Carros

Pivô do escândalo do diesel deixa presidência da VW nos EUA

Do UOL, em São Paulo (SP)

09/03/2016 20h54

Levou seis meses entre a descoberta de que a Volkswagen fraudou milhões de motores a diesel em todo mundo, em setembro de 2015, e o mais recente capítulo do escândalo apelidado de "dieselgate". Michael Horn, ex-chefão da Volks nos Estados Unidos e atual presidente da marca para Américas, pediu demissão. 

Reconhecido como "homem de mercado" e responsável desde 2014 pelo plano de triplicar as vendas da Volkswagen nos EUA, Horn admitiu em setembro que a montadora foi "desonesta".

Com isso, balançou, foi rebaixado (a presidência das Américas era subordinada à Europa, enquanto a chefia da VW EUA era absoluta), mas só caiu agora, ao entregar o cargo nesta quarta (9).

Para vender mais, a Volkswagen afirmava que seus motores eram mais eficientes e menos poluidores. A fraude eletrônica, porém, permitia que os motores fossem aprovados nos testes de laboratório, ainda que poluíssem mais na vida real. 

Segundo a Volkswagen, a saída se dá de comum acordo.

Volkswagen vira piada em Genebra

Por que caiu?

Dois motivos contribuíram para a queda de Horn, aponta a agência "Automotive News".

O principal é a insatisfação dos revendedores com a falta de um plano claro da Volkswagen para solucionar o caso. Com isso, as vendas nos EUA e Canadá caíram 5% em 2015 na comparação com 2014. Este ano, a queda já é de 14%.

Além disso, a Justiça está na cola da Volkswagen: a corte federal deu prazo até a última semana de março para que a marca entregue planos reais de uma solução para os motores com fraude.

Só nos EUA, são quase 500 mil carros afetados, todos equipados com motores 1.6 e 2.0 a diesel. No mundo, o total passa de 11 milhões de carros.

Também há problemas no Brasil, onde 17 mil unidades da picape Amarok esperam por uma solução e pela limpeza da imagem da marca.

Vendedores insatisfeitos

"Nossa empresa foi desonesta, nós ferramos com tudo e devemos consertar estes carros", afirmou Horn em 21 de setembro.

Desde então, tem tentado contornar a insatisfação da rede de lojas da Volkswagen nos EUA.

Nesta quarta, porém, a situação se mostrou insustentável, após o conselho de revendas emitir comunicado que não poupa a reputação da matriz da Volkswagen.

"O Conselho Consultivo Nacional de Revendedores [da Volkswagen] quer reconhecer a liderança e força de Michael [Horn] em meio à má gestão contínua do escândalo do diesel, que tem atormentado nossas vendas e reputação mais do que qualquer outro mercado global", aponta o comunicado.

"Estamos preocupados observando a má gestão deste escândalo por parte da Alemanha, e como isso pode afetar as decisões das autoridades dos EUA".

Desde a revelação do escândalo, a Volkswagen gasta três vezes mais dinheiro para vender cada carro: segundo a imprensa americana, o bônus dado por lojistas a cada cliente saltou de US$ 1.300 para US$ 3.900 (de R$ 4.800 para R$ 14.400) de 2015 para cá. 

O conselho também aponta seu descontentamento com a chegada de Hinrich Woebcken, que assume a presidência interina da Volkswagen America em 1º de abril.

"A mudança de gestão só pode servir para deixar a empresa ainda mais no risco, não menos", aponta o conselho de revendedores.

Vendas em baixa

Apesar de ter ocupado a liderança global em 2015, a Volkswagen viu suas vendas despencarem 2,4%, segundo dados da consultoria Jato Dynamics.

Rivais como Toyota e General Motors perderam menos (1,4% e 1,9% de queda, respectivamente). A marca japonesa encostou na alemã (8,3 milhões de unidades contra 8,7 milhões) e pode recuperar a liderança mundial já em 2016. (Com agências internacionais)

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Carros

Topo