Carros

Chevrolet será "marca premium" no Brasil após morte do Classic

Divulgação
Onix 1.0 LS deve ganhar versão "pelada" para se tornar o novo carro de entrada da GM Imagem: Divulgação

André Deliberato

Do UOL, em São Paulo (SP)

30/09/2015 12h00

O Celta deixou de ser fabricado há alguns meses e as últimas unidades zero-quilômetro nas concessionárias devem acabar antes mesmo do final do ano. O hatch sequer aparece mais no site oficial da marca. Com isso, a responsabilidade de ser o modelo de entrada da Chevrolet no Brasil passa a ser do veteraníssimo sedã Classic, mas não por muito tempo,

O modelo já foi fabricado por aqui, mas atualmente só chega via importação da Argentina por iniciais R$ 33.900. O Celta era feito na unidade de Gravataí, no Rio Grande do Sul. Segundo apuração de UOL Carros, o sedãzinho será vendido somente até o primeiro semestre de 2016, já que a fábrica do país vizinho será modernizada e vai abrir espaço para a nova geração do Cruze, mas também por conta da instabilidade cambial, que atrasa novos projetos da marca. 

Quando isso ocorrer, a GM deve entrar em novo momento, sem modelos de entrada que sempre garantiram boa parte de suas entregas. Quase uma marca de compactos premium, como as francesas Citröen e Peugeot e a japonesa Honda. 

Questionado, o ex-presidente da GM para a América do Sul, Jaime Ardila, não negou que a marca pode ficar "sem um subcompacto de entrada".

"Com a atual instabilidade cambial não podemos afirmar nada, mas há chances de sairmos do segmento de entrada no Brasil, sim. Não temos medo de passar algum tempo fora dele ou até mesmo de sair, afinal o brasileiro entendeu nossa tecnologia e quer cada vez mais modelos conectados e bem equipados, por isso o Onix com MyLink é um dos mais vendidos", afirmou o executivo na ocasião. 

Divulgação
Veterano Chevrolet Classic será vendido até o começo de 2016... depois, se aposenta Imagem: Divulgação

Qual o novo ganha-pão?

Essa situação não deve, nem pode, perdurar para uma marca generalista. Com a "morte" de Celta e Classic, a GM trabalhou em diversos projetos e cogitou até mesmo produzir localmente um subcompacto global com base no visual do Spark norte-americano. Só que os planos esfriaram e nada disso deverá mais acontecer, ao menos enquanto o dólar não parar de oscilar.

Isso e mais o sucesso do Onix no varejo (o carro é líder de vendas no geral e, em diversos Estados, com folga para os rivais) levam executivos da marca a confirmarem a hipótese de baratear o Onix nesse período. A hipótese, claro, seria a de "pelar" o carro para ter versão na faixa dos R$ 30 mil? Atualmente o hatch começa em R$ 37.790 na configuração 1.0 LS.

A ideia é bem vista nos corredores da direção da GM. Fontes ligadas à marca garantiram a UOL Carros que este deve ser o caminho da empresa até pelo menos 2019, quando, como já dito, a empresa renovará toda sua linha nacional.

Produção em SCS

Para dar volume ao Onix "pé-de-boi", a marca estuda até mesmo produzir o modelo na matriz brasileira, em São Caetano do Sul. Como o próximo Cruze será argentino, haverá espaço na fábrica para tanto. Atualmente, todas as versões do compacto são feitas em Gravataí.

Apesar de trabalhar em motores menores que os atuais SPE de quatro-cilindros, as chances mais prováveis são que estes novos propulsores cheguem somente em 2019, junto com a próxima geração de modelos da marca, não neste novo Onix. A marca, porém, não revela se eles serão de três ou dois cilindros.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Topo