Carros

Novo Audi Q3 chega em julho; motor flex fica para 2016

Eugênio Augusto Brito
Leonardo Felix

Do UOL, em São Paulo (SP) e Buenos Aires (Argentina)

20/06/2015 08h00

Quando cobriu o Salão de Paris 2014, UOL Carros avisou que a Audi preparava o Q3 1.4 TFSI para o Brasil. A principal dúvida era se a marca iria trazer a versão de 150 cv do SUV importada, só a gasolina, ou se faria a estreia já com o modelo nacionalizado munido de propulsor flex.

No início deste mês, a fabricante alemã confirmou a escolha pelo primeiro caminho: a linha 2016, ainda vinda de Martorell (Espanha), já terá em sua gama duas versões equipadas com a unidade de 1,4 litro.

A de entrada é a Attraction (R$ 127.190), que inclui, entre outros itens, seis airbags, ar-condicionado, bancos de couro sintético, sensores de iluminação e chuva, controle de estabilidade, assistente de partida em rampas, freio de estacionamento por tecla, faróis de xenônio, lanternas de LED e sensor de estacionamento traseiro.

Já a Ambiente (R$ 144.190) agrega ar digital, abertura elétrica do porta-malas, retrovisor interno antiofuscante, e espelhos externos com rebatimento elétrico. Além disso, há pequenas mudanças estéticas, sendo a mais notória delas na grade frontal, que vai ganhar bordas prateadas.

Itens como banco do motorista com ajuste elétrico e sistema de navegação GPS ficam guardados só para a versão Ambition 2.0 (R$ 190.190), a mais cara da gama.

Importado, só a gasolina

O lançamento oficial será no começo do próximo mês e, junto com o motor menor, virá também a tração dianteira, de série em ambas versões 1.4. A transmissão continua a ser a S-Tronic automática de sete marchas, com borboletas para trocas atrás do volante.

Antes de ser apresentado oficialmente no país, o novo Q3 deu as caras nesta semana no Salão de Buenos Aires. Mais uma vez, tratou-se de uma unidade que bebe apenas gasolina. Assim, a estreia do motor 1.4 flex fica guardada para dois outros modelos: Volkswagen Golf e Audi A3 Sedan -- este último com estreia já confirmada para setembro.

Para o Q3, a adoção de motor biocombustível só deve ocorrer no primeiro trimestre de 2016, período em que o suvinho rival de Mercedez-Benz GLA e BMW X1 começa a ser produzido nacionalmente em São José dos Pinhais.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Carros

Topo