Carros

Novo Tiguan virá do México para custar menos e terá painel de Audi

Eugênio Augusto Brito
Murilo Góes

Do UOL, em Frankfurt (Alemanha)

14/09/2015 15h44Atualizada em 31/10/2016 18h57

A Volkswagen revelou nesta segunda-feira (14), em uma prévia do Salão de Frankfurt 2015, a nova geração do Tiguan, SUV médio feito sobre a plataforma MQB, a mesma do Golf. Ela é baseada no conceito Cross Coupé GTE, revelado no Salão de Detroit deste ano.

Com o lançamento, veio a confirmação: o modelo será feito no México em 2017, onde já existe a base para a produção do Golf 7 que vai para os EUA (mercado no qual o novo Tiguan quer acertar em cheio). Consequentemente, com a diminuição de unidades de Jetta vindas do México, já que agora o sedã é nacional, haverá espaço para importá-lo ao Brasil a preço mais acessível. A atual geração sai por R$ 132.390, acima do valor inicial de rivais diretos como Hyundai ix35 (R$ 99.990) e Kia Sportage (R$ 104.900).

A expectativa é que a nova geração chegue ao país até o fim de 2017. 

Murilo Góes/UOL
Conceito Tiguan GTE antecipa versão híbrida do SUV, que estreia no fim do ano Imagem: Murilo Góes/UOL

Como é o novo Tiguan

O Tiguan cresceu: são 6 centímetros a mais de comprimento e 3 cm de largura, mas -3,3 cm de altura. O espaço interno melhorou, já que o entre-eixos é 7,6 cm maior se comparado ao da geração anterior. Haverá configuração com sete lugares, embora esta não tenha sido exibida em Frankfurt.

A unidade exposta no evento alemão, aliás, está equipada com o pacote R-Line e utiliza rodas de 20 polegadas, defletores e outros acessórios. Nas versões mais básicas, o carro tem visual mais simples, com rodas menores e vincos menos musculosos.

Seu ponto forte será a conectividade. Para isso, o sistema de informações será inspirado no do recém-lançado Audi TT, já mostrado por UOL Carros: por meio do chamado "cockpit digital", ele dispõe o máximo de dados no quadro de instrumentos do volante, para evitar que o condutor se distraia ao ter que olhar para a faixa central do painel.

Conheça o cockpit digital do Audi TT

Motores e versões

São oito configurações diferentes de motores turbo, sendo quatro a gasolina (125, 150, 180 e 220 cv) e quatro a diesel (115, 150, 190 e 240 cv) -- o carro tem tração dianteira, mas nas versões mais fortes há, como opcional, o sistema de tração integral (neste pacote, a suspensão é elevada em 1,1 cm, os para-choques ganham ângulos maiores para trechos offroad e, no interior, há um seletor específico com quatro modos diferentes para condução).

O câmbio é sempre DSG, de seis ou sete marchas.

Junto da versão de produção a marca revelou um protótipo do Tiguan GTE, híbrido plug-in (recarregável em fonte externa), que gera 218 cv com o motor 1.4 TSI a gasolina aliado a um elétrico -- segundo a marca, ele pode atingir 200 km/h, fazer o 0-100 em 8,1 segundos e rodar 50 km ou atingir 130 km/h só no modo elétrico.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Topo