Carros

JAC promete T6 de cara nova até fim do ano, mas sem câmbio CVT

Leonardo Felix/UOL
Vendido na China como S5, T6 vai ganhar grande "mancha" preta na dianteira Imagem: Leonardo Felix/UOL

Leonardo Felix

Do UOL, em Pequim (China)

27/04/2016 16h43

A linha de SUVs e crossovers da JAC no Brasil vai receber importantes modificações até meados de 2017. É o que garante Sérgio Habib, representante oficial das operações da marca chinesa no país.

No Salão de Pequim 2016, uma das principais novidades é a reestilização do SUV médio T6, que nunca escondeu sua inspiração no Hyundai ix35. Desde o ano passado, porém, os dois utilitários estão tomando caminhos estilísticos diferentes. Se o ix35 já atualizou o visual dianteiro, chegou a vez do T6 também mudar.

O facelift surgiu no pavilhão chinês mostrando alterações pequenas, porém chamativas: uma grande mancha em preto brilhante passa a compor quase toda a parte frontal. Um vinco que surge da ponta dos faróis marca a divisória entre grade e tomada inferior do para-choque, ambas alargadas. Faróis de neblina também estão redesenhados e agora contam com um filete de LEDs.

Murilo Góes/UOL
T5, abaixo do T6, oferece CVT no Brasil; o maior não consegue por causa de custos Imagem: Murilo Góes/UOL

Cadê o CVT?

Por dentro o acabamento é basicamente o mesmo, tendência a ser mantida pelo T6 exportado ao Brasil. Também não espere por revoluções no trem-de-força: o motor 2.0 aspirado flex, de 160 cv (flex), deve ser mantido, assim como a transmissão manual de cinco velocidades.

Dessa maneira, teremos uma situação inusitada: enquanto o irmão menor T5 receberá caixa CVT (continuamente variável) até o fim deste ano, o maior e mais caro SUV da JAC não poderá, por enquanto, dispensar o pedal da embreagem.

Segundo Habib, limitações de custos impedem a oferta da opção. "O T6 automático só existe em opção com motor turbo de injeção direta, uma tecnologia que sairia muito cara em nosso cenário atual", justificou.

Divulgação
JAC T3 seria nacional, mas virá importado Imagem: Divulgação

T3 sai da geladeira

Por fim, o hatch/crossover T3, antigo modelo escolhido para ser fabricado nacionalmente, mas que acabou trocado pelo T5 depois que a operação oficial chinesa debandou do país, deve finalmente fazer sua estreia, mas como modelo importado, em 2017.

Motorização será basicamente a mesma do T5: configurações com propulsor 1.5 bicombustível de 125 cv (etanol), acopladas a câmbio manual de cinco marchas ou continuamente variável.

Preço dificilmente ficará abaixo de R$ 55 mil, mas ainda menor que o de aventureiros com quem o pequeno modelo quer concorrer: Renault Sandero Stepway e Volkswagen CrossFox.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Topo