Carros

Mercedes também é bi: Classes A, B, CLA e GLA já têm motor 1.6 flex

Murilo Góes/UOL
Mercedes-Benz A 200 Flex Fuel chega às lojas em junho; B 200, em julho Imagem: Murilo Góes/UOL

Do UOL, em São Paulo (SP)

01/06/2015 17h41

A Mercedes-Benz do Brasil anunciou nesta segunda-feira (1º) o início das vendas de seus primeiros modelos com motorização bicombustível. De acordo com comunicado da montadora, o hatch Classe A (versão A 200), o sedã CLA (CLA 200) e o SUV compacto GLA (GLA 200) chegam às lojas agora em junho. Em julho, será a vez do monovolume Classe B (B 200).

Todos usarão o motor de quatro cilindros em linha de 1,6 litro derivado do 1.6 turbo a gasolina já existente na linha, conforme antecipou UOL Carros em 2014. A potência, segundo ficha técnica da marca, segue sendo de 156 cavalos (a 5.300 giros), enquanto o torque máximo chega a 25,49 kgfm (entre 1.250 e 4.000 giros). São exatamente os mesmos números divulgados para o motor que roda exclusivamente a gasolina. 

Como funciona o BMW Série 3 flex

Exclusivo para o Brasil

Essa estratégia de não divulgar valores diferentes é seguida também pela BMW, que vende modelos flex no Brasil desde dezembro de 2013. A Mercedes-Benz desenvolvia seus motores bicombustível desde 2009, mas sempre se mostrou reticente com a tecnologia. Segundo o comunicado da marca, a nova família de motores 1.6 turboflex tem componentes "desenvolvidos exclusivamente para atender às demandas do mercado nacional, que será o único país a contar com essa tecnologia".

A decisão de colocar os carros com a nova motorização na rua ainda em 2015 foi explicada a UOL Carros em março: o objetivo é oferecer a opção aos clientes e ter boa quilometragem até a abertura da fábrica de Iracemápolis (SP), que entregará suas primeiras unidades no começo de 2016.

Para ganhar espaço e convencer compradores, a marca também opta por colocar apenas os modelos compactos com motores flex na rua neste primeiro momento. O Classe C, seu principal modelo, seguirá a ter apenas motor a gasolina neste momento. A estratégia, porém, é que o modelo já seja fabricado no Brasil com o mesmo motor 1.6 flex, que agora equipa a família A (Classe A, B, CLA e GLA).   

Tudo igual?

Ainda segundo a marca, a linha de motores "flex fuel" mantêm funções de eficiência existentes nos motores 1.6 a gasolina, como o sistema start/stop (que desliga o motor em pequenas paradas). Resta saber se o sistema funcionará com qualquer combustível: em nosso teste com o BMW 320i flex, notamos que o ciclo de parada/religamento automático do motor só funciona com gasolina no tanque; com etanol, o sistema é automaticamente desativado.

A Mercedes informa ainda que que o intervalo de revisões para carros com motor flex também será o mesmo, com a primeira parada na autorizada ocorrendo aos 10.000 quilômetros rodados ou com 1 ano de uso, o que ocorrer antes.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Carros

Topo