Carros

Com "lei própria", elétrico Renault Twizy já pode ser vendido no Brasil

André Deliberato
Eugênio Augusto Brito

Do UOL, em São Paulo (SP)

18/12/2015 17h04

O compacto elétrico Renault Twizy agora pode ser emplacado no Brasil, graças à resolução 573 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran). Como outros carros elétricos e híbridos, o Twizy, importado da França, não precisa mais pagar o Imposto de Importação, medida regulamenteda em outubro. Atualmente, o citycar da Renault custa 7.090 euros (cerca de R$ 30 mil, sem contar taxas de importação).

Para isso, o Contran classificou o carrinho elétrico de origem francesa como quadriciclo, categoria que até então englobava apenas veículos a combustão com características mistas entre carros de passeio e motocicletas. Para enquandrá-lo dessa maneira, o órgão precisou separar a atual categoria em duas novas: a primeira enquadra os "quadriciclos-motos", tradicionais, que têm posição de dirigir e guidão de moto e exigem capacete para sua condução.

Na segunda, apenas o Twizy se enquadra por ora: o "quadriciclo-carro" precisará ter cabine fechada, quatro rodas, airbag e cintos de segurança, além de peso (em ordem de marcha) não superior a 400 kg e potência máxima de seu motor elétrico menor que 15kW (aproximadamente 20 cv). Um exemplo de veículo similar ao Twizy, mas que não se enquadra na resolução é o japonês Toyota i-Road, que apesar de ser elétrico, ter cintos de segurança e ser voltado ao circuito urbano, não tem quadro rodas -- é um triciclo invertido (com duas rodas à frente e uma atrás). 

Por sua configuração mista, as duas modalidades de quadriciclos só podem circular em vias estritamente urbanas e exigem carteira "B" do motorista.

Carrinho da Renault pode ser feito no Brasil

Há chances de fabricação do Twizy no Brasil. Em 2013, a hidrelétrica de Itaipu e a marca fecharam uma parceria e montaram 32 unidades do Twizy -- em regime SKD (semi knock down, na sigla em inglês, que significa montagem local de componentes parcialmente montados no exterior) em Foz do Iguaçu (PR). Os veículos são utilizados atualmente para estudos e trabalhos internos, dentro dos limites do complexo da empresa. 

De toda forma, o presidente global da Renault-Nissan, Carlos Ghosn, já havia afirmado em apresentações passadas do modelo que um volume de 50 mil unidades encomendadas já justificariam a fabricação local do Twizy.

Com 2,33 metros de comprimento e 1,18 m de largura, o Twizy leva até dois passageiros. O motor elétrico gera 20 cv e tem autonomia de cerca de 100 quilômetros.

Segundo a Renault, duas unidades do modelo rodam no centro de Curitiba desde a Copa do Mundo de 2014. Na ocasião, a marca e a prefeitura local firmaram uma parceria para a utilização do compacto. A empresa afirma que já comercializou mais de 130 unidades da sua gama elétrica (que também inclui os modelos Zoe, Fluence e Kangoo Z.E.) no Brasil, todas destinadas a instituições e empresas.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Topo