Carros

Veja seleção de dez carros que sairão de Detroit rumo ao Brasil

Eugênio Augusto Brito

Do UOL, em Detroit (EUA)

15/01/2015 21h17

Esta edição de 2015 do Salão de Detroit se notabiliza por ter tudo o que faz o consumidor norte-americano feliz: com a gasolina barata, as montadoras se sentiram livres para apostar em carros enormes -- picaponas, SUVs e superesportivos. O lado ruim para o público brasileiro é que nosso mercado é mais voltado a modelos compactos, ainda que os utilitários estejam em alta por aqui.

Nada tema! Mesmo em terreno com diferenças explícitas, UOL Carros conseguiu garimpar preciosidades que estrelam o salão americano e que chegarão em breve às nossas ruas. Confira a lista com oito certezas e duas probabilidades (ou vontades):

Geoff Robins/AFP
1. AUDI Q7 2016 Imagem: Geoff Robins/AFP
O que é: o novo SUV grande alemão está 320 quilos mais leve e promete reduzir o consumo de gasolina em 1/4. Eficiência não o principal mote quando se fala deste tipo de produto e a Audi continua instigando os clientes: o motor V6 3.0 agora rende 333 cavalos de potência e promete o grandalhão do 0 aos 100 km/h em 6,1 s (contra pouco mais de 7 segundos antes).

Há evolução em termos de conteúdo, conforto e conectividade, além de mais espaço: dependendo da versão, é possível carregar até cinco adultos e duas crianças. UOL Carros só achou que o novo padrão visual de SUVs da Audi um pouco controverso, sobretudo pela moldura hexagonal prateada da grade dianteira, que parece feita de plástico barato, não condizendo com o restante do carro.  

Quando chega: a Audi do Brasil confirma o novo Q7 para o último trimestre do ano.

Frederic J. Brown/AFP
2. CHRYSLER 300 2015 Imagem: Frederic J. Brown/AFP
O que é: a pequena reestilização de visual e equipamentos deixou o sedã grande americano ainda mais tecnológico e alinhado ao estilo europeu da nova controladora, a Fiat. Trem-de-força será mantido: 3.6 V6 de 286 cv alinhado ao câmbio automático de oito marchas.

Quando chega: o primeiro lote está previsto para maio, enquanto o preço continua na faixa dos R$ 190 mil.

Frederic J. Brown/AFP 19.11.2014
3. FORD EDGE 2015 Imagem: Frederic J. Brown/AFP 19.11.2014
O que é: a nova geração do crossover é fabricada sobre a plataforma CD, que também da origem ao Fusion, e chega com visual fortalecido, novos motores e uma imensa lista de assistentes de segurança e conforto ao motorista e passageiros.

O principal motor da lista é o 2.0 Ecoboost (injeção direta e turbo) de 245 cavalos, seguido pelo 2.7 V6 Ecoboost (twinturbo) com mais de 300 cv. No Brasil, porém, certamente veremos o 3.5 V6 aspirado.

Itens como controle adaptatativo de cruzeiro, câmeras e sensores em 360º, controles automáticos de estacionamento lateral e perpendicular (controla as manobras do volante) e porta-malas com abertura automática com um chute sob o para-choque estão na lista, ainda que outros (estacionamento autônomo sem o motorista na cabine) devam ficar de fora.

Quando chega: as vendas começam em abril ou maio nos Estados Unidos, onde o modelo de entrada manteve o preço, enquanto as versões de topo da gama (Sport e Titanium) ficaram mais caras por conta da maior tecnologia. No Brasil, chega no final de 2015.

Eugênio Augusto Brito/UOL
4. HONDA HR-V Imagem: Eugênio Augusto Brito/UOL
O que é: para a Honda, de forma oficial, trata-se do SUV compacto derivado da plataforma compacta que gera também o hatch Fit e o sedã City. Para o mercado, porém, é a resposta da marca ao sucesso de modelos como EcoSport, Duster, contra-ataque ao RAV4 da rival Toyota e ainda adversário direto de uma nova geração de modelos, capitaneada pelo Jeep Renegade.

Com bom espaço interno e ótimo nível de acabamento, se mostra um passo acima de Fit e City, inclusive no preço, que será semelhante ao do Civic, diz a Honda. 

Quando chega: março.

Divulgação
5. NOVO HYUNDAI I30 Imagem: Divulgação
O que é: sem espaço para o novo Sonata no portfólio local, o Brasil verá o novo estilo "Bold" da Hyundai no Azera reestilizado, que está chegando às lojas da marca este mês e, principalmente, no renovado i30, apresentado globalmente no final de 2014.

Haverá algumas atualizações de conteúdo/conforto, mas o trem-de-força permanece inalterado com o motor 1.8 a gasolina e câmbio de seis marchas.

Quando chega: o ano de 2015 ainda será do i30 atual, já que o novo chega apenas no final da temporada.

Scott Olson/Getty Images/AFP
6. MERCEDES-BENZ C 350 HYBRID PLUG-IN Imagem: Scott Olson/Getty Images/AFP
O que é: a ideia é que o sedã, que promete autonomia de 31 km no modo puramente elétrico, poluindo menos da metade de um carro comum, chegue ao Brasil para ajudar a Mercedes a cumprir as exigências do governo, com seu programa Inovar-Auto.

Apesar do alto custo deste tipo de produto -- que une motor a combustão a bateria, regenerador e gerador inspirados nos carros da Fórmula 1 --, executivos veem seu lançamento no Brasil como fundamental.

Preços ao cliente, bem como definição de equipamentos do Classe C Hybrid Plug-in serão definidos nos próximos meses, durante o processo final de homologação. 

Quando chega: segundo semestre deste ano.

Mark Blinch/Reuters
7. MERCEDES-BENZ GLE COUPÉ Imagem: Mark Blinch/Reuters
O que é: pode chamar de "BMW X6 da Mercedes", só não conte a ninguém da marca. Oficialmente, é o primeiro modelo da família que substitui a atual linha ML, mescla entre o sedã Classe E e o SUV GL.

O que ele tem para tentar tirar vendas do rival? Muito espaço (cabem cinco pessoas sem aperto), porta-malas amplo (com abertura automática e porta estilo fastback) e força, com opções de motorização que geram de 258 (diesel) a 367 cv (V6 a gasolina), chegando a 585 cavalos no esportivo GLE 63 AMG. O câmbio é sempre de dupla embreagem e 9 marchas. 

Quando chega: final do ano.

Mark Blinch/Reuters
8. RAM 1500 ECODIESEL Imagem: Mark Blinch/Reuters
O que é: a marca de picapes da Chrysler resolveu diversificar a oferta na linha 2015, primeiro com aquela que foi apontada pelos executivos da marca como "o modelo mais econômico do segmento", a 1500 Ecodiesel; depois com a "aventureira, urbana" 1500 Rebel.

Por ter apenas motores a gasolina, neste primeiro momento, a Rebel não está nos planos do Brasil, apesar de exalar a versatilidade que sempre foi um dos pedidos dos clientes nacionais, apontam fontes da marca. Já a Ecodiesel, com motor 3.0 V6 de 243 cv e 58 kgfm, que promete fazer 12 km/l no ciclo americano, tem grandes chances. Seria uma alternativa no segmento de médias -- até agora, a Ram só atua no segmento superior, com a 2500, justamente por conta da dura concorrência.  

Quando chega: técnicos locais da Chrysler farão a avaliação do novo portfólio em março, quando o martelo será batido.   

*****

COMECEM A TORCER
Há ainda dois modelos que fizeram jornalistas e convidados suspirar e que chegarão ao país, ao menos no que depender da vontade das montadoras. Jogam contra, nestes casos, questões como variação entre dólar e real e incentivos do governo -- um deles é híbrido, apesar de superesportivo, enquanto o outro é puramente elétrico.  

Paul Sancya/AP
CHEVROLET BOLT EV Imagem: Paul Sancya/AP
O que é: esse protótipo nos permite imaginar como poderia ser um Chevrolet Meriva dos dias atuais, se ele não tivesse sido aposentado. A ideia é ter um carro elétrico com baterias que permitam autonomia de pouco mais de 300 quilômetros -- ou seja, você poderia fazer todo tipo de viagens como ele.

Outro ponto fundamental: ele seria relativamente barato -- cerca de US$ 30 mil nos EUA, após o bônus do governo, onde espera-se que entre em produção até 2017 e bombe mais que os atuais Chevrolet Volt, que também recebe uma segunda geração em Detroit, e Nissan Leaf.

Ponto decisivo: é um elétrico bonito, com cara dos Chevrolet de ponta, como os americanos Impala, SS e novo Malibu. Tem conteúdo e é bonito? Nós queremos.  

Quando chega: o presidente da Chevrolet para a América Latina, Jaime Ardilla, afirmou que o Bolt teria todas as condições -- custo, tamanho, autonomia e tecnologia -- para ser vendido também no Brasil e com sucesso. Mais do que o Volt jamais terá. "Para isso, porém, precisaria de incentivo público. Sem ajuda, seria inviável", condicionou o executivo.

Mark Blinch/Reuters
HONDA NSX Imagem: Mark Blinch/Reuters
O que é: finalmente lançado, é a segunda geração do esportivo japonês que foi criado nos anos 1990 e desenvolvido com a ajuda do piloto Ayrton Senna -- que, aliás, estrelou o vídeo de apresentação do novo modelo em Detroit para uma plateia atônita de jornalistas, especialistas e convidados.

Além do visual de fazer queixos caírem e rivais se intimidarem, tem poderio: 550 cv tirados de motor a gasolina traseiro V6 biturbo combinado a três motores elétricos, um em cada roda dianteira e outro servindo como boost ao motor tradicional.   

Quando chega: o modelo, que surge nos Estados Unidos com a marca Acura será o topo da gama também da Honda e carro-chefe da nova fase "Racing Spirit" da marca, que coincide com o retorno à Fórmula 1. Por conta nisso, acreditam os executivos, seria "importantíssimo" ter o esportivo também no Brasil, em até dois anos.

Viagem a convite da Anfavea
 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Carros

Topo