos com esse metal.

Leonardo Felix/UOL
SUV poderá ser adquirido em sistema de pré-vendas a partir de junho Imagem: Leonardo Felix/UOL
Construído no Reino Unido, o F-Pace trará também itens como painel de instrumentos em tela 100% digital de 12,3 polegadas, central multimídia de 10,2 polegadas operada de maneira semelhante a um smartphone (além de conectável a até quatro aparelhos de maneira simultânea), head-up display com imagens projetadas a laser e até uma chave auxiliar utilizada como pulseira, à prova d'água, que permite ao motorista trancar e destrancar o veículo com a chave principal para dentro.

Tudo para incomodar rivais de prestígio no segmento de SUVs médios de luxo, em especial Porsche Macan e BMW X4. 

Divulgação
Interior agrada pelo uso de materiais como aço escovado, mas abusa do plástico duro e fica um pouco aquém da concorrência; central multimídia é inédita, mas volante, manopla de câmbio, bancos e console central já são conhecidos de outros modelos do grupo Imagem: Divulgação

Versões e preços

Com a chegada do F-Pace, a Jaguar espera dobrar sua participação no mercado brasileiro até 2017, tendo o utilitário-esporte como responsável por mais de 50% das vendas. Confira abaixo a lista de versões que serão ofertadas, seguidas de preço e pacote de equipamentos:

+F-Pace Prestige -- R$ 309.300
Vem de série com: faróis de xenônio com assinatura em LED; partida por botão com desligamento automático em períodos de imobilidade (start-stop); sistema multimídia com tela tátil, navegação GPS e serviços de áudio via Bluetooth e cabos USB, iPod e Auxiliar; bancos com faixas externas em couro e assentos dianteiros eletricamente ajustáveis; ar-condicionado de duas zonas; oito airbags; controle de estabilidade e tração com distribuição eletrônica de torque; teto solar panorâmico; e rodas em liga leve aro 18.

+F-Pace R-Sport -- R$ 360.500
Acrescenta: faróis em full-LED; teto solar elétrico; piloto automático adaptativo; central multimídia Incontrol Touch Pro, dotada de gráficos tridimensionais e tela de 10,2 polegadas que funciona como a de um smartphone; cluster digital de 12,3 polegadas; sistema de som Meridian de 380 Watts; bancos esportivos; e rodas aro 20.

+F-Pace S -- R$ 405.900
Inclui: chave auxiliar para travar e destravar as portas, à prova d'água e que pode ser usada como pulseira; sensores de amortecimento dinâmico (capazes de fazer 500 leituras do solo por segundo); bancos totalmente revestidos em couro com faixas microperfuradas; assento do motorista com regulagem elétrica em 14 opções e função de memória; head-up display no para-brisa; pinças de freio esportivas.; kit com adereços alusivos à versão na parte externa.

+F-Pace First Edition -- R$ 416.400
Série especial de lançamento, limitada a 19 unidades e baseada na versão S, que traz como elementos exclusivos: pintura azul metálica; bancos em couro Windsor; luz ambiente do interior configurável; soleiras iluminadas; e detalhes de acabamento exclusivos na parte externa.

Haverá 15 diferentes tipos de desenho das rodas como opcionais, além de acessórios como pedais esportivos, borboletas para trocas de marcha em alumínio, rack de teto e peças decorativas em fibra de carbono.

F-Pace é SUV de luxo com metal reciclável

Mais legal fica de fora

Com 4,73 metros de comprimento e 2,87 m de entre-eixos, o SUV britânico supera Macan e X4 nos números, mas isso não necessariamente se converte em espaço interno. Devido ao uso de bancos muito largos, semelhantes aos do XE, o espaço para pernas na parte de trás fica comprometido.

Padrão de acabamento será similar em todas as versões: aço escovado, alumínio, preto piano, materiais suaves ao toque e decepcionante dose de plástico duro predominando o console central até a versão R-Sport. Encaixes e disposição dos instrumentos são primorosos, mas falta sofisticação em relação ao F-Pace europeu.

Entretanto, as tecnologias mais legais ficarão de fora: assistente de manutenção de faixa, sensores de detecção de pedestres e frenagem automática emergencial foram ceifados do pacote oferecido ao Brasil. A Jaguar afirmou se tratar de "questões de estratégia".

Trem-de-força

O F-Pace vendido no Brasil terá dois motores: na versão de entrada será usado o 2.0 turbodiesel da recém-criada família Ingenium, de 180 cv e 43,8 kgfm. As de topo serão empurradas pelo mesmo V6 das versões intermediárias do F-Type e de topo do XE, em duas configurações de potência: 340 e 380 cv. Torque será fixado em 45,9 kgfm. 

A transmissão é sempre automática de oito velocidades, com tração integral e suspensões independentes nos dois eixos (tipo braços sobrepostos na dianteira e multibraços na traseira).  

Divulgação
UOL Carros já testou SUV na Europa e antecipa o que você vai encontrar no Brasil Imagem: Divulgação

Como anda

A receita de fazer o bolo de vendas crescer com o fermento do SUV já foi experimentada por outras marcas: Audi, BMW, Honda e até a maior rival da Jaguar no segmento de luxo, Porsche. Puristas torceram o nariz para o Cayenne e pregaram a morte da marca alemã... mas ela vendeu como nunca e ainda criou um SUV menor, o Macan, para ampliar o sucesso.

Pois bem, esta é a ideia da JLR. O problema, segundo UOL Carros avalia após ter andando com o SUV na Europa, há algumas semanas, está na própria existência do Macan, que chegou antes e acaba tendo vantagem também no conjunto.

Em termos de acabamento, as versões mais equipadas do F-Pace na Europa deixam o Macan ligeiramente para trás -- não há um centímetro de material que não seja suave, ao passo em que todos os comandos parecem mais avançados que os usados pela marca alemã para o seu utilitário de entrada.

Divulgação
Rigidez da carroceria com 80% de alumínio agrada muito, mas falta desempenho em relação ao Macan Imagem: Divulgação
O problema é que o carro que chega ao Brasil não traz seus pacotes mais completos e sofisticados. Sendo assim. como tudo no Macan é ótimo -- apesar de vários componentes terem origem no caldeirão da Audi/Volkswagen, o que é ruim para marcas de imagem --, as forças passam a se equivaler neste quesito.

Entretanto, o F-Pace tropeça em dois pontos: os ingleses trataram de construir a tecnologia de assistência ao motorista e de interface com celulares em casa, montando um laboratório com 500 engenheiros e desenvolvendo todos os softwares com "tecnologia de avião". Louvável porém instável, uma vez que este tipo de desenvolvimento precisa de maturação.

Já a Porsche fez valer a enorme experiência do grupo Volkswagen e já usa, por exemplo, o sistema CarPlay, da Apple, para não deixar na mão o motorista que quer projetar seu celular e ouvir suas músicas diretamente na central.

Parece bobagem, mas quando o carro precisa fazer leitura do solo a 500 vezes por segundo e ainda escolher as músicas de seu celular para tocar -- e apresentar todas essas informações na tela --, um sistema travado pode significar muito. O Porsche rodou suavemente sempre em nosso teste, enquanto o Jaguar ainda engasga.

Rodando de modo arrojado, inclusive em terrenos irregulares (algo que boa parte dos compradores destes SUVs nunca fará), o F-Pace se porta primorosamente, certamente pela herança dos Land Rover. 

No asfalto liso, o desempenho também é bom e você quase pensa estar a bordo de um esportivo, não de um SUV: com rigidez torcional é impressionante, o grandalhão contorna curvas muito bem e aquele medo típico de quem tem um SUV, de não terminar direito uma curva feita de modo mais empolgado, desaparece.

Mas o Macan faz tudo isso é vai além. Você não apenas "quase pensa": você realmente acreditar estar em um bólido que rasga o asfalto. Por conta disso, o F-Pace deveria apresentar mais tecnologia (e não cortar as que a gama já oferece, como foi feito por aqui), acabamento melhor e um preço mais interessante. 

As duas primeiras premissas falham no Brasil, enquanto o preço é penas ligeiramente menor. Resta o fato do Jaguar poder ser considerado mais inovador no visual... mas isso é tão relativo que pode não fazer diferença.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Carros

Topo