Carros

Volvo exagera em vídeo e critica marcas e fãs de carros potentes

Fernando Calmon

Colunista do UOL

15/03/2016 09h00

Volvo é reconhecida por sua ênfase à segurança: em 1959, seu então chefe de segurança Nils Bohlin (morto em 2002) criou o cinto de segurança de três pontos.

Atualmente, a meta da marca sueca é nenhum ocupante de seus novos modelos morrer em acidentes a bordo de carros a partir de 2020. Essa "visão" é repetida a cada lançamento e faz parte do discurso padrão de Hakan Samuelsson, presidente da divisão de carros da Volvo. 

Apelo marqueteiro, pois há colisões em que ninguém sobrevive mesmo.

Tanto que exagerou nos argumentos em filme institucional recém-lançado, chamado simplesmente de "Volvo Cars Vision 2020" (Visão 2020 da Volvo Cars).

A peça, reproduzida por UOL Carros, ainda está no ar no canal internacional da Volvo no YouTube. A assessoria local da marca, havia replicado a peça aqui no Brasil com legendas em português, mas resolveu tirá-la do ar.

Mostrou humildade ao reconhecer que seu filme institucional apresentava realmente argumentos exagerados e até desrespeitosos a concorrentes e a fãs do automobilismo.

Como o YouTube tem alcance mundial pode significar que houve também reações negativas em outros países.

Crítica generalizada

A ideia parecia bem-intencionada e a produção era muito bonita, falando sobre o futuro com mais segurança e menos poluição.

Entre as diferentes linhas de ação da marca, estão: a adoção apenas de eficientes motores de quatro cilindros (2 litros), em todas as linhas, ora aliados a geradores elétricos (sistema híbrido) em substituição a motores maiores; o desenvolvimento de sistemas de segurança preventiva (avisam o condutor e freiam o carro automaticamente ao perceberem a presença de pedestres, ciclistas, animais e outros carros à frente); criação de modelos autônomos.

Ainda assim, o material da Volvo possui trechos que descambam em crítica generalizada a quem produz carros muitos potentes e insinuam que nenhuma marca se preocupa tanto com a segurança como a Volvo.

Sobrou até para os que gostam ou assistem corridas de automobilismo em citação indireta na narração.

Este colunista trocou várias mensagens com a assessoria de imprensa no Brasil, mas como o filme era uma ação institucional da Suécia nada podia ser feito.

É bom não esquecer do velho ditado: "Quem exagera na argumentação, perde a discussão".

Siga o colunista: Fernando Calmon no Facebook

Veja a transcrição da narração do vídeo

"Carros.

Tem uma coisa que não entendo: como as montadoras pensam.

Parece que elas continuam a fazer carros apenas para as pistas de corrida e não para andar na cidade.

É isso o que realmente importa? De verdade?

Mas e se uma montadora pensasse diferente?

Pensasse sobre ruas cheias de gente, sobre corredores, skatistas, crianças em bicicletas, sobre pais com carrinhos de bebê.

Pensasse sobre todas as belas coisas que nos cercam: mares, árvores, ar. Sobre tudo.

E se alguém fizesse carros para pessoas que se importam com outras pessoas?

Nossa visão é que, a partir de 2020, ninguém deva se ferir gravemente ou morrer em um carro novo da Volvo".

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Carros

Topo