Carros

Europa cobra explicações da Volkswagen sobre novas irregularidades

Da EFE, em Bruxelas (Bélgica)

04/11/2015 19h08

A Comissão Europeia (CE) solicitou na quarta-feira (4) à Volkswagen (VW) que esclareça o mais rápido possível as novas irregularidades detectadas na certidão das emissões de dióxido de carbono (CO2) de seus veículos, caso que pode gerar sanções à empresa.

"A questão mais importante agora é estabelecer realmente os fatos. A Comissão Europeia convidou a Volkswagen a acelerar suas investigações internas. Temos que esclarecer sem demora quais irregularidades nas emissões de CO2 foram detectadas", afirmou a porta-voz da instituição, Lucía Caudet.

"O que as causou, que carros foram afetados, em que países foram vendidos e, a partir daí, quais medidas o grupo tomará para remediar a situação", acrescentou a porta-voz.

A própria companhia admitiu na terça-feira que, além dos problemas já conhecidos, foram detectadas também "irregularidades" na certidão de emissões de CO2, que afetaram cerca de 800 mil veículos do grupo, sem especificar marcas ou modelos.

Multas

A confirmação de que o grupo alemão fraudou as emissões de CO2 e descumpriu as regras comunitárias, abre a porta para que seja punido por Bruxelas, como já aconteceu com a italiana Ferrari e com a russa Avtovaz, que receberam multas de 20 mil euros e 1 milhão de euros, respectivamente, segundo fontes comunitárias.

"A CE tem poderes de execução para garantir que os fabricantes automobilísticos respeitem suas metas de redução de CO2, o que inclui várias ações, inclusive a imposição de sanções aos fabricantes, mas como disse, primeiro é preciso estabelecer os fatos", insistiu disse Caudet.

As multas seriam calculadas em função do alcance das possíveis irregularidades, de modo que se um carro emite um grama de CO2 por quilômetro a mais do que os limites europeus, a empresa seria multada em 5 euros; se emite dois gramas a mais, 15 euros; três, 25 euros, e de quatro para cima, 95 euros.

A Volkswagen informou em comunicado, em consequência das investigações sobre os motores à diesel flagrados com um sistema de fraude pelas autoridades ambientais americanas - centradas nas emissões de óxido de nitrogênio (NOx), que detectou que modelos apresentaram dados irregulares de emissões de CO2.

A Comissão não foi informada diretamente, nem recebeu nenhuma notificação oficial desta nova irregularidade detectada pela empresa, que foi revelada na terça-feira e derrubou as ações da companhia em mais de 8% na bolsa de Frankfurt.

A UE tem se mantido em contato com a autoridade nacional alemã encarregada de supervisionar o setor do transporte motor, que está analisando a "informação técnica enviada pela VW", explicou Caudet, sem dar detalhes sobre estes contatos.

A Comissão não pretende niciar sua própria investigação, e por enquanto continuará "apoiando" as investigações nacionais e a troca de informação entre os países, mas aumentou a pressão sobre a Volskwagen.

"A confiança do público está em jogo aqui e precisamos de todos os fatos sobre a mesa", disse Caudet.

Em relação ao impacto no cumprimento dos objetivos da UE de redução de emissões para 2020, a porta-voz disse que, em termos gerais, a UE "está no caminho de cumprir, e inclusive superar, suas metas" de redução destas emissões.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Carros

Topo