Carros

Takata é multada em US$ 200 milhões; Honda decide banir airbags da marca

Issei Kato/Reuters
Tetsuo Iwamura, vice-presidente da Honda, anuncia veto a airbags da Takata Imagem: Issei Kato/Reuters

Do UOL, em São Paulo (SP)

05/11/2015 09h28

A Honda é a primeira empresa a definir que não vai mais utilizar airbags fabricados pela Takata, marca japonesa de autopeças que se envolveu naquele que está entre os maiores casos de falhas de equipamento do setor automotivo mundial. A Takata assumiu ter entregue dispositivos com problemas de montagem para mais de 50 milhões de carros em todo mundo, inclusive no Brasil, entre 2006 e 2014.

Além disso, há registro de defeitos em modelos com airbags da marca fabricados em período anterior, já a partir de 2001. Com a falha -- que envolve tanto o gás que infla as bolsas, quanto no material de seu revestimento -- os airbags podem explodir e expelir fragmentos na direção dos ocupantes, no momento em que deveriam se inflar para proteger os passageiros. 

Em comunicado, a Honda cita os termos "manipulação" e "deturpação" para justificar a decisão de mudar o fornecedor de seus airbags em todos os modelos fabricados a partir de agora, aponta a agência "Automotive News". A marca era, até então, a maior compradora de airbags da Takata em todo o mundo. Não houve a citação de qual será o novo fornecedor, mas a montadora deve negociar com um dos três maiores fornecedores: Daicel (japonesa), TRW (alemã do grupo ZF) e Autoliv (Suécia).

Nos Estados Unidos, a Honda afirma ter solucionado o problema em apenas 42% dos carros com bolsas defeituosas. No Brasil, a marca está fazendo recall gradual dos carros afetados pelos equipamentos da Takata. 

Infelizmente, como UOL Carros apurou, o tempo entre passar em uma autorizada e ter o problema sanado pode levar meses aqui no país.

J. Scott Applewhite/AP Photo
Senador americano Bill Nelson mostra airbag defeituoso da Takata Imagem: J. Scott Applewhite/AP Photo
Multa pesada

Além de perder o contrato com a Honda, a Takata teve outra notícia ruim esta semana: recebeu, na terça-feira (3), multa de US$ 70 milhões da Administração Nacional para a Segurança de Trânsito dos Estados Unidos (NHTSA) por ter omitido informação sobre o defeito dos airbags e ter seguido sua fabricação por uma década. Além disso, terá de abrir um processo de solução rápida do defeito de todas as unidades com problemas. 

Se não conseguir cumprir essa ordem, a Takata receberá outra multa de US$ 130 milhões, totalizando uma punição de US$ 200 milhões. 

Reuters/Newsome Melton Law Firm
Corey Burdick, 26 anos, é uma das vítimas do airbag nos EUA; ele dirigia um Honda Civic Imagem: Reuters/Newsome Melton Law Firm
Segundo o órgão regulador, oito pessoas já morreram nos EUA em casos relacionados com falhas no sistema dos airbags, que afetam modelos de ao menos 12 marcas japonesas, europeias e também americanas. A NHTSA informou também que determinou aos fabricantes de automóveis que acelerem a convocação de recalls para substituir os equipamentos da Takata.

No Brasil, as marcas promovem diferentes convocações para resolução dos problemas. A mais recente, de outubro, envolve 425 mil unidades fabricadas pela Toyota. (Com agências internacionais)

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Carros

Topo