Carros

Carros com nome de gente: veja 10 exemplos curiosos pelo mundo

André Deliberato

Do UOL, em São Paulo (SP)

20/03/2015 21h29

Dar nome a um carro nem sempre é fácil. Montadoras gastam milhares de dólares em pesquisa e marketing na busca de fonemas com boa sonoridade, siglas e números representativos e até mesmo homenagens. Em diversos casos, o nome de batismo de um modelo acaba sendo um nome próprio ou apelido. Alguns deles fizeram sucesso, outros foram limitados a edições especiais e alguns não passaram da fase de protótipo.

UOL Carros lista dez exemplos de modelos de carros com nome de gente. Evitamos sobrenomes, pois estes geralmente acabam sendo usados para nomear marcas -- é o caso de Ferruccio Lamborghini, Ettore Bugatti e do brasileiro João Augusto Conrado do Amaral Gurgel.

Divulgação
1. FERRARI ENZO: homenagem ao criador da marca, Enzo Ferrari Imagem: Divulgação
Supercarro produzido pela empresa italiana entre os anos 2002 e 2004 para homenagear seu fundador. Foram 400 unidades produzidas, todas equipadas com motor V12 aspirado de 660 cv e 67 kgfm de torque. O câmbio automatizado de dupla embreagem e seis marchas era responsável por levá-la de 0 a 100 em 3,1 segundos e fazê-la chegar a 355 km/h.

Divulgação
2. MINI COOPER: Cooper era o nome da família de criadores da marca Mini Imagem: Divulgação
Antes de virar marca e ser comprada pela BMW no começo dos anos 2000, o Mini era um simpática modelo da fabricante inglesa independente BMC, que ficou famoso por ser o carro do Mr. Bean. Uma de suas especialidades era produzir o Cooper, versão apimentada do subcompacto. O nome homenageia John Newton Cooper, amigo do criador do Mini, Alec Issigonis, e que foi acionista da marca. John Cooper ficou famoso no automobilismo ao projetar os primeiros carros de F1 com motor traseiro.

Divulgação
3. FORD BELINA: perua lançada em 1970 e descontinuada em 1991 Imagem: Divulgação
A antecessora da Ford Royale (versão perua do sedã Versailles) chamava-se Belina, nome feminino bastante utilizado em décadas passadas -- é o caso da primeira esposa de Gilberto Gil. A Belina pertenceu à família Corcel durante sua primeira geração e, posteriormente, passou a ser fabricada sobre a base do Del Rey.

Divulgação
4. NISSAN SILVIA: coupé esportivo japonês fez sucesso entre fãs de drift Imagem: Divulgação
O "avô" do Nissan GT-R era... uma "avó". Este coupé esportivo lançado no Salão de Tóquio de 1964 se tornou uma lenda no Japão ao longo do século 20, pois foi oferecido com versões mais populares e motores mais fracos, além das configurações mais nervosas. Teve duas gerações diferentes e durou até 2002. O GT-R/Skyline pertencem a projetos paralelos.

Divulgação
5. ALFA ROMEO GIULIETTA: nome feminino Giulietta é usado pela marca desde 1954 Imagem: Divulgação
Antes de se tornar um hatch fabricado sobre a plataforma do Fiat Bravo, o Alfa Romeo Giulietta foi um carismático compacto vendido entre os anos 1950 e 1960 nas carrocerias sedã, cupê e conversível. O motor da primeira geração era de 1,3 litro, dianteiro. Um câmbio manual de cinco marchas e a tração traseira, aliados ao baixo peso do veículo (menos de 900 kg), eram responsáveis pela diversão.

Divulgação
6. VOLVO JAKOB: seu nome original é ÖV 4, mas todo mundo o chama de Jakob Imagem: Divulgação
Este é o primeiro carro desenvolvido pela sueca Volvo, o ÖV 4 (abreviação de "Open Vehicle 4-cylinder", que significa "Veículo Aberto de quatro cilindros", em português). Ele surgiu em 1927 e ganhou o apelido de Jakob pelos funcionários da própria marca, mas até hoje não existe explicação pelo uso da alcunha.

Murilo Góes/UOL
7. RENAULT ZOE: quase nulo no Brasil, o nome Zoe (feminino) é comum fora do país Imagem: Murilo Góes/UOL
O compacto elétrico da Renault, testado recentemente por UOL Carros pelas ruas de São Paulo, recebe um nome feminino relativamente comum na Europa -- a origem é grega. O carrinho ainda não é vendido oficialmente no Brasil devido à falta de apoio e incentivos a este tipo de mobilidade, mas já roda em frotas de empresas.

Divulgação
8. SKODA OCTAVIA: apesar do nome feminino, o Octavia pode ser um sedã invocado Imagem: Divulgação
A Skoda, fabricante checa e subsidiária da Volkswagen, tem diversos nomes femininos em seu catálogo. Fabia e Octavia são exemplos: o primeiro é um hatch, o segundo, um sedã que pode ter até versões apimentadas -- como a RS da imagem.

André Deliberato/UOL
9. OPEL ADAM: homenagem ao criador da marca, que se chama... Adam Opel Imagem: André Deliberato/UOL
A Opel mostrou no Salão de Paris 2012 um subcompacto chamado Adam, feito em homenagem ao criador da empresa, Adam Opel, um alemão mal-humorado que odiava carros e começou sua carreira construindo bicicletas. A ideia inicial do projeto do Adam era concorrer com Audi A1, Mini Cooper e Fiat 500. Não vem fazendo o sucesso que a marca esperava na Europa.

Richard Juilliart/AFP
10. OPEL KARL: já que o Adam não deu tão certo, foi melhor chamar o "Carlos" Imagem: Richard Juilliart/AFP
Como o Adam não decolou, mesmo com versões especiais, a Opel precisou desenvolver outro compacto para aumentar a gama. Eis que no Salão de Genebra deste ano surge seu irmão Karl, um city car parecido com o Adam, mas com quatro portas. Quem foi Karl? O filho mais novo de Adam.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Carros

Topo