Carros

Honda retoca interior do Fit, mas só vai relançar Twist com fábrica nova

Leonardo Felix/UOL
Visual externo é o mesmo: mudanças ocorreram só onde monovolume mais precisava Imagem: Leonardo Felix/UOL

Leonardo Felix

Colaboração para o UOL, em São Paulo (SP)

09/06/2015 18h00

A Honda do Brasil apresentou, nesta terça-feira (9), em sua sede de São Paulo (SP), a linha 2016 do Fit, carro de entrada da marca. O modelo, que ganhou nova geração há pouco mais de um ano, em abril de 2014, recebeu pequenos retoques no acabamento do interior e teve os preços reajustados. A partir da próxima semana, quando estará nas concessionárias, não existirá por menos de R$ 50 mil.

Confira a lista atualizada de versões e preços, e o que cada uma delas ganhou em equipamentos:

  • Fit 2016 DX -- R$ 51.600 (manual) e R$ 56.600 (CVT): passa a contar com capas dos retrovisores externos na cor do veículo, painel de instrumentos com iluminação de fundo azul e branca, e rádio com entrada USB e conexão Bluetooth.
  • Fit 2016 LX -- R$ 55.900 (manual) e R$ 60.800 (CVT): agrega comandos de áudio no volante e apliques de cor metálica na parte interna das portas (incluindo maçanetas), base do miolo do volante, borda do velocímetrio, bordas das saídas de ar e bordas do nicho da manopla de câmbio. Além disso, comandos do ar-condicionado são novos e iluminação da tela do rádio passa a ser branca.
  • Fit 2016 EX CVT -- R$ 65.900: repetidor de luz de seta em LED nos retrovisores externos, funções de piloto automático e revestimento em couro no volante, painel de instrumentos igual ao da versão EXL, com computador de bordo digital maior e alocado na parte direita, e sistema de áudio com tela de cinco polegadas e câmera de ré.
  • Fit 2016 EXL CVT -- R$ 68.900: não muda em relação à linha 2015. Diferencia-se pelo uso de revestimento em couro sintético nos bancos, airbags laterais e tweeters no sistema de som.

Fora os itens já mencionados, as lojas passarão a oferecer, a partir do segundo semestre, um novo sistema multimídia com tela tátil e acesso sem fio à internet como acessório. Ele será semelhante àquele já oferecido de série em versões de topo de HR-V e Civic, porém sem opção de pareamento com o celular via cabo HDMI. O preço ainda não foi divulgado. 

Arte UOL
À esquerda, o painel de instrumentos do Fit LX 2015; à direita, o do LX 2016: nova iluminação melhora visibilidade e até tira aquele aspecto de item dos anos 90 Imagem: Arte UOL

Por que mudou

É difícil ver uma fabricante fazer alterações somente um ano após trocar a geração de um modelo. No caso do Honda Fit, entretanto, havia motivos de sobra para isso.

Divulgação
Versão de entrada do Fit, a DX, passa a contar com o mesmo sistema de rádio da LX, incluindo entrada USB e conexão Bluetooth; iluminação da pequena tela também passou do ãmbar para o branco Imagem: Divulgação
Uma pesquisa interna com clientes mostrou aquilo que diversos veículos do meio, incluindo UOL Carros, já haviam destacado: apesar do bom conjunto mecânico formado pelo motor 1.5 i-VTEC flex, de 116 cv e 15,3 kgfm (etanol), aliado a transmissão manual de cinco marchas ou CVT (continuamente variável), o monovolume pecava por ter um acabamento simples demais, beirando ao tosco.

A aposta está em aumentar a sensação de conforto e refinamento com soluções simples e baratas, como o uso de diversos elementos em prata para quebrar o excesso de preto e cinzas. Além disso, a nova iluminação em azul e branco elimina a sensação de automóvel dos anos 90 que a antiga luz âmbar dava ao cluster.

Com a linha 2016, a montadora espera que o Fit mantenha o fôlego e se cristalize como segundo modelo mais vendido da marca, relegando ainda mais o Civic a um papel coadjuvante na gama. 

E a versão aventureira?

Durante a apresentação do Fit 2016, fontes da Honda confirmaram a UOL Carros que não, não há chances de a versão aventureira Twist ser ressuscitada ainda este ano. O lançamento é bastante aguardado por especialistas, já que o Fit "estradeiro" chegou a ser responsável, em sua curta vida útil, por 20% das vendas totais do monovolume no Brasil.

A versão vai ficar para 2016, por uma razão simples: não há a mínima capacidade de se ampliar ainda mais a produção em Sumaré (SP). Enquanto a fábrica de Itirapina, também em São Paulo, não estiver pronta (algo que só deve ocorrer em dezembro), a unidade já existente seguirá trabalhando em regime de horas extras, e com capacidade expandida de 540 para 657 veículos/dia, para dar conta de montar Fit, City, Civic e HR-V. 

Portanto, só haverá espaço para a apresentação do novo Fit Twist quando Itirapina estiver operando, no primeiro trimestre de 2016. Coincidentemente, o Fit é o primeiro modelo a ter produção confirmada pela Honda na nova unidade fabril.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Carros

Topo